PROJETOS DE RESTAURAÇÃO

Apoiamos projetos de restauro do patrimônio histórico-artístico

A Iberdrola, por meio de sua fundação na Espanha, concede um apoio contínuo a projetos de recuperação e conservação do patrimônio histórico-artístico, em colaboração com entidades e instituições de prestígio. Entre os projetos realizados, se destaca o Plano de Intervenção Românico-Atlântico, cujo escopo supera a mera dimensão de restauração artística e se converte em indutor da dinamização social. Também colaboramos com as oficinas de restauração de museus tão emblemáticos como o Prado e o de Bellas Artes de Bilbau para a recuperação de autênticas obras-primas.

PLANO ROMÂNICO ATLÂNTICO

O Plano Românico Atlântico é um projeto de cooperação transfronteiriça promovido pela Fundação Iberdrola España, pelo governo regional de Castela e Leão e pelo Ministério de Cultura de Portugal. Com um orçamento de 4,5 milhões de euros, sua finalidade é conservar, restaurar e valorizar o patrimônio, ao mesmo tempo que estabelece as bases para um crescimento e desenvolvimento sustentáveis do território por meio da criação de emprego, da dinamização socioeconômica, da promoção turística e da redistribuição do investimento entre os núcleos rurais onde intervém.

A colaboração começou em 2010 para acompanhar o projeto hidrelétrico da Iberdrola no rio Tâmega, no norte de Portugal, e intensifica o compromisso da companhia com esse país e com a região autônoma de Castela e Leão, onde precisamente iniciou seu caminho rumo às energias limpas com a promoção das Cataratas do Duero, há mais de 110 anos.

O plano, renovado em 2020 até 2023, inclui projetos de restauração e valorização de cerca de vinte templos românicos localizados nas províncias espanholas de Zamora e Salamanca e nas regiões portuguesas do Porto, Vila-Real e Bragança.

Conservação e restauração do patrimônio cultural do norte de Portugal

Entre as obras do Plano Românico Atlântico, estão os trabalhos de restauração exterior do templo português de Nossa Senhora da Azinheira, no município de Chaves, declarado Imóvel de Interesse Público (BIP). O projeto incluiu a substituição completa da cobertura, rufos e calhas; a limpeza e tratamento da alvenaria exterior e dos elementos decorativos; a restauração de portas, vitrais e balaustradas de proteção; e a drenagem periférica de toda a área em torno da igreja.

Também em Portugal, coincidindo com o início da segunda fase do plano, a Iberdrola realizou em 2017 a restauração dos templos românicos de Covas do Barroso e Serzedelo.

Recuperação e valorização do patrimônio em Zamora e Salamanca

Do outro lado da fronteira, a Iberdrola trabalha para valorizar e recuperar a ermida de Nossa Senhora de Fernandiel, na localidade de Muga de Sayago (Zamora - Espanha). A intervenção se concentra na restauração de um conjunto de pinturas mural realizadas ao redor do século XVI, assim como na instalação de um novo sistema elétrico baseado em painéis solares e uma nova iluminação ornamental com tecnologia LED de última geração para garantir sua conservação e valorização.

O secretário de Cultura e Turismo do governo regional de Castela e Leão, Javier Ortega, e o presidente da Fundação Iberdrola España, Fernando García, durante sua visita à ermida de Nossa Senhora de Fernandiel (Muga de Sayago, Zamora).#RRSSO secretário de Cultura e Turismo do governo regional de Castela e Leão, Javier Ortega, e o presidente da Fundação Iberdrola España, Fernando García, durante sua visita à ermida de Nossa Senhora de Fernandiel (Muga de Sayago, Zamora).

Paralelamente à intervenção em Muga de Sayago, na província de Salamanca se trabalha para renovar e ocultar a iluminação do templo de Carrascal de Velámbelez e para terminar de reabilitar o interior da igreja de San Martin de Tours, com o objetivo de acabar com os problemas estruturais que sofre desde sua origem e que foram se agravando ao longo do tempo.

A igreja de San Martin de Tours, erguida no século XII sobre uma construção anterior e declarada Monumento Histórico-Artístico é, junto com a Catedral Velha, o edifício românico mais significativo de Salamanca. Nesta intervenção, que exigiu um investimento de 356.000 euros, optou-se por monitorar o espaço para obter dados reais acerca de seu estado. Os primeiros sensores foram colocados em 2015 e desde então se observa o comportamento do imóvel.

Com a ampliação do Plano Românico Atlântico, decidiu-se dar continuidade às obras de melhoria do edifício.

Igreja de San Martin de Tours (Salamanca).#RRSSIgreja de San Martin de Tours (Salamanca).

Em setembro de 2020 foi concluída a intervenção no telhado, cujo peso foi redistribuído, modificando seus pontos de apoio, para garantir a segurança e estabilidade do edifício. Também foi instalado um sistema de ventilação duplo que permite regular a temperatura e minimizar os problemas de umidade que o edifício sofria. Para realizar essa obra, que se prolongou durante oito meses, foi feito um investimento de aproximadamente 400.000 euros.

Anteriormente tinham sido realizadas obras urgentes para minimizar os problemas de desprendimentos e perdas de estrutura; também se recuperou o acesso pela porta norte do templo e instalou-se um ponto de informação e recepção. Além disso, foi apresentado um projeto adicional para a restauração e iluminação do interior do templo, que será realizado na seguinte fase.

O Plano Românico Atlântico também financiou outros projetos de restauração, como os da igreja de São Pedro do Navio (El Campillo) ou a igreja de Sejas (Sanabria), ambas na província de Zamora.

Divulgação do plano e do patrimônio cultural

Por outro lado, em junho de 2019 foi inaugurado um ponto de informação do plano junto ao mosteiro de Santa Maria a Real, na localidade de San Martín de Castañeda (Zamora). O espaço serve como centro de recepção de visitantes e explica a história do edifício e as diferentes obras desenvolvidas no âmbito dessa iniciativa, dando destaque à importância das novas tecnologias para a conservação do patrimônio.

Além da instalação desse ponto de informação, o plano permitiu transformar a sacristia da igreja em uma capela adaptada às necessidades e uso dos fiéis e, mais recentemente, foi feita a renovação do telhado do templo. Também foi instalado um sistema de monitoramento constante do edifício para controlar e melhorar sua conservação preventiva, além de garantir a eficiência energética.

O Plano Românico Atlântico também oferece atividades culturais para promover o conhecimento, a dinamização e a difusão do patrimônio das regiões onde intervém. Em agosto de 2019, foi realizado, pelo sexto ano consecutivo, um concerto nessa igreja.

Concerto do grupo Vandalia Trío no mosteiro de Santa Maria a Real de San Martín de Castañeda.#RRSSConcerto do grupo Vandalia Trío no mosteiro de Santa Maria a Real de San Martín de Castañeda.

Na mesma linha, foi lançado o projeto cultural Catedral de Ciudad Rodrigo. A porta do Reino, com o objetivo de divulgar o plano e as ações realizadas na catedral de Nossa Senhora de Santa Maria. Jornadas formativas, visitas e atividades culturais foram algumas das propostas, que se concretizaram com a criação de um ponto informativo e de recepção dos visitantes na Porta do Perdão da catedral de Ciudad Rodrigo.

No âmbito das ações do projeto também cabe destacar o concerto de Natal realizado em 2017 na própria catedral.

Catedral de Ciudad Rodrigo (Salamanca).#RRSSCatedral de Ciudad Rodrigo (Salamanca).

RETÁBULO DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA (CECLAVÍN, CÁCERES)

A Iberdrola assinou um acordo avaliado em 44.700 euros para a restauração completa do Retábulo de Santo Antônio de Pádua, na igreja paroquial de Ceclavín (Cáceres). O projeto visa melhorar sua conservação e valorizar o Retábulo de Santo Antônio de Pádua, que atualmente está desmontado e guardado nas dependências paroquiais para situá-lo novamente na nave central. Os trabalhos de restauração também incluirão o tratamento das imagens da Santíssima Trindade, São João Batista e Nossa Senhora dos Remédios.

Este projeto de restauração mostra o compromisso da Iberdrola com a Extremadura.#RRSSEste projeto de restauração mostra o compromisso da Iberdrola com a Extremadura.

PROTETORA DA OFICINA DE RESTAURAÇÃO DO PRADO

A Iberdrola também colabora com o Museu Nacional do Prado desde 2010, ano em que se tornou Protetora da Oficina de Restauração da Pinacoteca. Desde então, tem ampliado sua colaboração com novas implicações como o projeto Lighting the Prado ou a concessão de bolsas anuais de pesquisa em restauração, sem esquecer do nosso respaldo ao programa de conservação e restauração do museu.

PROGRAMA IBERDROLA - MUSEU COM O MUSEU DE BELAS ARTES DE BILBAU

Desde 2013 o programa Iberdrola - Museu de Conservação e Restauro se encarrega de manter a coleção do Museu de Belas Artes de Bilbau em um excelente estado de conservação. Para tal objetivo, todos os anos se seleciona um conjunto de obras que precisa de tratamento de acordo com diversos núcleos cronológicos e variadas técnicas artísticas.

Além disso, em 2019 foi incluída uma nova linha de atuação sobre obras de arte que, mesmo não pertencendo à coleção do museu, participam das exposições temporárias. É o caso de uma seleção de pinturas que pertencem a coleções privadas e foram incluídas nas exposições Ameztoy e Obras-primas da coleção Valdés.

Finalmente, o programa expande sua missão através da capacitação de futuros profissionais que, graças à bolsa Iberdrola - Museu de Belas Artes de Bilbau, desenvolvem seus conhecimentos no Departamento de Conservação e Restauro.

Em 2020 foram realizadas várias intervenções em obras recentemente adquiridas e que agora são exibidas ao público pela primeira vez. É o caso das pinturas Paisaje con pastor de Ignacio Iriarte — adquirida recentemente graças à contribuição do programa de Amigos do Museu —; Playa de Sopelana e Paisaje con montañas de Juan de Barroeta; La fábrica de Pasajes de Gonzalo Chillida e Montmartre sous la neige de Jean-François Raffaëlli; e das estampas de Joaquim Sunyer e Marta Cárdenas. A estas também se somam obras conhecidas da coleção assinadas por Ángel Larroque, Remigio Mendiburu e Pablo Milicua.

Por outro lado, considerando a futura ampliação do museu, também foi implementado um novo programa de mediação que divulga a arquitetura do museu e do patrimônio artístico que o rodeia através de visitas guiadas ao exterior da edificação.