PROJETOS DE RESTAURAÇÃO

Projetos de restauração

A Iberdrola, por meio de sua fundação na Espanha, concede um apoio contínuo a projetos de recuperação e conservação do patrimônio histórico-artístico, em colaboração com entidades e instituições de prestígio. Entre os projetos realizados, se destaca o Plano de Intervenção Românico-Atlântico, cujo escopo supera a mera dimensão de restauração artística e se converte em indutor da dinamização social. Também colaboramos com as oficinas de restauração de museus tão emblemáticos como o Prado e o de Bellas Artes de Bilbau para a recuperação de autênticas obras-primas.

RETÁBULO DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA (CECLAVÍN, CÁCERES)

A Iberdrola assinou um acordo avaliado em 44.700 euros para a restauração completa do Retábulo de Santo Antônio de Pádua, na igreja paroquial de Ceclavín (Cáceres). O projeto visa melhorar sua conservação e valorizar o Retábulo de Santo Antônio de Pádua, que atualmente está desmontado e guardado nas dependências paroquiais para situá-lo novamente na nave central. Os trabalhos de restauração também incluirão o tratamento das imagens da Santíssima Trindade, São João Batista e Nossa Senhora dos Remédios.

Este projeto de restauração mostra o compromisso da Iberdrola com a Extremadura.#RRSSEste projeto de restauração mostra o compromisso da Iberdrola com a Extremadura.

PLANO ROMÂNICO ATLÂNTICO

A Iberdrola — através da sua fundação na Espanha — prolongava em fevereiro de 2020 o Plano Românico Atlântico para os próximos quatro anos (2020-2023). Trata-se de um projeto de cooperação transfronteiriça promovido pelo Governo Regional de Castela e Leão e pela Fundação Iberdrola para a conservação do patrimônio cultural. Desde a sua implantação em 2010 foram realizadas intervenções em cerca de vinte templos românicos das províncias espanholas de Zamora e Salamanca e das regiões portuguesas de Porto, Vila Real e Bragança.

Entre suas atuações em curso está a da igreja de San Martín de Tours de Salamanca com o objetivo de conter os problemas estruturais existentes desde a sua origem e que foram se agravando com o passar do tempo. O templo, erigido no século XII sobre uma construção anterior, está declarado Monumento Histórico-Artístico. Juntamente com a Catedral Vieja, é a edificação românica mais significativa da capital. Para a intervenção, que implicou um investimento de 356.000 euros, optou-se por monitorar o espaço para dispor de dados reais sobre seu estado. Os primeiros sensores foram colocados em 2015 e, desde então, o comportamento da edificação está sendo observado. Com a ampliação do Plano Românico Atlântico, tomou-se a decisão de continuar com as atuações de melhora do prédio mais seis meses.

PONTO DE INFORMAÇÃO

Em junho de 2019, foi inaugurado um ponto de informação do plano junto ao mosteiro de Santa María la Real na localidade de San Martín de Castañeda em Zamora. O espaço serve como centro de recepção de visitantes e explica a história da edificação e as diferentes ações desenvolvidas no âmbito desta iniciativa, destacando a importância das novas tecnologias na conservação do patrimônio.

O Plano permitiu a transformação da sacristia da igreja em uma capela adaptada às necessidades e aos usos dos fiéis, a criação de um ponto de informação para os visitantes ou, mais recentemente, a renovação das coberturas da igreja. Igualmente, instalou-se um sistema de monitorização constante do edifício para controlar e melhorar sua conservação preventiva, garantindo também a eficiência energética.

O Plano Românico-Atlântico também oferece atividades culturais para promover o conhecimento, a dinamização e a difusão do patrimônio das áreas em que atua. Desta forma, em agosto de 2019 aconteceu por sexto ano consecutivo um concerto nesta mesma igreja. O recital, intitulado Origem Fusão, foi dado pela camerata Vandalia Trío, com uma fusão entre música clássica e estilos como jazz, latino, funk ou flamenco.

A PORTA DO REINO

Dentro do Plano Românico Atlântico também se trabalhou no projeto cultural Catedral de Ciudad Rodrigo. La puerta del reino, com o objetivo de divulgar o plano e difundir as ações realizadas na catedral de Nuestra Señora de Santa María. Conferências, visitas guiadas ou atividades culturais foram algumas das atividades do projeto, que se concretizou na criação de um ponto de informação e de recepção dos visitantes na porta do Perdão da catedral de Ciudad Rodrigo.

Dentro das ações do projeto, cabe destacar também o concerto de Natal, que aconteceu no dia 22 de dezembro de 2017 na própria catedral. A apresentação ficou por conta do grupo "Scherzo Música de Câmara". A entrada foi livre e gratuita.

TAMBÉM NO PORTUGAL

Com o objetivo de restaurar e valorizar o patrimônio cultural do norte de Portugal, a empresa iniciou, em novembro de 2017, a segunda fase do Plano Românico Atlântico em Boticas e Guimarães, com a restauração das igrejas românicas de Covas do Barroso e Serzedelo.

O Plano Românico-Atlântico também financiou outros projetos de restauração como os da igreja de San Pedro de la Nave na localidade de El Campillo (Zamora) ou a igreja de Sejas em Sanabria (Zamora).

PROTETORA DA OFICINA DE RESTAURAÇÃO DO PRADO

A Iberdrola também colabora com o Museu Nacional do Prado desde 2010, ano em que se tornou Protetora da Oficina de Restauração da Pinacoteca. Desde então, tem ampliado sua colaboração com novas implicações como o projeto Lighting the Prado ou a concessão de bolsas anuais de pesquisa em restauração, sem esquecer do nosso respaldo ao programa de conservação e restauração do museu.

PROGRAMA IBERDROLA - MUSEU COM O MUSEU DE BELAS ARTES DE BILBAU

Desde 2013 o programa Iberdrola - Museu de Conservação e Restauro se encarrega de manter a coleção do Museu de Belas Artes de Bilbau em um excelente estado de conservação. Para tal objetivo, todos os anos se seleciona um conjunto de obras que precisa de tratamento de acordo com diversos núcleos cronológicos e variadas técnicas artísticas.

Além disso, em 2019 foi incluída uma nova linha de atuação sobre obras de arte que, mesmo não pertencendo à coleção do museu, participam das exposições temporárias. É o caso de uma seleção de pinturas que pertencem a coleções privadas e foram incluídas nas exposições Ameztoy e Obras-primas da coleção Valdés.

Finalmente, o programa expande sua missão através da capacitação de futuros profissionais que, graças à bolsa Iberdrola - Museu de Belas Artes de Bilbau, desenvolvem seus conhecimentos no Departamento de Conservação e Restauro.

Em 2020 foram realizadas várias intervenções em obras recentemente adquiridas e que agora são exibidas ao público pela primeira vez. É o caso das pinturas Paisaje con pastor de Ignacio Iriarte — adquirida recentemente graças à contribuição do programa de Amigos do Museu —; Playa de Sopelana e Paisaje con montañas de Juan de Barroeta; La fábrica de Pasajes de Gonzalo Chillida e Montmartre sous la neige de Jean-François Raffaëlli; e das estampas de Joaquim Sunyer e Marta Cárdenas. A estas também se somam obras conhecidas da coleção assinadas por Ángel Larroque, Remigio Mendiburu e Pablo Milicua.

Por outro lado, considerando a futura ampliação do museu, também foi implementado um novo programa de mediação que divulga a arquitetura do museu e do patrimônio artístico que o rodeia através de visitas guiadas ao exterior da edificação.