NotíciaVolver

15/12/2020

Foram instalados mais de 70 projetores e mais de 130 metros de fiação no valor de 180.000 euros

Iberdrola revitaliza o Palácio do Supremo Tribunal de Madri com uma inovadora iluminação externa

  • O Supremo Tribunal e a Fundação Iberdrola España inauguraram a iluminação ornamental exterior dos frontispícios da praça Villa de París e da rua Marqués de la Ensenada desse emblemático edifício madrileno em um ato institucional realizado nesta tarde
  • A Fundação Iberdrola elaborou e executou o projeto de iluminação utilizando a tecnologia LED mais avançada, que visa melhorar a eficiência energética do edifício

A Iberdrola, através de sua Fundação na Espanha, inaugurou hoje a iluminação ornamental exterior dos frontispícios do Palácio do Supremo Tribunal de Madri. O evento contou com a presença do presidente do Supremo Tribunal e do Conselho Geral do Poder Judicial, Carlos Lesmes; do ministro da Justiça, Juan Carlos Campo, e do presidente da Fundação Iberdrola España, Fernando García.

Através desse inovador projeto de iluminação, a Fundação Iberdrola realçou e valorizou o corpo central de cada uma das fachadas do Supremo Tribunal de Madri, situando-os como eixo de referência em cada um dos locais: a praça Villa de París e a rua Marqués de la Ensenada, deixando as restantes paredes do edifício sem iluminar. Essa solução busca minimizar a invasão luminotécnica do edifício em relação ao resto do entorno urbano.

A intenção do projeto consistiu em conseguir um efeito de “iluminação natural”, o qual foi alcançado ao combinar uma iluminação vertical uniforme que parte do chão, mas limitando sua altura, deixando assim a face inferior das cornijas na sombra, pois dessa forma criam-se faixas horizontais de sombra descendente que lembram as geradas pela luz solar.

Foram utilizados holofotes com potência regulável para conseguir uma iluminação uniforme com temperatura de cor branca neutra. Especificamente, foram instalados mais de 70 projetores e mais de 130 metros de fita LED flexível, com uma potência total de apenas 4,3 KW.

O projeto, cujo montante foi superior a 180.000 euros, está enquadrado em um dos principais pilares da atividade da Fundação Iberdrola España: o desenvolvimento cultural e a conservação do patrimônio histórico-artístico.


Sobre o Palácio do Supremo Tribunal de Madri

O conjunto foi criado por iniciativa da rainha Bárbara de Bragança a fim de instalar as freiras da Ordem da Visitação na Espanha, com a intenção de que, além de convento, fosse um colégio para meninas da nobreza. A instituição esteve nesse local até 1870, quando as freiras foram expulsas para destinar o convento ao Palácio da Justiça. O edifício sofreu dois incêndios graves, o pior deles em 1915, que praticamente não atingiu a igreja, mas destruiu quase completamente o Palácio. Em 1926 começou o projeto de reconstrução com o objetivo de erigir um verdadeiro palácio da Justiça com um aspecto nacional, em consonância com os existentes no resto da Europa.


Iberdrola, com a promoção da arte e da cultura

Uma das principais áreas de atuação da Iberdrola, através de sua fundação na Espanha, foca no cuidado, conservação e valorização das riquezas histórico-artísticas. O Programa de Iluminações tem como principal objetivo desenvolver intervenções em edificações singulares para instalar ou melhorar seus sistemas de iluminação interior e/ou exterior a fim de contribuir para a valorização do patrimônio histórico-artístico.

Desde 2011, o volume de investimento destinado ao Programa de Iluminações ascendeu a mais de 3 milhões de euros e permitiu melhorar mais de 40 monumentos na Espanha, entre os quais se destacam a histórica Ponte Romana de Alcântara em Cáceres; a fachada do Congresso dos Deputados em Madri; a Catedral de Ávila ou o interior da Catedral Nova de Salamanca.