sustentabilidade ambiental

A Iberdrola é uma referência internacional em sustentabilidade ambiental. Promovemos os modelos de negócio sustentáveis, procurando um desenvolvimento que satisfaça as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras.

TeInteresa
  • O grupo Iberdrola é o primeiro produtor eólico do mundo e líder em energias renováveis em âmbito global. Nesse sentido, comprometeu-se a investir 75 bilhões de euros até 2025 — que aumentarão até 150 bilhões em 2030 —. No âmbito de seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, a companhia foca principalmente no ODS 7, energia limpa e acessível, e trabalha para levar eletricidade a todas as pessoas e otimizar o uso da energia.

  • A energia eólica, que transforma em eletricidade a força de um recurso inesgotável como o vento, é uma aposta sustentável e de valor para o futuro. O aproveitamento do vento exige a instalação de parques eólicos, sejam em terra ou alto mar, com dezenas de aerogeradores. Estes gigantes se tornaram parte da paisagem nos últimos anos; mas sabemos como eles funcionam?

    É possível criar uma construção ecológica já a partir da planta? A resposta é sim, graças à arquitetura bioclimática. Esse tipo de projeto leva em consideração as condições climáticas do ambiente em que se insere – sol, vento, chuva, etc. – para reduzir os impactos ambientais. Outro de seus pontos-chave é a eficiência energética, fundamental no combate contra as mudanças climáticas.

  • O combate contra as mudanças climáticas precisa de algo mais do que boas palavras. Os processos de adaptação e mitigação, essenciais para frear a deterioração do planeta nas próximas décadas, exigem financiamento e este fluxo pode vir tanto de entidades privadas quanto públicas. A ONU, por meio da Convenção-Quadro da ONU sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC), é a responsável por supervisionar estas transferências dos países desenvolvidos àqueles em desenvolvimento.

    Descubra mais artigos interessantes relacionados

    Os bônus verdes são um tipo de dívida emitida por instituições públicas ou privadas que, diferentemente de outros instrumentos de crédito, comprometem o uso dos fundos obtidos com uma finalidade ambiental. Dessa forma, o dinheiro obtido se destina especificamente ao financiamento ou refinanciamento de projetos verdes. Entre 75-81% do plano de investimento 2020-2025 da Iberdrola — com uma dotação orçamentária de 75 bilhões de euros — está alinhado à taxonomia da União Europeia para a mitigação das mudanças climáticas.