NotíciaVolver

05/11/2020

O maior programa de investimentos da história de uma empresa espanhola, orientado para a dinamização do tecido industrial e para a criação de empregos nos países onde o grupo está presente

Iberdrola lança um plano de investimento de 75 bilhões de euros até 2025 como contribuição decisiva para a recuperação econômica

Ignacio Galán

Presidente da Iberdrola

Nosso modelo de negócio, após nos anteciparmos em 20 anos à transição energética, nos posiciona como um agente indutor fundamental na transformação do tecido industrial, impulsionando com nossa experiência o compromisso social e a capacidade financeira, um modelo de crescimento econômico sustentável de longo prazo capaz de enfrentar os atuais desafios da sociedade

OPORTUNIDADE PARA O TECIDO INDUSTRIAL E A CRIAÇÃO DE EMPREGOS
  • Investimentos destinados a liderar a transição energética. Os investimentos brutos nos próximos seis anos (2020-2025) chegarão a 75 bilhões de euros, sendo 90% deles orgânicos, ou seja, 68 bilhões de euros. Mais da metade desse crescimento orgânico (51%) se destinará às energias renováveis e 40% à área de redes.
  • Aumento de 60% dos investimentos na Espanha. Atingirão quase 14,3 bilhões de euros, 21% do total do grupo. Serão destinados à área de renováveis mais de 7 bilhões e à de redes mais de 4,5 bilhões de euros.
  • Criação de empregos. Mantendo os pilares da economia social de mercado e a Agenda 2030 das Nações Unidas, os investimentos e as compras de bens e serviços de seus mais de 22.000 fornecedores contribuirão para a manutenção de cerca de 500.000 postos de trabalho em 2025 no mundo. Da mesma forma, estão previstas aproximadamente 20.000 novas contratações no grupo durante o mesmo período. A companhia reforça sua aposta no treinamento, com um aumento das horas por trabalhador, que já representam 4 vezes a média europeia.
  • Contribuição e esforço fiscal. A companhia, considerando apenas o ano de 2019, contribuiu com 8,2 bilhões de euros para a fiscalidade dos países onde está presente, espera que seu esforço tributário aumente em 2025 até 12 bilhões de euros, sendo a média anual do período (2020-2025) de 10,3 bilhões de euros, consequência da maior atividade que implica o desenvolvimento do novo plano.
  • Investimentos focados em países com ambições climáticas e classificação A. Os Estados Unidos e o Reino Unido concentram 34 bilhões de euros do investimento, cerca de 50% do total. Cresce a aposta em outras áreas internacionais com investimentos de mais de 11 bilhões de euros. 83% dos investimentos vão para países com classificação A.
  • A capacidade renovável dobra. Chegará a 60 GW em 2025 contra os 32 GW de 2019. No final do período, o parque de energias limpas se distribuirá entre eólica onshore (26 GW), offshore (4 GW), solar (16 GW) e hidrelétrica, tanto tradicional quanto de armazenamento (14 GW).
  • Compromisso com o meio ambiente, neutra em carbono em 2030. Com emissões de CO2/kWh que já são dois terços inferiores em relação à média europeia, a estratégia de investimento em energias limpas e na área de redes levará a Iberdrola a ser uma companhia “neutra em carbono” na Europa em 2030 e a reduzir suas emissões de CO2 em termos globais em 86% até 50g/kWh no final da década. Como contribuição adicional, a companhia plantará 20 milhões de árvores até 2030 e 8 milhões até 2025.
  • As redes como fator-chave na eletrificação da economia e na dinamização dos territórios. Os investimentos previstos na área de redes ultrapassarão a cifra de 27 bilhões de euros até 2025 e a Base de Ativos Regulatória chegará a 47 bilhões de euros em 2025, depois de ter se multiplicado 1,5 vezes em relação ao ano de 2019.
  • Soluções inteligentes, digitais e inovadoras para os clientes. A companhia alcançará a cifra de 60 milhões em contratos com clientes no mundo até 2025, aos quais oferecerá soluções inteligentes e inovadoras no âmbito residencial (armazenamento de energia e bomba de calor, autoconsumo e mobilidade elétrica) e industrial (smart solutions, processos de eletrificação e hidrogênio verde).
  • O hidrogênio verde, vetor estratégico para a indústria. Em consonância com os planos de recuperação europeus, planeja a instalação de 600 MW operacionais em 2025, sendo 800 MW até 2027 junto à empresa Fertiberia. Os primeiros projetos na Espanha se complementarão com iniciativas em outros países, liderando ao mesmo tempo o desenvolvimento da cadeia de valor e as parcerias com mais grupos industriais.


MODELO SÓLIDO: CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL E CRIAÇÃO DE VALOR
  • Revisão com tendência altista das perspectivas para 2022:
    • Investimentos. Aceleração dos investimentos que chegarão a 36 bilhões de euros no período 2020-2022, 48% dos 75 bilhões até 2025.
    • Desenvolvimento do tecido industrial e criação de empregos. A antecipação das compras feitas dos fornecedores - 10 bilhões de euros durante 2020 - impulsiona a criação de cerca de 30.000 empregos e mais de 10.000 novas contratações no grupo em âmbito mundial até 2022.
    • Resultados. Consequentemente, o lucro líquido no final de 2022 se situará no intervalo entre 4,0 e 4,2 bilhões de euros.
  • Lucro líquido de 5 bilhões de euros em 2025. Os investimentos e a eficiência impulsionarão os resultados da Iberdrola no que se refere ao EBITDA, chegando a 15 bilhões de euros, enquanto o lucro líquido atingirá a cifra aproximada de 5 bilhões de euros até 2025, o que implica um crescimento anual que se situa entre 6% e 7%.
  • Solidez financeira. A Iberdrola mantém seu compromisso com sólidas notações de crédito e seus índices de solvência atuais, suportados por sua capacidade de gerar maiores fluxos de caixa. Uma vez completados desinvestimentos de 4,6 bilhões de euros em 2020 - situando-se acima dos 3,5 bilhões previstos até 2022 - planeja novos desinvestimentos no valor de 3 bilhões de euros entre 2021 e 2025.
  • A remuneração ao acionista aumenta em consonância com os resultados. Em um cenário de crescimento de investimentos, a remuneração ao acionista aumentará em consonância com os resultados e se estabelece um mínimo crescente que se situa entre 0,40-0,44 euros por ação até 2025. O 'pay-out' permanecerá entre 65% e 75%.
  • Com os olhos postos em 2030. Em consonância com os objetivos climáticos de seus principais mercados, a Iberdrola avança em um horizonte de dez anos onde aumentará sua capacidade renovável instalada para 95 GW, depois de ter multiplicado 2,5 vezes sua potência eólica onshore e solar e 4,5 vezes a offshore e 2 vezes seus ativos regulados que chegarão a 60 bilhões de euros. A eletrificação dos usos energéticos fará com que a Iberdrola aumente a base de seus contratos com clientes para 70 milhões e as toneladas de hidrogênio verde para 85.000.

A Iberdrola lança um plano de investimento histórico de 75 bilhões de euros para o período 2020-2025 com o objetivo de se adiantar e aproveitar as oportunidades da revolução energética que as principais economias do mundo deverão enfrentar. 90% desse volume de investimento, ou seja, 68 bilhões de euros, será orgânico e se destinará à consolidação de seu modelo de negócio, baseado em mais energias renováveis, mais redes, mais armazenamento e mais soluções inteligentes para seus clientes. O restante, 7 bilhões de euros, corresponde à aquisição recentemente anunciada da empresa americana PNM Resources[1]. Esse ritmo de investimentos sem precedentes representará um investimento médio de 10 bilhões de euros/ano entre 2020 e 2022 e de 13 bilhões de euros anuais no período de 2023 a 2025.

A estratégia investidora da Iberdrola, junto à sua política de eficiência, lhe permitirá seguir registrando um crescimento rentável durante o período, enquanto mantém a solidez financeira e a remuneração a seus acionistas. O grupo prevê obter um EBITDA de 15 bilhões de euros até 2025, o que significa aumentar em 5 bilhões de euros o conseguido em 2019, registrando um crescimento médio anual acumulado de 7%. O lucro líquido, por sua parte, chegaria a 5 bilhões de euros, após crescer anualmente entre 6% e 7% durante o período.

Aproveitou-se a apresentação das previsões para 2025 para fazer uma revisão com tendência de alta das perspectivas do grupo até 2022, apesar de enfrentar o contexto COVID-19. Portanto, o lucro líquido em 2022 se situará no intervalo entre 4,0 e 4,2 bilhões de euros, contra os 3,7-3,9 bilhões previstos para este ano no plano 2018-2022. Os investimentos brutos sofrerão um aumento de 35% e alcançarão a cifra de 50 bilhões, sendo 36 bilhões no período 2020-2022, contra os 38 bilhões previstos, e as eficiências atingirão aproximadamente 1,6 bilhão, superando a cifra de 1,2 bilhão de euros prevista no anterior plano mantendo, assim, a classificação em níveis BBB+/ Baa1.


Criação de valor e oportunidade para a indústria e geração de emprego

O programa de investimentos promovido pela Iberdrola para os próximos seis anos, o maior de uma empresa espanhola, contribuirá para a dinamização do tecido industrial e a criação de empregos nos países onde o grupo está presente.

É o que explicou o presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, na apresentação do Plano 2020-2025: “Nosso modelo de negócio, após nos anteciparmos em 20 anos à transição energética, nos posiciona como um agente propulsor fundamental na transformação do tecido industrial, impulsionando com nossa experiência o compromisso social e a capacidade financeira, um modelo de crescimento econômico sustentável de longo prazo capaz de enfrentar os atuais desafios da sociedade.”

A Iberdrola manterá como pilares de sua atividade a economia social de mercado e a Agenda 2030 das Nações Unidas, os investimentos e as compras de bens e serviços de seus mais de 22.000 fornecedores contribuindo para a manutenção de cerca de 500.000 postos de trabalho em 2025 no mundo. Também prevê cerca de 20.000 novas contratações no grupo durante o mesmo período, e em 2022 fará mais de 10.000 contratações e incentivará a criação de até 30.000 empregos.

Considerando apenas o ano de 2019, a companhia contribuiu com 8,2 bilhões de euros para a fiscalidade dos países onde está presente, espera que seu esforço tributário aumente em 2025 até 12 bilhões de euros, sendo a média anual do período (2020-2025) de 10,3 bilhões de euros, consequência da maior atividade que implica o desenvolvimento do novo plano.

Em um cenário de crescimento de investimentos, a remuneração ao acionista aumentará em consonância com os resultados e se estabelece um mínimo crescente que se situa entre 0,40-0,44 euros por ação até 2025. O grupo continuará executando seu programa 'Iberdrola Remuneração Flexível' com seus correspondentes programas de recompra, os quais evitam o efeito de diluição dos acionistas. Mantém-se a política de dividendos e o 'pay out' se situa entre 65% e 75%.


A metade dos investimentos orgânicos se destinará à área de renováveis, principalmente na Espanha, RU e EUA

O plano de investimento histórico da Iberdrola para o período 2020-2025 se destinará principalmente à área de renováveis, representará mais da metade (51%) dos investimentos orgânicos, aproximadamente 34,68 bilhões de euros, e a área de redes abrangerá aproximadamente 40%, ou seja, ao redor de 27,2 bilhões. A área de clientes receberá 9%.

Os investimentos estão focados em países com ambições climáticas e classificação A. À Espanha serão destinados aproximadamente 14,3 bilhões de euros de investimentos, ou seja, 21% do total do grupo representando um aumento de 60% em relação ao plano anterior. Nesse mercado, mais de 7 bilhões serão destinados à área de renováveis e mais de 4,5 bilhões de euros à de redes.

Os Estados Unidos e o Reino Unido, por sua parte, concentram 34 bilhões de euros do investimento, cerca de 50% do total. Cresce a aposta em outras áreas internacionais com investimentos de mais de 11 bilhões de euros. Do total, 83% dos investimentos vão dirigidos a países com classificação A, em consonância com a estratégia da companhia de apostar neste tipo de mercados.

Os investimentos em energias renováveis permitirão que a Iberdrola alcance 60 gigawatts (GW) em 2025, depois de atingir 44 GW de capacidade instalada em 2022. Tal fato significará dobrar sua potência atual, dando um grande impulso à tecnologia eólica offshore, com 4 GW no final do período, uma tecnologia que proporciona 5 vezes o EBITDA/MW se comparada com a energia solar fotovoltaica e 3 vezes a energia eólica terrestre. A aposta da Iberdrola também lhe permitirá crescer em termos de energia solar fotovoltaica, com uma previsão de 16 GW instalados no final do período e reforçar sua liderança em energia eólica onshore e hidrelétrica com 26 GW e 14 GW instalados em 2025, respectivamente.

Para concretizar o plano, a Iberdrola parte de uma posição única, com uma das maiores carteiras renováveis do setor; um total de 70,5 GW distribuídos por suas áreas tradicionais, reforçadas neste ano com novos mercados como Austrália, Japão e Suécia, e por suas principais tecnologias: 30,7 GW são fotovoltaicos; 20,2 GW eólicos offshore e 16,3 GW onshore. Atualmente, a companhia avança na construção de 7 GW e teria até 1 GW em execução em 2025.


Mais investimentos na área de redes (cerca de 40% do total) e crescimento da base de clientes

A área de redes continua sendo considerada pelo grupo como fator essencial na eletrificação da economia e na dinamização dos territórios. Dessa forma, e junto à área de de renováveis, o modelo e a estratégia da Iberdrola continuarão dando ênfase aos ativos regulados. A companhia destinará cerca de 40% de seus investimentos orgânicos à área de redes - mais de 27 bilhões -, através dos quais situará a base de ativos regulados do grupo em 47 bilhões de euros em 2025, 1,5 vezes seu valor atual. Essa cifra contempla investimentos em transmissão, que chegarão a 4 bilhões.

A Iberdrola continuará digitalizando suas redes, como elemento fundamental para para promover as redes inteligentes e garantir a inclusão em massa das energias renováveis em um futuro próximo. No final do período, a Iberdrola terá instalado mais de 21 milhões de medidores inteligentes e 83% de seus ativos estarão em países com Classificação A.

A progressiva eletrificação dos usos energéticos permitirá que a Iberdrola aumente sua base de clientes. No final de 2025, a companhia alcançará a cifra de 60 milhões em contratos com clientes no mundo, contra os 42 milhões consolidados de 2019, aos quais oferecerá soluções inteligentes e inovadoras no âmbito residencial (armazenamento de energia e bomba de calor, autoconsumo e mobilidade elétrica) e industrial.

O hidrogênio verde se converte precisamente em um vetor estratégico para o segmento industrial. Alinhado com os planos de recuperação europeus, a companhia prevê a instalação de 600 MW até 2025, sendo 800 MW até 2027, junto à empresa Fertiberia, e produzirá 15.000 toneladas de hidrogênio renovável. Os primeiros projetos na Espanha - até 2021 já haverá vários megawatts instalados- serão completados com mais iniciativas em outros países, liderando, ao mesmo tempo, o desenvolvimento de uma cadeia de valor para respaldar a implantação de novos fabricantes de eletrolisadores e promover parcerias com outros grupos industriais.

Apesar do inigualável ritmo investidor que o grupo terá nos próximos anos, a Iberdrola prevê manter suas notações de crédito em níveis BBB+/Baa1 e seus índices de dívida atuais, suportados por sua capacidade de gerar maiores fluxos de caixa. A companhia mantém uma forte diversificação de suas fontes de financiamento que lhe permitem um acesso cômodo a diferentes mercados e a gestão ativa de liquidez, que se situa entre 15 e 22 bilhões de euros.

A Iberdrola manterá uma abordagem flexível em função das oportunidades de investimento e dos índices financeiros. Uma vez completados desinvestimentos de 4,6 bilhões de euros até 2020 - situando-se acima dos 3,5 bilhões previstos até 2022 -, planeja novos desinvestimentos no valor de 3 bilhões de euros entre 2021 e 2025.

Na apresentação das previsões operacionais e financeiras para o período 2000-2025 e em consonância com os objetivos climáticos de seus principais mercados, a companhia avançou em um horizonte de dez anos, onde aumentará para 95 GW sua capacidade renovável instalada, depois de ter multiplicado 2,5 vezes sua potência eólica onshore e solar, 4,5 vezes a offshore e 2 vezes seus ativos regulados que chegarão a 60 bilhões de euros até 2030. No final desse período, a base de seus contratos com clientes aumentaria para 70 milhões e as toneladas de hidrogênio verde para 85.000.


Objetivos ambientais e sociais em um ambiente global em transformação

Nos últimos 20 anos passou de ser uma utility local a se converter em um líder energético global que quadruplicou sua capacidade renovável, quintuplicou seu EBITDA, quadruplicou seu lucro líquido e multiplicou por seis seu valor de mercado, ao mesmo tempo que reduziu suas emissões de CO2 em cerca de 75%, fechou suas instalações de carvão e triplicou a remuneração de seus acionistas. Tudo isso acompanhado por um profundo processo de diversificação geográfica e fortalecimento do balanço.

Dessa forma, a Iberdrola enfrenta com uma posição única a revolução energética global, concentrando-se em países com ambiciosos objetivos climáticos e energéticos, como o conjunto da Europa, Brasil, Estados Unidos, Austrália e Japão, e sólidos compromissos de redução de emissões no médio e longo prazo, que envolverão a implantação de nova capacidade renovável, suportada por redes mais inteligentes e apoiada por sistemas de armazenamento.

Nesse contexto, com vistas a 2025, a empresa continuará reforçando os pilares no âmbito ambiental, social e de governança (ESG). Com emissões de CO2/kWh que já são dois terços inferiores à média europeia, a estratégia de investimento em energias limpas e redes levará a Iberdrola a ser uma empresa “neutra em carbono” na Europa em 2030 e a reduzir suas emissões de CO2 em âmbito global em 86%, ou seja, 50g/kWh no final da década, e 70g/kWh no final de 2025. Como contribuição adicional, a empresa plantará 20 milhões de árvores até 2030 e 8 milhões até 2025.

Junto à redução contínua de emissões de carbono, sua ambição também abrangerá outros âmbitos, como o investimento em P&D, que chegará a 400 milhões de euros anuais em 2025, em comparação com os 330 milhões anuais de 2022 e os 280 milhões de 2019.

A Iberdrola manterá como sustentáculo seu compromisso com a criação de empregos de qualidade. Igualmente, reforçará sua aposta no treinamento, com um aumento das horas por trabalhador, que já representam 4 vezes a média europeia. Para além disso, promoverá outros compromissos como a igualdade de gênero, aumentando seu objetivo para 30% de mulheres executivas, contra os 20% atuais, e uma diferença salarial inferior a 2% em 2025.

A Iberdrola continuará implementando as melhores práticas de governança corporativa, triplicará suas atuações em termos de cibersegurança e conseguirá que, pelo menos, 75% de seus fornecedores em 2025 tenham políticas de sustentabilidade.





[1] Pendente das autorizações pertinentes.

Acesso a informação legal