NotíciaVolver

25/05/2021

Avança apostando em países com altas classificações de crédito

Iberdrola avança com o parque Baltic Eagle: a empresa Vestas será responsável pelo fornecimento e manutenção de suas turbinas eólicas

  • A Alemanha é um dos mercados estratégicos da Iberdrola no setor da energia eólica offshore. Uma vez em funcionamento, a capacidade total da Companhia na Alemanha ultrapassará a marca de 826 MW, após ter investido 2,5 bilhões de euros
  • O projeto permitirá promover a iniciativa Baltic Sea Hub, um polo de energia renovável no mar Báltico que se converterá no epicentro dos serviços offshore e onshore, assim como proporcionará conteúdo local aos projetos da Iberdrola na Alemanha e em outros países.
  • Sua carteira em energia eólica offshore chega a 20.000 MW em mercados como Estados Unidos, Reino Unido e Norte de Europa e em plataformas de crescimento como Japão, Polônia, Suécia e Irlanda

A Iberdrola e a Vestas assinaram um contrato para o fornecimento de 50 unidades do aerogerador offshore V174 de 9,525 megawatts (MW) de capacidade unitária para o projeto Baltic Eagle, que a Companhia espanhola desenvolve na costa da ilha de Rügen, em águas alemãs do mar Báltico. O acordo prevê a entrega e instalação dos aerogeradores em 2024. Também inclui os serviços de manutenção das novas turbinas.

Com 476,2 megawatts (MW) de capacidade instalada, o parque Baltic Eagle é a segunda iniciativa offshore empreendida pela Companhia na Alemanha, um de seus mercados estratégicos-chave, após a construção do parque eólico Wikinger de 350 MW em 2017. A Iberdrola planeja continuar aumentando sua capacidade instalada na Alemanha e ultrapassar a marca de 1,1 GW até 2026.

Localizado a aproximadamente 75 km da costa, o parque Baltic Eagle vai ser conectado à subestação de Lubmin através de dois novos cabos submarinos de alta tensão que serão instalados pela operadora 50Hertz.

Junto ao parque eólico Wikinger, a Iberdrola criará o maior complexo eólico offshore do mar Báltico, com mais de 826 MW de capacidade instalada conjunta e um investimento total de 2,5 bilhões de euros. Essa aposta também permitirá promover o projeto Baltic Sea Hub, um polo de energia renovável no mar Báltico que se converterá no epicentro dos serviços offshore e onshore, além de proporcionar conteúdo local aos projetos da Iberdrola na Alemanha e em outros países costeiros.

O complexo, que será explorado a partir do porto de Sassnitz-Mukran, na ilha de Rügen, produzirá energia suficiente para satisfazer 45% do consumo total de eletricidade do estado de Meclemburgo-Pomerânia Ocidental e evitará a emissão na atmosfera de 1,65 milhão de toneladas de CO2/ano, contribuindo assim para os objetivos de redução de emissões da Alemanha.

Iris Stempfle, diretora da Iberdrola na Alemanha, destacou que "a proximidade de ambos os projetos permitirá estabelecer sinergias, especialmente durante as campanhas de manutenção conjuntas, assim como o uso da excelente infraestrutura do porto de Sassnitz-Mukran. Os custos de investimento estão diminuindo graças aos avanços tecnológicos em toda a cadeia de valor e aos sólidos conhecimentos do setor eólico offshore, que amadureceu consideravelmente nos últimos anos. A energia eólica offshore será um componente essencial para uma transição energética economicamente razoável. No entanto, precisamos de condições estruturais estáveis para planejar e realizar nossos investimentos".

"Para a Vestas é extremamente motivante poder trazer sua tecnologia de aerogeradores offshore V174 ao mercado europeu através do projeto Baltic Eagle", afirmou Johnny Thomsen, vice-presidente global de vendas offshore da empresa. "Quando estiver concluído em 2024, o parque Baltic Eagle será o maior projeto instalado pela Vestas em águas alemãs. Por isso, estamos muito satisfeitos com a oportunidade que a Iberdrola nos oferece através desse importante projeto para o país.”


Uma tecnologia cada vez mais competitiva

A Iberdrola continua apostando na inovação tecnológica para realizar projetos renováveis em escala comercial, que combatam as mudanças climáticas e incentivem o desenvolvimento econômico e social dos territórios onde está presente. Após ter participado com sucesso no segundo leilão de capacidade offshore organizado pela Agência Federal de Redes da Alemanha (Bundesnetzagentur), conseguiu reduzir significativamente o custo do projeto Baltic Eagle graças à nova plataforma da MHI Vestas de 9,5 MW.

Baseada em uma tecnologia comprovada e com um importante histórico de funcionamento, a turbina MVOW V174 de 9,525 MW tem o maior tamanho de rotor comercialmente testado do setor e a maior potência, com um diâmetro de pá de 174 m e uma elevação do cubo de 107 m acima do nível do mar.


Negócio offshore da Iberdrola

Com uma importante carteira de projetos, a energia eólica offshore se consolidou como uma tecnologia renovável essencial para o futuro crescimento da Iberdrola, que se baseia na excelência e na eficiência operacional. A Companhia possui 1,3 GW instalados e avança na construção de mais 2,6 GW. A carteira de energia eólica da Companhia no primeiro trimestre do ano chega a 20.000 MW, situada em mercados como Estados Unidos, Reino Unido e norte da Europa, assim como em novas plataformas de crescimento com grande potencial, como é o caso do Japão, Polônia, Suécia e Irlanda. A Iberdrola prevê atingir a marca de 12.000 MW operacionais até 2030.

Atualmente, o Grupo explora o parque eólico offshore West of Duddon Sands (WoDS) de 389 MW no mar da Irlanda; Wikinger de 350 MW no Báltico alemão; e East Anglia One de 714 MW nas águas britânicas do mar do Norte. Também desenvolve o projeto de Saint-Brieuc, de 496 MW, na costa da Bretanha, no norte da França; Vineyard Wind (800 MW) na costa de Massachusetts; e Baltic Eagle.

Acesso a informação legal