NotíciaVolver

28/04/2021

bp, Iberdrola e Enagás analisam o desenvolvimento do maior projeto de hidrogênio verde da região de Valência

  • O projeto seria realizado na refinaria da bp na cidade de Castellón, onde se construiria um eletrolisador de 20 megawatts (MW), alimentado com energia renovável produzida, entre outras fontes de geração, por uma usina fotovoltaica de 40 MW
  • Em fases posteriores, a capacidade de eletrólise poderia ser aumentada para 115 MW, convertendo-se no maior projeto de hidrogênio do setor de refino da Espanha
  • O projeto permitiria reduzir as emissões da refinaria em até 24.000 tCO2/ano, contribuindo para a descarbonização do corredor industrial da região

A bp, Iberdrola e Enagás chegaram a um acordo para analisar o desenvolvimento da primeira fase do maior projeto de produção de hidrogênio verde da região de Valência, que seria realizado nas instalações da bp na cidade de Castellón.

O objetivo desse acordo é avaliar a instalação de um eletrolisador de 20 megawatts (MW) para a geração de hidrogênio verde nos terrenos da bp localizados no complexo industrial de El Serrallo. O eletrolisador funcionaria com energia renovável produzida, entre outras fontes de geração, por uma usina fotovoltaica de 40 MW.

A refinaria da bp em Castellón é a maior produtora e consumidora de hidrogênio da região de Valência. O novo projeto permitiria substituir o hidrogênio cinza, utilizado pela refinaria em seus processos para produzir biocombustíveis, por hidrogênio verde. Dessa forma, as emissões de CO2 se reduziriam em até 24.000 toneladas/ano, contribuindo assim para sua descarbonização.

O projeto também contempla a exploração de usos adicionais de valor agregado para o hidrogênio verde produzido, tais como seu fornecimento ao setor do transporte pesado e a contribuição para a descarbonização de outras indústrias de alto consumo energético da região.


Um projeto do futuro

O eletrolisador de 20 megawatts (MW) poderia começar a funcionar em 2023 com um investimento que se situa perto dos 90 milhões de euros. Em fases posteriores, a capacidade de eletrólise poderia ser aumentada até 115 MW, convertendo-se no maior projeto de geração de hidrogênio verde do setor de refino da Espanha e o mais ambicioso da região de Valência.

Além do eletrolisador, o projeto poderia incentivar um investimento adicional estimado de aproximadamente 70 milhões de euros em novas instalações de energia renovável e contribuir de maneira significativa para a economia e a indústria da região, gerando empregos de alta qualidade e valor agregado.


bp, Iberdrola e Enagás: aposta firme na descarbonização

Através dessa colaboração, a bp, a Iberdrola e a Enagás avançariam em suas respectivas estratégias de descarbonização dos setores industriais e do transporte da região de Valência, onde as três empresas estão profundamente enraizadas.

Segundo Carlos Barrasa, presidente da bp España, “com este projeto, a bp reforça seu compromisso com o hidrogênio como combustível do futuro, pois desempenhará um papel fundamental na descarbonização dos setores da energia, indústria e transporte e especialmente em setores difíceis ou caros de eletrificar. Representa, portanto, mais um avanço na estratégia de se transformar em uma companhia de energia integrada, além de permitir concretizar a ambição da bp España de liderar a transição energética do país para se tornar um centro europeu de produção e distribuição de energia com uma pegada de carbono reduzida”.

Ángeles Santamaria, CEO da Iberdrola España, explicou que “temos a oportunidade de liderar esta tecnologia, que contribuirá para tornar realidade o compromisso da neutralidade climática ao atuar em setores difíceis de descarbonizar, além de impulsionar um setor com um enorme potencial para criar novas indústrias e empregos. A parceria de empresas dispostas a enfrentar a transformação de seus processos produtivos com companhias como a Iberdrola, com capacidade de execução para gerar e fornecer energia verde, unida à cadeia de fornecedores e aos incentivos dos fundos europeus, contribuirão para o avanço da maturidade tecnológica do hidrogênio verde visando convertê-lo em uma solução competitiva para a descarbonização no médio prazo da indústria e do transporte pesado”.

Segundo o CEO da Enagás, Marcelino Oreja, “esta iniciativa encaixa perfeitamente nos critérios seguidos pelos projetos promovidos pela Enagás: contribuir para a descarbonização e uma transição justa e inclusiva, ser indutores em toda a sua cadeia de valor, ajudar no desenvolvimento da indústria espanhola e criar empregos sustentáveis. A colaboração entre empresas, administrações e instituições é fundamental para que esses projetos se tornem realidade, e este é um claro exemplo de colaboração conjunta”.

Acesso a informação legal