NotíciaVolver

04/11/2020

A companhia destina um investimento de 70 milhões de euros à promoção do complexo eólico Herrera em Castela e Leão

Iberdrola inicia a instalação do aerogerador onshore mais potente da Espanha

  • Começa a montagem dos 14 aerogeradores que integram o complexo eólico, com uma potência unitária de 4,5 MW, quase sete vezes superior aos instalados há mais de vinte anos
  • As pás têm mais de 70 metros de comprimento e a altura do aerogerador é o dobro da Catedral de Burgos
  • Dinamização do tecido industrial da região: empresas locais intervêm na construção da obra civil e a maioria dos componentes dos aerogeradores é fabricada na Espanha · Seu desenvolvimento envolverá 800 profissionais

A Iberdrola deu início à instalação dos maiores e mais potentes aerogeradores onshore da Espanha no complexo eólico Herrera (63 MW de capacidade) em Castela e Leão. Os aerogeradores têm uma potência unitária de 4,5 MW, quase sete vezes superior à dos primeiros aerogeradores instalados na Espanha há mais de duas décadas.

O Complexo Herrera, com 63 MW de potência instalada, será composto por três parques - La Huesa, Valdesantos e Orbaneja - e um total de 14 aerogeradores SG 4.5-145 com pás de 70 metros de comprimento e um diâmetro de 145 m - três vezes maior em relação aos primeiros aerogeradores - o que faz com que sua altura total seja o dobro da Catedral de Burgos.

A Iberdrola destinará 70 milhões de euros de investimento para a promoção do complexo eólico, que já contribui para dinamizar o tecido industrial da região. Seu desenvolvimento permitirá criar emprego para aproximadamente 800 pessoas e praticamente todos os trabalhos de campo e obra civil são realizados por empresas locais, tal como a Copsa, uma construtora localizada na cidade de Burgos. Além disso, a maioria dos componentes desses aerogeradores é fabricada na Espanha: as caixas multiplicadoras em Burgos, as naceles em Sória e os geradores na Cantábria.

A dimensão desses componentes faz com que sua construção seja um processo complexo, com cerca de 100 transportes diários de até 76 metros de comprimento com diferentes materiais e guindastes de 180 metros de altura para o içamento de componentes que em alguns casos ultrapassam as 155 toneladas.

Os parques Orbaneja e La Huesa estão sendo construídos nos municípios de Isar, Las Quintanillas, Rabé de las Calzadas e Estepar: o primeiro deles será composto por sete aerogeradores, com um total de 31,5 MW de potência instalada, enquanto o segundo terá quatro turbinas que somarão 18 MW. O de Valdesantos está sendo construído em Estepar e terá três aerogeradores com uma capacidade instalada total de 13,5 MW.

O Complexo Herrera entrará em funcionamento em 2021 gerando energia suficiente para abastecer uma população equivalente a 60.000 residências/ano, ao mesmo tempo que evitará a emissão na atmosfera de 50.000 t CO2/ano.


Aposta verde em Castela e Leão

A Iberdrola continua avançando em sua aposta nas energias limpas na Espanha, incluindo tecnologias de vanguarda para proporcionar mais competitividade e sustentabilidade aos seus projetos renováveis.

Através desse projeto, a companhia reforça sua aposta em Castela e Leão, fortalecendo sua liderança em energias renováveis nessa zona do país, onde já controla mais de 5.100 MW - dos quais 1.500 MW são eólicos -, posicionando a região como a que tem mais megawatts 'verdes' instalados pela empresa.

Junto ao Complexo Herrera, a Iberdrola também está promovendo o parque eólico de Buniel (Burgos) em colaboração com a Caja Rural de Soria, e o de Valdemoro, com um total de 164 MW, sendo este um dos maiores de Castela e Leão. No ano passado colocou em operação o complexo eólico BaCa (Ballestas e Casetona) de 69,3 MW e avança na tramitação de seus primeiros projetos fotovoltaicos na região, que somam mais de 400 MW.

A Iberdrola anunciou recentemente que nos próximos anos promoverá na comunidade mais de 1.800 MW em projetos renováveis - eólicos e fotovoltaicos -, para os quais destinará investimentos superiores a 1,3 bilhão de euros. Tal volume de recursos dinamizará o tecido industrial e criará emprego para 18.000 pessoas, de acordo com as estimativas feitas pelo PNIEC (Plano Nacional Integrado de Energia e Clima).

Acesso a informação legal