NotíciaVolver

18/06/2020

Mostra da recuperação verde como fonte de crescimento e criação de emprego

Iberdrola adjudica à Navantia-Windar o maior contrato de energia eólica offshore de sua história no valor de 350 milhões de euros

  • Inclui a construção e montagem de 62 jaquetas (jackets) e suas correspondentes estacas para essa grande instalação que a empresa está desenvolvendo em águas da Bretanha francesa e que proporcionará energia limpa para um milhão de pessoas
  • O acordo criará emprego direto para aproximadamente 1.000 profissionais na Galiza e Astúrias e mais de 1.100 na França, onde a Navantia-Windar abrirá, pela primeira vez, uma fábrica para completar o projeto
  • O contrato foi assinado na manhã desta quinta-feira (18/06/2020) na localidade de Fene pelo presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, pela presidente da Navantia, Susana de Sarriá e pelo presidente da Windar, Orlando Alonso. O ato contou com a presença do presidente da Xunta de Galicia (governo da Região Autônoma da Galiza), Alberto Núñez Feijóo, e do representante do governo espanhol na Galiza, Javier Losada

A Iberdrola, através de sua filial Ailes Marines, adjudicou à UTE Navantia-Windar a construção de 62 jaquetas (plataformas que sustentam os aerogeradores marinhos) e das estacas necessárias para o parque eólico offshore de Saint-Brieuc, que a empresa de energia desenvolve nas águas da Bretanha francesa.

O contrato, cujo montante total chega a 350 milhões de euros, é o maior da história da Navantia-Windar no setor da energia eólica offshore. Foi assinado na manhã desta quinta-feira (18/06/2020) no estaleiro da Navantia em Fene (Corunha) pelo presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, pela presidente da Navantia, Susana de Sarriá e pelo presidente da Windar, Orlando Alonso. O ato contou com a presença do presidente da Xunta de Galicia (governo da Região Autônoma da Galiza), Alberto Núñez Feijóo e do representante do governo espanhol na Galiza, Javier Losada.

Mais concretamente, o acordo inclui a fabricação das jaquetas por parte da Navantia em suas instalações em Fene e das estacas por parte da Windar em sua sede de Avilés. A montagem final de todos os subconjuntos será realizada nas instalações dos estaleiros galegos.

Com essa histórica adjudicação se consolida uma relação de mais de seis anos entre a Iberdrola e a Navantia-Windar que soma contratos de aproximadamente 1 bilhão de euros, incluindo os trabalhos já concluídos para os parques eólicos offshore de Wikinger, nas águas alemãs do mar Báltico, e East Anglia One (Reino Unido).

Dessa forma, tal como ressaltou o presidente da Iberdrola em sua intervenção, consolida-se a capacidade da Navantia-Windar para aproveitar as oportunidades de um mercado com futuro como o da energia eólica offshore, onde a Iberdrola avança para a liderança em âmbito mundial.

Nesse sentido, Ignacio Galán indicou que, com esse contrato, além de avançar rumo a uma energia limpa como a eólica offshore, “demonstramos que a economia verde é um grande polo de industrialização e de criação de emprego sustentável e de qualidade, agora que a revitalização da atividade é mais importante do que nunca”. Galán também acrescentou que “a Europa se confirma como um grande projeto comum em benefício de todos. Uma Europa unida e sólida, onde empresas galegas, asturianas e bascas podem fazer contribuições muito relevantes em infraestruturas, tal como o parque eólico offshore de Saint-Brieuc”.

Por outro lado, a presidente da Navantia, Susana de Sarriá, destacou os inúmeros desafios desse setor tão dinâmico e que continua crescendo e abrindo novas perspectivas e no qual a Navantia e a Windar esperam continuar acompanhando a Iberdrola, oferecendo o melhor serviço e promovendo a industrialização nas áreas onde estamos estabelecidos.


Emprego direto para mais de 2.000 profissionais na Galiza, Astúrias e França

O contrato assinado hoje entre a Iberdrola e a Navantia-Windar criará emprego para mais de 2.000 profissionais de forma direta.

Destes, quase 1.000 correspondem a empregos criados na Navantia-Windar na Galiza e Astúrias, e mais de 1.100 entre diversas empresas na França. Especificamente, no porto de Brest, Le Havre e na futura base de operações (ainda por decidir o local). Uma novidade desse contrato é que a Navantia-Windar abrirá uma fábrica em Brest, onde serão elaborados os stabbings, nós inferiores, e a estrutura de treliça para 34 das 62 jaquetas do parque.

Além desses mais de 2.000 trabalhos diretos, devemos somar os vários milhares de empregos que serão criados pelas empreiteiras locais, tanto na Espanha quanto na França.

Portanto, o novo acordo tem um acentuado caráter europeísta pois alia a experiência e o conhecimento de profissionais espanhóis e franceses e confirma o caminho da recuperação verde e crescimento sustentável da União Europeia.

Projetos como o de Saint-Brieuc demonstram que a aposta em uma recuperação verde, que acelere a transição energética para uma economia com baixas emissões de carbono, é um motor de prosperidade e crescimento sustentável.


Parque eólico offshore de Saint-Brieuc

O parque eólico offfshore de Saint-Brieuc terá uma potência de cerca de 500 MW e será capaz de gerar energia limpa suficiente para satisfazer o consumo de eletricidade de aproximadamente um milhão de pessoas. Localizado nas águas da Bretanha francesa, em uma área de cerca de 78 km2, a instalação prevê iniciar sua exploração em 2023.

Para tal, a Iberdrola investirá 2,4 bilhões de euros. Essa nova instalação demonstra o compromisso da Iberdrola com o mercado francês, no qual a empresa pretende investir ao redor de 4 bilhões de euros nos próximos quatro anos.

Acesso a informação legal