meio ambiente

TeInteresa
  • A energia eólica, que transforma em eletricidade a força de um recurso inesgotável como o vento, é uma aposta sustentável e de valor para o futuro. O aproveitamento do vento exige a instalação de parques eólicos, sejam em terra ou alto mar, com dezenas de aerogeradores. Estes gigantes se tornaram parte da paisagem nos últimos anos; mas sabemos como eles funcionam?

    O ano de 2019 fechou um decennium horribilis para o clima do planeta. O veredito apresentado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) durante a COP25 foi taxativo: a década mais quente da história desde que estão sendo registrados dados (1850). As consequências da subida da temperatura média da Terra vão desde o aumento do nível dos oceanos até a proliferação de fenômenos meteorológicos extremos.

  • Celulares, tablets, notebooks e demais dispositivos digitais... sua proliferação está se tornando um problema para o planeta pois ao terminar a sua vida útil, geramos quase 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico, a taxa de reciclagem dos mesmos não é suficiente. Aumentar a reciclagem é essencial para frear as mudanças climáticas e evitar a deterioração do meio ambiente.

    A Conferência do Clima de Madri (COP25) terminou no domingo, dia 15 de dezembro (e não na sexta-feira, dia 13, como estava previsto, o que a torna a mais longa de todas as COP) com resultados 'tênues' em termos de negociações, apesar do seu grande impacto no tocante à mobilização da sociedade civil em geral.

  • "Os recifes de corais estão sendo fervidos vivos." Essa afirmação, feita por Gabriel Grimsditch, membro da divisão de ecossistemas marinhos do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), ativou os sinais de alerta. O panorama para os corais não é muito animador: os cientistas calculam que quase 90 % desses superecossistemas poderiam se extinguir até 2050.

    Um elemento que vale destacar no denominado "novo normal" é a fusão do discurso climático e econômico, com foco em todas as atividades da agenda climática relativamente a esses dois aspectos que devem estar intrinsecamente ligados para conseguir que a recuperação propicie uma economia robusta, saudável e sustentável. A seguir expomos os principais eventos sobre o clima até o final de 2020.