COMO RECICLAR E COMO GERAR MENOS RESÍDUOS

Um mercado de troca que luta contra o plástico

A Cidade do México gera diariamente mais de 13.000 toneladas de resíduos sólidos. Dessa quantidade, e como problema agregado, somente 1,28% são reciclados. Essa foi uma das razões pelas quais a Secretaria do Meio Ambiente do Estado do México (SEDEMA) implementou em 2012 uma iniciativa chamada Mercado del Trueque, permitindo aos cidadãos permutarem resíduos como plástico, PET, latas de alumínio, papel, papelão, vidro ou descartes eletrônicos por alimentos frescos cultivados localmente.

No segundo domingo de cada mês, em locais que vão girando na Cidade do México, desde cedinho pela manhã e até as 14 horas ou até que se esgotem os produtos frescos. O funcionamento do Mercado del Trueque é enganosamente simple: os participantes trazem consigo resíduos recicláveis, que são identificados e pesados, para trocarem por pontos verdes. Estes pontos são permutados por alimentos de produtores locais como hortaliças, moles (prato típico mexicano), temperos ou doces cristalizados e amarantos.

Porém, o Mercado del Trueque é muito mais do que um mero intercâmbio. Por um lado, tem um claro caráter educativo, e cada edição inclui atividades que visam conscientizar os participantes e mostram diferentes iniciativas de proteção ambiental. Explicam como o lixo pode ter uma segunda vida. Os resíduos obtidos, como plásticos, papelão, latas, embalagens, etc., passam por um processo de reciclagem e são reutilizados, de tal maneira que é reduzido o uso de matérias-primas, evitando-se assim a contaminação que implicaria sua extração e posterior processo de fabricação de novos produtos.

Por outro lado, o Mercado del Trueque ajuda na manutenção de comunidades agrícolas da Cidade do México, como é o caso das prefeituras locais de Xochimilco, Milpa Alta, Tláhuac, Magdalena Contreras e Tlalpan, entre outras. Consumir produtos locais evita transportes de mercadorias, o que reduz o uso de combustíveis fósseis e a utilização de sistemas de refrigeração que são nocivos ao meio ambiente. Além disso, a iniciativa promove o comércio justo baseado em técnicas tradicionais e ajuda a manter produtivas as chinampas: técnica que, desde o século XVI, usa balsas cobertas com terra vegetal para cultivar vegetais e flores e, assim ganha terreno para as lagoas da região de México-Tenochtitlán.

"No começo, o principal desafio foi a falta de uma cultura adequada sobre a separação dos resíduos sólidos", explica Al Yibb Marthin Vázquez Castro, coordenador de Logística do Mercado. "As pessoas que participam melhoraram sua cultura e seus costumes no tocante a este assunto e, o que é mais importante, compartilharam toda a informação adquirida. Hoje, o principal desafio é atacar o problema e criar uma cultura de consumo responsável".

Funcionamento do Mercado del Trueque.#RRSSFuncionamento do Mercado del Trueque.

 VER INFOGRÁFICO: Funcionamento do Mercado del Trueque [PDF]

Lute contra o plástico. Capture Lord Plastik! Participe.

MERCADO EL TRUEQUE, UM PROGRAMA CONSOLIDADO

O Mercado del Trueque começou em 2012, e já foi um sucesso na sua primeira edição com mais de 20.000 participantes e 173.456 toneladas de resíduos reciclados. Desde então só cresceu tanto em locais como em atividades associadas e em sua abrangência. A Secretaria do Meio Ambiente da Cidade do México publica dados concretos de cada edição, tanto dos benefícios obtidos em termos facilmente compreensíveis para o cidadão quanto das quantidades exatas de cada resíduo: plástico, polietileno de alta densidade (HDPE), tereftalato de polietileno (PET) e outros, continuando assim com esse caráter educativo que marca a iniciativa.

Mercado del Trueque, dados no encerramento de 2018.#RRSSMercado del Trueque, dados no encerramento de 2018.

"Em cada edição há uma participação média de 4.000 pessoas e uma coleta de 12 toneladas de resíduos sólidos que são enviados para reciclagem e não terminam em aterros municipais ou clandestinos ou, pior ainda, nas ruas", explica o coordenador de Logística do programa. Porém, para Marthin Vázquez Castro, a meta do Mercado da Troca vai muito mais além: "Que cada vez mais participantes nos visitem, mas que a quantidade de resíduos que cada participante traga consigo seja menor, que cada pessoa gere cada vez menos resíduos. Esta mudança como um todo resultaria em uma casa mais limpa, um bairro mais limpo, uma cidade mais limpa, um estado mais limpo, um México mais limpo".

"Educadores dos Centros de Cultura Ambiental de Acuexcomatl, Ecoguardas e Yautlica são o pilar operacional do Mercado, contando com o suporte de voluntários e membros de cada uma das localidades visitadas, além do apoio do pessoal de outras áreas dentro da mesma Secretaria do Meio Ambiente da Cidade do México. Dessa forma, chegamos a um total aproximado de 170 pessoas que são necessárias para fazer funcionar o Mercado em cada edição", explica o coordenador de logística deste mercado da troca sustentável. Próximas datas: 13 de outubro no Monumento à Revolução; 10 de novembro no Bosque Tlalpan e 8 de dezembro no Bosque de San Juan de Aragón.

O sucesso do Mercado del Trueque prossegue na Cidade do México no segundo domingo de cada mês, onde se converteu num modelo a seguir para outras regiões do país. Desde o início de 2019 em Xalapa, estado de Veracruz, existe o programa Troca Verde que, além de permitir aos cidadãos trocarem seus plásticos, latas e outros objetos por alimentos e sementes locais, também inclui uma das matérias-primas sustentáveis da região, o tepezil (pedra-pomes) e adubo orgânico.

O desafio, no caso da Cidade do México, é complexo pela configuração da capital mexicana, mas os primeiros passos estão dados. A natureza educativa e participativa do Mercado da Troca e da reciclagem em uma cidade que não pára de crescer, mas os resultados são animadores e servem de modelo para outras áreas do país. “Devido ao sucesso do Mercado del Trueque, agora o nosso principal objetivo é o consumo responsável, seguindo a linha de prescindir dos plásticos de um só uso: além de reciclar devemos deixar de gerar resíduos sólidos”, afirma o responsável de logística da iniciativa. No México, a troca é defensora do meio ambiente.