NotíciaVolver

08/10/2021

Continúa su apuesta por activos regulados/redes eléctricas, a las que destinará la mitad de sus inversiones a 2025 y 2030, y la apertura de nuevas plataformas de crecimiento internacionales

A Iberdrola está participando da licitação da construção e operação de uma rede elétrica de 1.500 km no Chile com um investimento superior a 2,5 bilhões de dólares

  • Lidera o consórcio integrado pela empresa espanhola Elecnor (fornecedor da companhia, especializado em linhas e infraestruturas de redes e com uma década de experiência na Espanha) e pelo fundo de pensões holandês APG
  • O vencedor da licitação será divulgado em dezembro e a colocação em serviço da linha está prevista em 2028

O consórcio liderado pela Iberdrola foi selecionado para participar da licitação da construção e operação da primeira linha de corrente contínua de longa distância no Chile, a qual percorrerá 1.500 km de linhas de 600 kV e uma capacidade de 3.000 MW entre a subestação de Kimal (região de Antofagasta) e Lo Aguirre (região Metropolitana). O investimento previsto no desenvolvimento dessa infraestrutura é superior a 2,5 bilhões de dólares.

A Iberdrola entra nessa licitação em um consórcio (do qual é detentora de 60%), junto à empresa Celeo (participada pela empresa espanhola Elecnor) e o fundo de pensões holandês APG. A Elecnor é uma empresa com a qual a Iberdrola colabora em vários projetos espanhóis e internacionais e com uma experiência de mais de uma década no Chile, onde construiu mais de 1.000 km de linhas e infraestruturas de redes elétricas.

O projeto inclui a construção de duas estações conversoras de corrente contínua (LCC, line-commutated current-sourced converter) - com comprovada tecnologia Siemens semelhante à utilizada na linha Western Link operada pela Iberdrola no Reino Unido -, que permitirão a injeção de energia renovável nas regiões com uma demanda superior. Do mesmo modo, contempla outras secções de ligação de corrente alternada e trabalhos de melhoria das subestações existentes.

O processo de licitação iniciado hoje, com a apresentação das ofertas, culminará com a seleção do consórcio vencedor no dia 13 de dezembro de 2021. Estima-se a colocação em serviço da linha em 2028.

No caso de resultar ganhadora, a Iberdrola iniciaria sua atividade em uma nova plataforma de crescimento internacional: Chile. Tudo isso após reforçar no último ano e meio sua posição em mercados core e entrar em outros países europeus e da Ásia-Pacífico.


A área de redes, sistema fundamental da transição, às quais destinará a metade de seus investimentos

A Iberdrola, que lidera há duas décadas a transição energética, atua como agente indutor para a transformação do tecido industrial, a recuperação verde da economia e a criação de empregos.

A companhia lançou um plano de investimento histórico de 150 bilhões de euros para a próxima década - 75 bilhões de euros para 2025 -, através do qual triplicará a capacidade de energias renováveis e dobrará os ativos de redes, assim como aproveitará as oportunidades oferecidas pela revolução energética que as principais economias do mundo enfrentam.

Quase a metade desse volume de investimento se destinará à atividade de redes elétricas, com o objetivo de dar continuidade à sua implantação internacional, consolidar uma sólida rede de distribuição e dotá-la de flexibilidade, baseando-se em um ambicioso processo de digitalização como elemento essencial para responder às futuras necessidades do sistema elétrico.

Iberdrola opera um dos sistemas de distribuição elétrica mais importantes do mundo; mais de 1,2 milhão de quilômetros de linhas de transmissão e distribuição elétricas e mais de 4.400 subestações, que distribuem eletricidade para mais de 34 milhões de pessoas no mundo, em países como Espanha, Reino Unido, Estados Unidos e Brasil.

Os ativos regulados chegarão a 47 bilhões até 2025 e se situarão principalmente em países com Rating A. Até 2030, a companhia prevê multiplicar por dois o valor regulado de seus ativos de redes (até 60 bilhões de euros).

Acesso a informação legal