COLABORAÇÃO ENTRE ORGANISMOS DE CARÁTER PÚBLICO E PRIVADO

Cooperação entre estados, fundamental na luta contra o plástico nos EUA

Pelo menos 165 milhões de partículas de plástico flutuam normalmente no estuário do porto de Nova York e Nova Jersey, conforme um estudo recente dos guarda-costas da área compartilhada por ambos os estados. Uma das iniciativas pioneiras em combater o plástico nas águas marinhas da área é a Plastic Free Waters Partnership, que une organizações do setor educativo e público, ONGs e empresas privadas com um objetivo comum: eliminar os resíduos plásticos das suas águas.

Os dados de diversos organismos internacionais são preocupantes: segundo o World Economic Forum em 2025 haverá nos oceanos uma tonelada de plástico por cada três toneladas de peixes e, a cada ano, oito milhões de toneladas de resíduos plásticos são derramados aos mares. Se seguirmos assim, em 2050, conforme as Nações Unidas haverá menos peixes que resíduos nas águas.

Nos Estados Unidos, uma das zonas mais complexas em termos de poluição plástica (pela sua configuração geográfica, organizativa e alta densidade de população), é a área compartilhada pelos estados de Nova York e Nova Jersey. É onde existe a Plastic Free Waters Partnership, uma iniciativa colaborativa que une o público em geral, empresas privadas, organizações não governamentais, instituições educativas e organismos públicos com uma meta comum: reduzir os resíduos plásticos e os microplásticos em todas as massas de água da área biestatal.

Nova York e Nova Jersey águas compartilhadas.#RRSSNova York e Nova Jersey águas compartilhadas.

 VER INFOGRÁFICO: Nova York e Nova Jersey águas compartilhadas [PDF]

Para tal, a iniciativa organiza seminários, estudos e ações presenciais por meio de seus sócios e participantes, realizando um importante trabalho de divulgação e de formação. A administradora regional da Agência de Proteção Ambiental (EPA, em suas siglas em inglês) considera muito positivamente estas iniciativas: "Nossos oceanos, lagos e rios estão saturados de resíduos plásticos. Estes projetos oferecem soluções que se concentram em reduzir os resíduos na origem".

ÁGUAS SEM PLÁSTICOS

Foi em 2015 quando a Agência de Proteção Ambiental norte-americana implementou seu programa Trash-Free Waters com um objetivo claro: reduzir o volume de resíduos que poluem as águas do país. A maior parte desse lixo plástico provém de elementos habituais no consumo do dia a dia de milhões de cidadãos, razão pela qual a EPA concentrou sua estratégia em divulgar os efeitos perniciosos para o meio ambiente, fauna, flora e também para a saúde. Organizada por regiões, a iniciativa Trash-Free Waters foi o catalisador para a identificação dos grupos de trabalho, sócios e organizações que hoje fazem parte da Plastic Free Waters Partnership, uma iniciativa que trabalha em conjunto com a Agência desde a sua criação formal em 2017.

Os plásticos que mais contaminam as massas de água.#RRSSOs plásticos que mais contaminam as massas de água.

 VER INFOGRÁFICO: Os plásticos que mais contaminam as massas de água [PDF]

Atualmente, a Plastic Free Waters é composta por mais de 50 membros de âmbitos muito diversos (desde a organização Cafeteria Culture, que organiza reuniões em cafés até o Departamento de Proteção Ambiental de Nova Jersey, de caráter estatal), concentrados na difusão da mesma mensagem e potencialização da redução do uso de plásticos na origem. Oferece também os recursos educativos e informativos mais atualizados na luta contra os resíduos plásticos desde seu site e organiza frequentes eventos em ambos os estados.

Lute contra o plástico. Capture Lord Plastik! Participe.

SETE INIMIGOS PARA DERROTAR

A Plastic Free Waters Partnership estrutura suas atividades, publicações e ações de divulgação em áreas baseadas nos sete elementos plásticos mais poluentes: microplásticos, sacolas, garrafas, bandejas e elementos de poliestireno, canudinhos, bitucas de cigarros e balões, de tal maneira que ajudam a simplificar a mensagem e a concentrar as ações na área de Nova York e Nova Jersey.

 Microplásticos
Microscópicos de até 5 mm de diâmetro são o resultado da decomposição de plásticos maiores pela ação da radiação ultravioleta, do vento ou da água. A Plastic Free Waters tenta divulgar este problema e conseguir um compromisso dos produtores, fabricantes e legisladores na matéria.

 Sacolas de plástico
Membros da Plastic Free Waters —tanto ONGs quanto organizações governamentais— implementaram diversas atividades que acarretaram uma redução na utilização do uso de sacolas de plástico na área de Nova York e Nova Jersey.

 Garrafas de plástico
Pela primeira vez nos EUA, a venda de garrafas de água mineral foi superior a de refrigerantes gasosos (2018). Porém, a porcentagem de reciclagem é baixa. Nos estados de Nova York e Nova Jersey, a iniciativa busca alternativas e a implementação de políticas estatais sustentáveis.

 Recipientes de poliestireno
São comuns em restaurantes de fast food, escolas, etc. A Plastic Free Waters divulga os perigos deste material tanto para a saúde quanto para o meio ambiente, assim como as alternativas sustentáveis existentes.

 Canudinhos
O contato com as associações do setor de restaurantes e afins de Nova York e outros permite aos usuários e cidadãos saberem como o uso destes elementos prejudica o meio ambiente. Os sócios da iniciativa criam casos de sucesso, materiais educativos e de divulgação que ajudam a reduzir o uso dos canudinhos na área.

 Filtros de cigarros
São atirados na rua e a chuva faz com que, via esgotos, cheguem aos rios e mares. Várias cidades de ambos os estados, incluída Nova York, proibiram fumar nas praias, mas para a Plastic Free Waters este é só o primeiro passo.

 Balões
São um perigo para espécies autóctones como tartarugas e aves como pelicanos, e a conscientização dos cidadãos é primordial para a Plastic Free Waters.

UMA INICIATIVA BASEADA NA COLABORAÇÃO

A Plastic Free Waters Partnership baseia seu sucesso na colaboração entre organismos muito diferentes de caráter público e privado, e também educativo e de tipo não governamental. Entre os colaboradores frequentes da iniciativa estão acadêmicos, voluntários e profissionais de vários setores de atividade e áreas geográficas.

É a criação de grupos de trabalho específicos que abordam o problema por tipo de elemento poluidor, e a implementação de atividades e iniciativas ex profeso para cada localidade e características populacionais, o que permite maior efetividade no uso dos recursos. E, finalmente, um maior sucesso na luta contra a contaminação por plásticos. Qual é o desafio? Águas sem poluição plástica em dez anos.