CENTRO DE OPERAÇÃO DE RENOVÁVEIS (CORE) DO BRASIL

Centro de Operação de Renováveis do Brasil: o centro de controle mais moderno da Iberdrola em termos mundiais

O Centro de Operação de Renováveis (CORE) da Neoenergia — filial do grupo Iberdrola no Brasil — controla e opera em tempo real 17 parques eólicos e seis subestações de geração renovável. Roger Mendonça, membro do departamento de Relações Operacionais da Neoenergia, nos apresenta aquele que até a data presente é o CORE mais avançado da companhia em todo o mundo.

O CORE do Rio de Janeiro foi criado em maio de 2019 para gerenciar de forma centralizada os ativos renováveis do grupo Iberdrola no Brasil, assim como para dar suporte à sua previsão de crescimento durante os próximos anos. Assim, o centro monitoriza atualmente 17 parques eólicos e seis subestações (que perfazem uma potência instalada total de 500 megawatts). Em 2022, prevê-se que controle 27 instalações renováveis e outras cinco subestações, que totalizarão cerca de 1.500 megawatts.

O CORE do Rio de Janeiro é o mais avançado tecnologicamente de todos os centros de controle do grupo pois inclui as últimas versões da plataforma CORE, além dos mais modernos sistemas operacionais, resoluções gráficas e softwares Scada. Além disso, utiliza as melhores práticas de cibersegurança.

OBJETIVOS DO CORE DO BRASIL

 Otimizar a gestão dos ativos de geração renovável que utilizam modalidades contratuais diferentes de venda de energia.

 Reduzir os custos de manutenção e operação.

 Padronizar a operação dos aerogeradores procedentes de diferentes fabricantes.

 Melhorar o cumprimento dos procedimentos de rede exigidos pela agência nacional de energia elétrica do Brasil.

Para a implantação do CORE do Brasil foram tidos em conta os requisitos de segurança e saúde e os princípios pelos quais a Neoenergia é governada: sustentabilidade, integração entre equipes e dinamismo.
 

 Mais informações sobre o funcionamento dos CORE