NotíciaVolver

17/09/2020

Iberdrola põe foco no Japão como nova plataforma de crescimento em energias renováveis

  • A companhia adquire a promotora local Acacia Renewables e entra em uma 'joint venture' com a Macquarie´s Green Investment Group (GIG) para desenvolver sua carteira eólica offshore de 3,3 GW
  • Acesso a uma carteira diversificada: A Acacia possui dois parques eólicos offshore (1,2 GW) em desenvolvimento e quatro em carteira, situados estrategicamente em diferentes áreas do sudoeste do país para ter acesso aos leilões anunciados pelo governo japonês
  • A operação está alinhada à estratégia do grupo: permite avançar na diversificação geográfica - o Japão se une a novos países como Austrália, Suécia e França - e se posiciona em mercados com um forte potencial desde sua etapa inicial
  • A Iberdrola já explora parques eólicos 'offshore' nas águas do Reino Unido e Alemanha, trabalha em novos desenvolvimentos no mercado britânico, Estados Unidos e França e possui uma carteira total nesse segmento de 15 GW

A Iberdrola foca no mercado japonês como nova plataforma de crescimento em energias renováveis, especificamente no âmbito da energia eólica offshore, após chegar a um acordo com a Macquarie´s Green Investment Group (GIG) para a aquisição de 100% da promotora nipônica Acacia Renewables.

A Acacia Renewables possui atualmente dois parques eólicos offshore em desenvolvimento, com uma potência conjunta de 1,2 GW, que poderiam estar operacionais em 2028. Além disso, dispõe de outros quatro projetos em carteira que somam uma capacidade de 2,1 GW. A Iberdrola deterá uma participação igual à do GIG nessas seis instalações e ambos os parceiros serão responsáveis pelo desenvolvimento dos projetos.

A operação está em consonância com a estratégia da Iberdrola, pois lhe permite posicionar-se em uma etapa de desenvolvimento inicial no setor eólico offshore japonês, um mercado que tem um grande potencial de crescimento. O acordo também possibilita que a companhia tenha acesso a uma carteira de projetos diversificada, que se distribui em diferentes áreas do sudoeste do país, em um contexto adequado para os leilões anunciados pelo governo japonês.

A Iberdrola e o GIG também se comprometem a trabalhar para reforçar colaborações sólidas no Japão, incluindo novas empresas locais aos empreendimentos.

A Acacia possui uma equipe com experiência no gerenciamento de instalações renováveis e um profundo conhecimento do mercado, assim como dispõe de escritórios no Japão, condições essenciais para liderar por si mesma o desenvolvimento de novos projetos futuros no país.


Um mercado com um forte potencial de crescimento e um contexto favorável para o investimento

A aquisição dessa promotora renovável local abre para a Iberdrola a oportunidade de desembarcar no mercado eólico offshore japonês, que atualmente passa por uma fase inicial e apresenta um grande potencial de crescimento para as próximas décadas, além de um ambiente favorável para os investimentos.

A capacidade eólica offshore instalada atualmente no Japão se reduz a aproximadamente 70 MW, mas o país implantou uma estratégia para descarbonizar seu mix energético e promover a independência energética. De fato, as previsões indicam que o mercado alcançará 10 GW instalados em 2030 e chegará a 37 GW até 2050[1].


Uma estratégia de diversificação que soma projetos à carteira

A aquisição da Acacia Renewables está alinhada à estratégia da Iberdrola de se consolidar como a maior companhia renovável do mundo, adicionando novos projetos à sua carteira, o que se soma a outras transações realizadas pela empresa nos últimos anos no âmbito da energia eólica offshore.

Essas operações permitiram o desenvolvimento de parques no Mar Báltico alemão (Wikinger e Baltic Eagle), no Mar do Norte (East Anglia ONE), Irlanda (West of Duddon Sands), na costa de Massachusetts (Vineyard Wind), nas águas francesas (Saint Brieuc) e, mais recentemente, o acesso a 9 GW de capacidade na Suécia. Além disso, a Iberdrola conta neste segmento com uma carteira total de 15 GW.

A companhia liderada por Ignacio Galán protagoniza, com a aquisição da empresa japonesa Acacia, sua sexta operação corporativa do ano, apesar dos desafios decorrentes da COVID-19. Além das transações em eólica offshore na França e na Suécia devemos somar a aquisição da empresa francesa de energias renováveis Aalto Power, os acordos para desenvolver 165 MW eólicos onshore na Escócia e, mais recentemente, a compra da Infigen Energy, através da qual se converteu em uma das operadoras líderes do mercado australiano de energia renovável.


Acelerar investimentos para promover uma recuperação verde

A Iberdrola acredita que a eletrificação será a alavanca de mudança no mundo pós-COVID. Por isso, a empresa acelerou seus investimentos com o objetivo de contribuir para a reativação da atividade econômica e criação de emprego.

Essa aposta na recuperação verde levou o grupo a fazer investimentos recorde ao longo deste ano, chegando a 10 bilhões de euros em energias renováveis, redes elétricas inteligentes e sistemas de armazenamento em larga escala, depois de ter destinado a essas áreas 100 bilhões desde 2001 em todo o mundo. 

A Iberdrola opera atualmente 32,7 GW renováveis em âmbito global e possui uma carteira de projetos renováveis de 58 GW.





[1] Fonte: Associação Eólica do Japão.

Acesso a informação legal