RELAÇÃO ENTRE IMPACTO AMBIENTAL E IMPACTO SOCIAL

Brasil: do surfe a dar uma segunda vida ao plástico

re.turn, na cidade de Porto Alegre, ao sul do Brasil, destaca-se por seu acentuado caráter social: o projeto busca inspirar as pessoas, ajudar os grupos mais vulneráveis e, sobretudo, cuidar do mar. Seus fundadores — surfistas — pretendem devolver aos oceanos tudo o que estes lhes deram, por isso desenvolvem iniciativas sustentáveis com materiais reciclados.

"Cada ação positiva ou negativa que fizermos neste mundo terá sua contrapartida." Contrapartida, em português, significa retorno, por isso o nome de re.turn Project, uma iniciativa dos surfistas Cassio Tramontini, Diego Polly e Ángel Mirapalheta. No entanto, a história desse peculiar projeto começou na Indonésia, onde Tramontini viu algo que foi o germe da ideia: um pescador que estava em seu barco jogou um saco de lixo em um banco de corais.

Era o ano de 2014, e o brasileiro, que durante anos tinha viajado a autênticos paraísos naturais para praticar surfe, subitamente tomou consciência de quantas vezes já tinha presenciado ações similares sem fazer nada para evitá-las. De volta à sua Porto Alegre natal pensou em como devolver — retornar — ao mar tudo o que este lhe tinha dado, partindo de uma premissa: O re.turn Project buscaria inspirar as pessoas e realizar iniciativas com o objetivo de conseguir, passo a passo, um mundo melhor.

Projetos solidários na cidade dos cinco rios.#RRSSProjetos solidários na cidade dos cinco rios

 VER INFOGRÁFICO: Projetos solidários na cidade dos cinco rios [PDF]

Porto Alegre, no estado brasileiro do Rio Grande do Sul, é uma das localidades mais prósperas do país, e seu dia a dia está marcado por sua localização geográfica. É uma cidade ribeirinha, denominada pelos moradores locais como a cidade dos cinco rios, e existem comunidades assentadas em meandros e ilhas onde os resíduos plásticos representam um importante problema ambiental.

Lute contra o plástico. Capture Lord Plastik! Participe.

O Brasil é um dos países do mundo que mais plástico produz, superado unicamente — de acordo com dados do Banco Mundial e do WWF (World Wildlife Fund) — pelos Estados Unidos, China e Índia, e sua taxa de reciclagem está muito abaixo da média mundial (9%), embora os governos, sobretudo nas grandes cidades, desenvolvam eficientes políticas de coleta. É nas áreas menos desenvolvidas do país onde a gestão de resíduos é mais complexa.

O uso do plástico no Brasil.#RRSSO uso do plástico no Brasil.

UMA PRANCHA DE PADDLE SURF ELABORADA COM GARRAFAS DE PLÁSTICO

Por isso, o primeiro projeto do re.turn abordou esse problema em âmbito local em um vilarejo da Ilha da Pintada, onde 140 crianças receberam uma aula sobre conscientização ambiental para depois coletar resíduos plásticos do rio Guaíba. Mais de 600 garrafas PET foram coletadas e transformadas em pranchas perfeitamente operacionais de paddle surf, conseguindo conjugar, assim, as duas paixões dos fundadores da iniciativa: esporte aquático e ajudar o meio ambiente e as comunidades locais.

A Associação dos Amigos Artesãos e Pescadores da Ilha da Pintada também cria iniciativas de ajuda à sua comunidade, especialmente com crianças, e seus membros — pescadores em sua maioria — são conscientes da complexidade da gestão dos recursos aquáticos da área, assim como do problema que representa a poluição plástica. Assim, a colaboração com o re.turn foi desde o início um sucesso: dar uma segunda vida ao material plástico coletado é apenas uma das perspectivas desse projeto, e os habitantes da ilha valorizam especialmente a importância da conscientização desde a infância.

Depois desse primeiro projeto, o re.turn tornou sua colaboração com comunidades locais sua bandeira, mas nessa viagem de luta contra a degradação dos oceanos e buscando conseguir uma "vida melhor para as pessoas", como diz seu manifesto, também se uniu a outros atores através de uma infinidade de iniciativas. Para Cassio Tramontini, o envolvimento de empresas privadas em projetos sustentáveis que visam cuidar do meio ambiente e de caráter social é algo primordial.

CONSCIENTIZAÇÃO: IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL

Assim, para os fundadores do re.turn Project existe uma clara relação entre impacto ambiental e impacto social; portanto, qualquer ação destinada a proteger o meio ambiente e a conscientizar sobre a importância de cuidá-lo tem um efeito positivo na sociedade, e vice-versa. Para isso, recrutam empresas de todos os tipos, às quais propõem iniciativas e projetos através dos quais acabam ajudando diferentes grupos sociais.

No total, o re.turn já realizou 16 projetos, conseguindo envolver 40 empresas privadas e causando impacto em mais de um milhão de pessoas. Entre os mais relevantes estão dois campeonatos de tacobol — uma espécie de críquete, mas praticamente sem regras, por pura diversão — realizados na praia da cidade de Capão da Canoa. Mais de 1.500 pessoas presenciaram as partidas e os jogadores eram crianças, já em recuperação, do Instituto do Câncer Infantil.

Para os idealizadores do re.turn, a diversão sempre está presente nos projetos que implementam. Embora a iniciativa Re.movies leve o cinema ao ar livre às comunidades carentes de Porto Alegre, na realidade sua verdadeira missão é oferecer cuidado oftalmológico a crianças em situação de risco. Return Sunset, outra das atividades, é uma autêntica festa para os idosos dos asilos da região, enquanto Mãos à Obra conseguiu reconstruir o centro da Ilha da Pintada, onde a Associação, já mencionada, recebe e organiza atividades para os garotos da localidade, fora do horário escolar.

As ideias dos responsáveis do re.turn Project são cada vez mais sociais, porém sempre considerando o caráter ambiental da proposta. Criar uma prancha de paddle surf a partir de garrafas plásticas coletadas do rio foi o princípio, mas o espírito se mantém: pequenas ações podem proporcionar grandes resultados e o caminho para a sustentabilidade e um mundo melhor pode e deve ser divertido.