SEMANA DO CLIMA DE NOVA YORK 2019

O futuro do clima é decidido na cidade de Nova York

Nova York se tornará o epicentro da agenda climática durante o mês de setembro. A cidade norte-americana será a sede de dois eventos imprescindíveis para medir o compromisso do mundo com o aquecimento global. Por uma lado, a Cúpula de Ação Climática organizada pela ONU (23 de setembro) e, por outro, a Semana do Clima (23-29 setembro). A perspectiva de ambos eventos é a próxima conferência da ONU no Chile sobre mudanças climáticas (COP25).

Estamos ficando sem tempo. A ONU adverte que temos 11 anos para prevenir uma catástrofe climática irreversível: se até 2030 a Terra aquecer mais de 1,5°C em comparação com a temperatura do final do século XIX, enfrentaremos graves problemas ambientais com consequências nefastas para a vida: mais inundações, ondas de calor mais extremas e secas mais frequentes e duradouras. Ainda podemos solucionar o problema, mas a contagem regressiva já começou.

AÇÃO PELO CLIMA NA AGENDA GLOBAL

A comunidade internacional pede a todos os atores do planeta novas medidas contra o aquecimento global, especialmente mais esforços para cumpri-las. Sem ir mais longe, em 2017 o recorde mundial de emissões de gases de efeito estufa (GEE) foi quebrado com 53,5 gigatoneladas de CO2, de acordo com um relatório da ONU publicado em 2018. Este mesmo documento indica que menos de um terço dos países que subscreveram o Acordo de Paris está fazendo o correto para diminuir as emissões a partir de 2030.

Neste âmbito, o Secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou aos líderes mundiais para que estejam presentes na Cúpula do Clima de Nova York no dia 23 de setembro com planos ambiciosos, tangíveis e realistas, visando acelerar suas políticas e cumprir as contribuições concretas exigidas pelo Acordo de Paris aos governos tendo em vista o ano 2020. Desta forma, trabalharão em novas soluções contra o aquecimento global e apresentarão seus planos mais imediatos de ação pelo clima. O objetivo é minimizar as emissões de CO2 em 2020 até reduzi-las em 45% em termos globais na próxima década e chegar a zero após 2050.

Este evento, fundamental dentro da agenda climática mundial, também reunirá o setor privado, sociedade civil, autoridades locais e outras organizações internacionais para desenvolver iniciativas contra o aquecimento global. A Cúpula receberá o impulso das atividades e iniciativas programadas em torno da Semana do Clima de Nova York que, organizada pelo The Climate Group, se concentrará nas soluções climáticas implementadas pelo setor privado em todos os setores da economia.

O que é o The Climate Group?#RRSSO que é o The Climate Group?

 VER INFOGRÁFICO: O que é o The Climate Group? [PDF]

ÁREAS DE TRABALHO NA SEMANA DO CLIMA 2019

A estrutura da Cúpula se assenta nos nove vetores de ação, cada um dos quais com uma agenda própria de iniciativas e com uma estrutura de governos e organizações que ostentam a liderança na ação. As temáticas abordadas são muito amplas, desde estratégias de atenuação para o conjunto da economia até medidas para descarbonizar o setor energético ou promover sinais robustos de CO2 em termos globais.

A Semana do Clima de Nova York terá exposições, seminários, conferências e mesas redondas, entre outras atividades, e versará sobre programas tais como:

 Juventude e ativismo pelo clima
A figura de Greta Thunberg inspirou milhões de jovens de todo o mundo na luta contra o aquecimento global. O evento de Nova York tratará o papel da juventude e do ativismo climático num sentido mais amplo.

 Transição energética
Este programa se concentrará nas energias renováveis, eficiência energética, armazenamento e acesso à energia, com destaque também para áreas de inovação como o blockchain e a inteligência artificial (IA).

 Edificações, infraestruturas e mobilidade sustentável
Esta seção se concentrará em diminuir as emissões globais do transporte, mas também incluirá eventos sobre arquitetura e construção sustentável.

 Financiamento e investimentos do clima
Este fórum examinará quais são as oportunidades financeiras para identificar e atenuar os riscos climáticos. Além disso, analisará as opções de investimento contra o aquecimento global e o papel do carvão.

 Saúde, igualdade e justiça
Neste sentido, a conferência analisará como a ação pelo clima deve tratar a prosperidade e o bem-estar das pessoas em todos os níveis.

 Lazer e turismo sustentáveis
A conferência liderará o diálogo mundial sobre como as viagens e o entretenimento podem contribuir para a boa saúde do nosso planeta.

 Alimentação, usos do solo e soluções naturais
Esta parte pesquisará como diminuir as emissões da indústria alimentícia e da agricultura, assim como o papel das florestas e a recuperação dos ecossistemas terrestres.

 Resiliência e adaptação à mudança climática
Durante a semana serão abordados os riscos do aquecimento global e seu impacto nos alimentos e na água ou o que fazer para evitar os desastres naturais e como ajudar suas vítimas.

O CLIMATE WEEK HUB, DETALHADAMENTE

Todas estas atividades serão lançadas num evento conhecido como The Hub, que acontecerá nos dias 24 e 25 de setembro. Neste fórum de dois dias participarão organizações e representantes de vários países, cidades ou setores industriais. Pelo mesmo também passarão os principais líderes políticos e empresariais do mundo para unir esforços, criar parcerias e debater medidas de grande importância contra as mudanças climáticas.

Neste espaço para ideias, reflexão e cooperação também haverá lugar para economia, transição energética e inovação. Particularmente, será feito um trabalho para continuar avançando e levar a ação pelo clima mais além desta conferência com um objetivo: convidar os governos do mundo para que façam todo o possível para cumprir os compromissos do Acordo de Paris. O relógio está quase chegando no zero...