meio ambiente

TeInteresa
  • re.turn, na cidade de Porto Alegre, ao sul do Brasil, destaca-se por seu acentuado caráter social: o projeto busca inspirar as pessoas, ajudar os grupos mais vulneráveis e, sobretudo, cuidar do mar. Seus fundadores — surfistas — pretendem devolver aos oceanos tudo o que estes lhes deram, por isso desenvolvem iniciativas sustentáveis com materiais reciclados.

    As espécies exóticas invasoras foram introduzidas de forma natural, acidental ou intencional em um meio que não é o seu e, após um certo tempo, conseguem se adaptar ao mesmo e colonizá-lo. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), essas espécies são a segunda causa de perda de biodiversidade no mundo. A seguir, analisamos algumas das mais daninhas.

  • A pandemia de COVID-19 deixou milhões de contágios e centenas de milhares de falecidos, além de confinar a maioria da população mundial, mas também reduziu consideravelmente as emissões diárias de CO2, — um 17 % de acordo com um relatório publicado pela revista Nature Climate Change —. A dúvida que surge agora é se uma vez superada a crise serão mantidos os compromissos assumidos na luta contra as mudanças climáticas, e tudo parece indicar que sim.

    Os especialistas estimam que 99 % dos animais que alguma vez habitaram o planeta já não existem e, definitivamente, a mão humana teve muito que ver com estas extinções. Porém, em outras situações, algumas espécies conseguiram sobreviver pelo conservacionismo ambiental. Conheça dez animais que foram salvos da extinção.

  • O derretimento das geleiras, fenômeno que aumentou durante o século XX, está nos deixando um planeta sem gelo. A atividade humana é a maior culpada da emissão de dióxido de carbono e de outros gases responsáveis pelo aquecimento terrestre. O nível do mar e a estabilidade global dependem da evolução destas grandes massas de neve recristalizada.

    A poluição atmosférica não é a única que tem efeitos prejudiciais para os seres vivos do planeta. A poluição sonora, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), é um dos fatores ambientais que provoca mais problemas de saúde. Só na Europa, conforme a Agência Europeia do Meio Ambiente (AEMA), causa 16.600 mortes prematuras/ano e mais de 72.000 hospitalizações.