NotíciaVolver

23/07/2020

O Museu Thyssen e a Fundação Iberdrola España apresentam 'Tecendo vidas, contando quadros', um romance gráfico de fácil leitura de Aitor Saraiba

  • A publicação faz parte do Romance Gráfico, um projeto de acessibilidade cognitiva de fácil leitura da Área de Educação do Museu Nacional Thyssen-Bornemisza com o apoio da Fundação Iberdrola España.

Romance Gráfico é um projeto de acessibilidade cognitiva de fácil leitura, com caráter inclusivo, criado pela Área de Educação do Museu Nacional Thyssen-Bornemisza com o apoio da Fundação Iberdrola España e a colaboração da AMÁS Fácil (serviço de leitura fácil do Grupo AMÁS), que também contou com a participação da Associação Madrilena de Espinha Bífida (AMEB), Fundação Secretariado Cigano (FSG em sua sigla em espanhol), Fundação Grandes Amigos, Associação para a Integração do Menor Paideia, Centro Dia de Suporte Social Latina (pertencente à rede pública de atendimento social para pessoas com doenças mentais do governo regional de Madri, gerenciado pelo Grupo5) e Centro Ocupacional Municipal de Leganés, pertencente ao Grupo AMÁS.

'Tecendo vidas, contando quadros', do artista e narrador gráfico Aitor Saraiba, foi construído a partir de uma seleção de obras e das narrativas vitais dos participantes desse projeto, aos quais Saraiba propôs diferentes exercícios e entrevistou um por um para poder realizar o texto e os desenhos. Posteriormente, o grupo ia aprovando o resultado, que o grupo AMÁS validava como de fácil leitura. Trabalhou-se em rede e potencializando o papel do Museu como cenário de participação e agente de transformação social; aprofundou-se na pesquisa e desenvolvimento de novas narrativas sobre o museu e suas coleções e na criação de materiais de acessibilidade cognitiva que fossem atraentes para o público em geral.

Com a declaração do estado de alarme devido à emergência sanitária provocada pela COVID-19, o projeto permaneceu em andamento através de um grupo de WhatsApp que permitiu dar continuidade ao trabalho, seguir em contato, manter o isolamento, mas não sozinhos e cuidando-se mutuamente.

Dessa forma, 'Tecendo vidas, contando quadros' se converte em um objeto de múltiplas dimensões: traz a biografia de seus participantes; trata-se de um percurso novo e diferente pelas coleções do Museu, criando novas narrativas ao redor das obras escolhidas; é a obra de um artista; é o produto de uma rede de trabalho entre entidades, e é um material de acessibilidade cognitiva atraente para qualquer leitor ou visitante do museu. Também é um exemplo de que o museu pode ser um cenário para o respeito, a participação e a tolerância, cumprindo sua função de agente de coesão e transformação social; um espaço onde qualquer pessoa, venha de onde vier, tenha a idade ou a condição que tiver, pode ver-se refletido e sentir que pertence a ele.

O Museu Nacional Thyssen-Bornemisza, com o apoio da Fundação Iberdrola España, em consonância com os ODS da ONU, continua trabalhando para melhorar a acessibilidade à sua coleção e aos seus conteúdos através das linhas de Educação e Ação Social de sua Área de Educação.


IBERDROLA, comprometida com a sociedade

Desde a sua criação, a Iberdrola está comprometida com o desenvolvimento energético, cultural e social das comunidades onde está presente. Nesse sentido, a Fundação Iberdrola España dá mais um passo em tal compromisso, mediante o impulsionamento de iniciativas que contribuem para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Uma das principais áreas de atuação da Fundação se concentra no cuidado, manutenção e promoção da arte e da cultura.