TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

Dispomos de um plano de investimento de 75 bilhões de euros até 2025 para continuar liderando a transição energética

Após antecipar-se em 20 anos à atual transição energética, o grupo Iberdrola dispõe agora de um plano de investimento histórico de 75 bilhões de euros até 2025 visando adiantar-se à revolução energética enfrentada pelas principais economias do mundo e consolidar seu modelo de negócio, baseado em mais energias renováveis, mais redes, mais armazenamento e mais soluções inteligentes para os clientes.

A luta contra as mudanças climáticas é um dos mais importantes desafios que a humanidade deve enfrentar no século XXI e o envolvimento no processo de mudança para uma economia descarbonizada, baseada em energias renováveis, é uma tarefa de todos. A meta mínima de 32 % de energia proveniente de fontes renováveis até 2030, fixada pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho na Diretriz de Energias Renováveis, é alcançável. No entanto, isso exige um cenário de alta descarbonização e eletrificação da economia, através da utilização de combustíveis descarbonizados em nichos difíceis de eletrificar.

Iberdrola
Descarbonizaçãoeeletrificaçãodaeconomia
Principaisbenefícios
Favorece a eficiência energética.
Melhora a qualidade do ar.
Impulsiona a evitalização da
indústria
e a criação
de empregos.
Favorece a implantação
das energias renováveis.
Contribui com o processo da redução
da dependéncia energética
de
petróleo e gás.
Impulsiona o desenvolvimento sustentável.
Favorece para uma redução
substancial e estrutura do preço
e davolatilidade da eletricidade.
Reduz as
emissões de CO2
e combate as
mudanças climáticas.
Maior rentabilidade
para as empresas
que a aplicam.
Acelera a digitalização
do setor energético.

 

PIONEIROS DA TRANSIÇÃO DE ENERGIA

O grupo Iberdrola se comprometeu a liderar a transição energética, uma responsabilidade iniciada já faz 20 anos e na qual investiu 100 bilhões de euros até agora, o que o converte no líder mundial em termos de energias renováveis. Também serão adicionados a esses investimentos — destinados à eletrificação da economia, à inovação, aos avanços tecnológicos e a uma maior conectividade do consumidor — durante o período 2020-2025 um total de 75 bilhões de euros, dos quais 90 % corresponderão ao crescimento orgânico.

Desse investimento orgânico — 68 bilhões de euros —, 40 % se destinará a redes e 51 % a energias renováveis, tecnologia cuja capacidade alcançará os 60 GW em 2025, contra os 32 GW de 2019. Da mesma forma, 83 % desse investimento serão direcionados a países com ambições climáticas e classificação A. A Iberdrola instalou cerca de 1.300 megawatts (MW) de capacidade no encerramento dos Nove meses 2020 e mais de 4.900 MW no último ano. A esse esforço em investimentos devemos adicionar os 7.600 MW que atualmente estão em construção.

Os pilares que permitiram nos anteciparmos à transição energética são: o investimento em um sistema elétrico mais limpo e confiável, a otimização de nossa carteira, a maximização da eficiência e a promoção da inovação.

Transição energética.#RRSSTransição energética.

Ignacio Galán, presidente do grupo Iberdrola

Nosso modelo de negócio, após nos anteciparmos em 20 anos à transição energética, nos posiciona como um agente indutor fundamental na transformação do tecido industrial, impulsionando com nossa experiência o compromisso social e a capacidade financeira, um modelo de crescimento econômico sustentável de longo prazo capaz de enfrentar os atuais desafios da sociedade

A eletricidade é essencial para descarbonizar os usos energéticos mediante energias renováveis para criar um âmbito energético sustentável e eficiente. A eletricidade é o vetor energético que permite uma maior participação das energias limpas, ao mesmo tempo que melhora radicalmente a eficiência global do sistema energético.

A aposta da Iberdrola em um futuro descarbonizado se alicerça tanto em sua experiência atual como líder mundial em energias renováveis quanto em uma profunda análise das tecnologias atuais e em sua possível evolução futura, incentivando a inovação e estudos internos de prospecção energética nas diferentes áreas onde opera e mediante sua colaboração em instituições internacionais de reconhecido prestígio, como a Agência Internacional da Energia.

 Estudo 2050 Holistic & Efficient Roadmap for a Zero-Emissions EU Energy [PDF]

 


ELETRIFICAÇÃO DO TRANSPORTE E DA EDIFICAÇÃO

O transporte é responsável por um quarto das emissões de CO2 em âmbito mundial e pela maior parte da poluição das cidades. Uma via muito eficaz para solucionar ambos os problemas, uma vez que têm uma origem comum, é eletrificar o transporte através do veículo elétrico, conseguindo um maior aproveitamento da energia devido à sua maior eficiência.

A Iberdrola está comprometida com a eletrificação do transporte, tendo desenvolvido um ambicioso Plano de Mobilidade Sustentável. Também foi a primeira empresa espanhola a aderir à iniciativa EV100 do The Cimate Group, comprometendo-se a eletrificar toda a sua frota na Espanha e Reino Unido até 2030.
 

Plano Smart Mobility


 

Outro elemento importante é a descarbonização da energia em edifícios através do incentivo ao autoconsumo ou da utilização de bombas de calor, por isso a Iberdrola também analisa as tendências do futuro. A Iberdrola trabalha com diversas instituições, tal como o Oxford Institute for Energy Studies, para analisar todas as possíveis soluções de descarbonização e tendências do sistema elétrico, e ter uma visão informada e desenvolver respostas.

COMPROMISSOS DE DESCARBONIZAÇÃO E PARCERIAS

Com esses avanços rumo a um futuro sustentável, e em consonância com o Acordo de Paris, o grupo assumiu seus próprios compromissos de descarbonização. Com emissões de CO2/kWh que já são dois terços inferiores à média europeia, a estratégia de investimento em energias limpas e redes levará à Iberdrola a ser uma companhia neutra em carbono na Europa até 2030 e a reduzir em 86 % — até 50g/kWh — suas emissões de CO2 em âmbito global no final da década, chegando a ser neutra em carbono em termos mundiais até 2050.

Da mesma forma, sempre em consonância com o objetivo de criar um setor energético descarbonizado, a Iberdrola também colabora com diversas parcerias internacionais, com participação pública e privada, que têm como finalidade acelerar a transição energética para facilitar um crescimento econômico robusto e sustentável, tais como a Energy Transitions Commission ou o Joint Program on the Science and Policy of Global Change do Massachusetts Institute of Technology (MIT).

O presidente do grupo, Ignacio Galán, também se uniu a um manifesto, que contou com a participação de mais de 150 empresários e investidores, para exigir dos líderes da União Europeia apoio aos ambiciosos objetivos estipulados no European Green Deal e reduzir as emissões de gases de efeito estufa em pelo menos 55 % até 2030.

Este compromisso da companhia para reduzir as emissões e fomentar a descarbonização da economia através do fomento das energias limpas há levado a agência S&P Platts concedeu à Iberdrola na noite passada o prêmio à Transição Energética, única distinção não sujeita a indicação e baseada em um estudo externo objetivo.

A Iberdrola lidera a transição energética para um modelo sustentável através de seus investimentos em energias renováveis, redes inteligentes, armazenamento de energia em grande escala e transformação digital para oferecer os mais avançados produtos e serviços aos seus clientes.

LÍDERES EM ENERGIAS RENOVÁVEIS

O plano de investimento histórico da Iberdrola para o período 2020-2025 se destinará principalmente às energias renováveis, uma área que representará mais da metade (51 %) dos investimentos orgânicos: aproximadamente 34,68 bilhões de euros. Tais investimentos permitirão que o grupo se situe em 60 GW até 2025, depois de chegar a 44 GW de capacidade instalada em 2022.

Significará duplicar sua potência atual, dando um grande impulso à tecnologia eólica offshore (com 4 GW no final do período) e à solar fotovoltaica (com uma previsão de 16 GW instalados no final do período). Além disso, a companhia reforçará sua liderança em energia eólica onshore e hidrelétrica, com 26 GW e 14 GW instalados em 2025, respectivamente.

Para concretizar o plano, a Iberdrola parte de uma posição única, com uma das maiores carteiras de energias renováveis do setor, representando um total de 70,5 GW distribuídos entre suas áreas tradicionais, as quais foram reforçadas em 2020 através de novos mercados como a Austrália, Japão e Suécia. Desses gigawatts projetados, 30,7 GW são fotovoltaicos, 20,2 GW eólicos offshore e 16,3 GW onshore. Atualmente, a companhia avança na construção de 7 GW e teria até 11 GW em execução em 2025.

A Iberdrola duplicará sua potência atual renovável até 2025.#RRSSA Iberdrola duplicará sua potência atual renovável até 2025.

A aposta em um meio ambiente livre de emissões tem como protagonista um maior desenvolvimento das energias renováveis. Sua implantação maciça permitirá reduzir as emissões, mas essa não será sua única vantagem: criará e sustentará empregos de qualidade, aumentando a competitividade do setor. "Longe de ser um problema, nossa luta contra as mudanças climáticas é uma oportunidade", tal como afirmou o presidente do grupo Iberdrola, Ignacio Galán, durante a Conferência de Ação Climática 2019, realizada em Nova York em 23 de setembro.

A Iberdrola é líder do setor energético internacional e a primeira geradora eólica da Europa. No encerramento dos Nove meses 2020, a Iberdrola dispunha de 54.032 MW (megawatts) de capacidade instalada, dos quais 79 % do total correspondem a tecnologias livres de emissões. A Iberdrola já gera 100 % de sua energia com emissão zero em países como o Reino Unido, Alemanha ou Portugal. Além disso, durante 2020 continuaremos reforçando nossa posição em outros mercados, tais como a Itália ou Grécia, assim como nossa estratégia de criação de plataformas de crescimento de energias renováveis em novos mercados através da realização de operações corporativas no Japão, Austrália, Suécia e França.

O HIDROGÊNIO VERDE: VETOR ESTRATÉGICO PARA A INDÚSTRIA

Em consonância com os planos de recuperação europeus, o grupo prevê a instalação de 600 MW de hidrogênio verde até 2025, que em 2027 chegarão a 800 MW. A companhia já trabalha, junto à empresa Fertiberia, no desenvolvimento da maior usina de hidrogênio verde para uso industrial da Europa, a qual estará em funcionamento em 2021 e representará um investimento de 150 milhões de euros.

Este primeiro projeto será complementado com iniciativas em outros países, enquanto a Iberdrola liderará o desenvolvimento de uma cadeia de valor para respaldar a implantação de novos fabricantes de eletrolisadores e promoverá parcerias com outros grupos industriais. Nesse sentido, a companhia assinou um acordo com a empresa norueguesa Nel, a maior fabricante de eletrolisadores do mundo, para desenvolver eletrolisadores de grande tamanho e promover a criação de uma cadeia de fornecedores dessa tecnologia na Espanha. Para concretizar o projeto, a energética constituiu, junto à empresa Ingeteam, localizada no País Basco, a companhia Iberlyzer, que se converterá na primeira fabricante de eletrolisadores em larga escala da Espanha.

Da mesma forma, a Iberdrola anunciou a criação de uma nova unidade de negócio de hidrogênio verde com o objetivo de se posicionar como líder mundial nessa tecnologia.

O hidrogênio verde se apresenta como a solução para a descarbonização eficiente no médio prazo, tanto da indústria que o utiliza como matéria-prima quanto para processos difíceis de eletrificar, tais como o transporte pesado. Portanto, até 2030 a eletrificação dos usos energéticos permitirá chegar a 85.000 toneladas de hidrogênio verde.

 Energias renováveis, chave na luta contra as mudanças climáticas
 

Conheça nossa participação na agenda climática global


EM PROL DE UMA TRANSFORMAÇÃO VERDE

A crise gerada pela pandemia da COVID-19 fez com que surgissem diferentes abordagens que defendem impulsionar a transição para um modelo socioeconômico neutro, sustentável, resiliente e inclusivo. A Iberdrola está plenamente comprometida com a recuperação verde (Green Recovery), um cenário no qual já trabalha há 20 anos.

O plano de investimento para o período 2020-2025 apoia essa visão pois, os 75 bilhões previstos contribuirão de forma decisiva para a recuperação econômica. Mantendo os pilares da economia social de mercado e a Agenda 2030 das Nações Unidas, os investimentos e as compras de bens e serviços realizadas aos seus mais de 22.000 fornecedores ajudarão na manutenção de cerca de 500.000 empregos em 2025 no mundo. Da mesma forma, o grupo prevê fazer aproximadamente 20.000 novas contratações durante o mesmo período.

Green Recovery.

'Green Recovery'

Diante da crise da COVID-19, surgem opiniões que propõem aproveitar a oportunidade para promover a transição em direção a um modelo socioeconômico neutro, resiliente e sustentável.
Medidas de recuperação verde.

Medidas de recuperação verde

Cada vez mais governos, organismos e empresas apostam em uma recuperação verde após a COVID-19.
European Green Deal.

European Green Deal

O Green New Deal é um movimento que visa a salvação do planeta para as novas gerações tomando como base um crescimento sustentável.
Descarbonizar com energias renováveis.

Descarbonizar com energias renováveis

Para descarbonizar a economia europeia até 2050 serão fundamentais a eletrificação do transporte e do aquecimento residencial e a obtenção de eletricidade através das energias renováveis.
Transformação verde.

Apostamos em uma transformação verde

A companhia continua com o processo de fechamento de todas as suas usinas de carvão e propôs planos de transformação verde para as áreas onde estão localizadas suas duas últimas instalações em funcionamento.
Hidrogênio verde.

Hidrogênio verde

A descarbonização do planeta é um dos objetivos estipulados por países de todo o mundo até 2050. O hidrogênio verde é uma das chaves para conseguir esse objetivo.
Bônus verdes.

O que são os bônus verdes e para que são utilizados?

São um tipo de dívida emitida por instituições públicas ou privadas que comprometem o uso dos fundos obtidos com uma finalidade ambiental.
Economia circular.

A economia circular, na base

O grupo apoia seu modelo de negócio sustentável sobre a redução de emissões, melhoria da eficiência e otimização de recursos.
Desenvolvimento rápido e ecológico.

Desenvolvimento rápido e ecológico

Em um artigo exclusivo do SHAPES, Erik Solheim, ex-diretor executivo do PNUMA, argumenta que, "pela primeira vez, um novo modelo de desenvolvimento ecológico é possível".
Pegada de carbono.

O que é a pegada de carbono e por que é vital reduzi-la?

A pegada de carbono representa o volume total de gases de efeito estufa (GEE) gerado pelas atividades econômicas e cotidianas do ser humano.
Comprometidos com os ODS.

Comprometidos com os ODS

A Iberdrola incluiu em sua estratégia empresarial os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.
Agenda 2030.

O que é a Agenda 2030?

Todos os Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovaram a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, um plano de ação em prol das pessoas e do planeta que engloba os 17 ODS.

LÍDER MUNDIAL EM DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE REDES INTELIGENTES

A transição energética requer importantes investimentos na modernização, digitalização e automatização das redes para garantir uma transição eficiente, segura e confiável. Será necessário desenvolver novas equipes de redes, de software, aplicativos e sistemas de comunicação avançados. A necessidade dessas soluções tecnológicas gera investimento em I+D, inovação e conhecimento. Também na criação da malha industrial que, além disso, poderá ser exportada, gerando assim mais valor.

O grupo Iberdrola se converteu em líder mundial no desenvolvimento e implantação de redes inteligentes ao lançar uma das mais avançadas do mundo na Espanha, Estados Unidos, Brasil e Reino Unido. Nos últimos anos, as empresas distribuidoras do grupo instalaram cerca de 14 milhões de medidores inteligentes, cifra que crescerá até 21 milhões em 2025, assim como foram incluídas à rede capacidades de gestão remota, supervisão e automatização.

A Iberdrola destinará 40 % de seus investimentos orgânicos previstos para o período 2020-2025 (mais de 27 bilhões de euros) à área de redes, situando a Base de Ativos Regulatórios do grupo em 47 bilhões de euros em 2025, 1,5 vezes seu valor atual. Essa cifra contempla investimentos na área de transmissão, que chegarão a 4 bilhões.

A Iberdrola também criou um centro mundial de inovação de redes inteligentes para dar resposta aos desafios da transição energética e liderar a inovação em redes de distribuição elétrica. O Global Smartgrid Innovation Hub atuará como plataforma propulsora da inovação, combinando sua capacidade tecnológica com a dos fornecedores, colaboradores e start-ups do mundo todo.

O centro iniciará suas atividades na primavera de 2021 e reunirá o potencial inovador de mais de 200 profissionais para o desenvolvimento de projetos de P&D relacionados aos desafios das redes elétricas do futuro, entre os quais, uma maior digitalização, o tratamento dos dados gerados por essas infraestruturas e a resposta, em termos de solidez e flexibilidade, da rede elétrica a novos modelos de consumo, como a mobilidade elétrica e o autoconsumo. As linhas de trabalho, de âmbito internacional, permitirão desenvolver e implantar soluções inovadoras para a atividade das redes elétricas do grupo Iberdrola no mundo.

 Medidores inteligentes instalados pela Iberdrola [PDF]

LÍDERES EM ARMAZENAMENTO DE ENERGIA EM GRANDE ESCALA

A companhia é líder em armazenamento de energia com potência de 4.400 MW instalados mediante tecnologia de bombeamento, o método de armazenamento energético mais eficiente atualmente, já que não gera nenhum tipo de emissão poluente à atmosfera e apresenta um rendimento muito superior às melhores baterias do mercado.

A Iberdrola tem atualmente cinco projetos de armazenamento por baterias: três na Espanha (dos quais o mais importante é o de Caravaca de la Cruz em Múrcia, com 3 MWh de capacidade e pioneiro no país, além do projeto do Campus da Iberdrola em Madri e do sistema SAGER em Vitória, norte da Espanha), um nos Estados Unidos (Oregon) e outro no Brasil (Fernando de Noronha).

Além disso, a sua próxima instalação em Puertollano (Ciudad Real) terá um sistema de baterias com uma potência de 5 MW e uma capacidade de armazenamento de 20 MWh.

SOLUÇÕES INTELIGENTES, DIGITAIS E INOVADORAS PARA OS CLIENTES

A progressiva eletrificação dos usos energéticos permitirá à Iberdrola aumentar sua base de clientes. No final de 2025, a companhia elevará para 60 milhões os contratos com clientes no mundo em comparação com os 42 milhões registrados no encerramento de 2019. O grupo oferecerá soluções inteligentes e inovadoras no âmbito residencial (armazenamento de energia e bomba de calor, autoconsumo e mobilidade elétrica) e industrial (smart solutions, processos de eletrificação e hidrogênio verde).

Para atingir esse objetivo, destinará 9 % dos investimentos orgânicos previstos em seu plano 2020-2025 à área de clientes, ou seja, um total de 6,12 bilhões de euros.

NA VANGUARDA DA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Neste processo necessário de transição energética, o grupo Iberdrola lidera o uso de tecnologias digitais e se prepara para enfrentar uma nova era onde as ferramentas disruptivas serão essenciais em todas as áreas. A companhia, que elevará seu investimento em P&D para 400 milhões de euros anuais em 2025, maximiza o uso da tecnologia nos âmbitos de negócio que agregam valor, seja melhorando os processos e a produtividade de seus ativos ou conseguindo uma maior eficiência em suas atividades.

Ler mais

Esta estratégia permite colocar o cliente no centro de todas as atividades: as redes são cada vez mais inteligentes e permitem a adaptação às novas necessidades e hábitos de consumo, promovendo maior eficiência e conectividade dos clientes. A digitalização da rede ou, o que é igual, a disponibilidade de uma infraestrutura que transporta eletricidade e dados, facilita a integração da energia renovável distribuída, uma gestão da rede cada vez mais ativa e a futura integração dos veículos elétricos, onde a Iberdrola desempenhará um papel decisivo em seu desdobramento na Espanha, graças à colocação em funcionamento do Plano 'Smart Mobility', em que se destaca o lançamento da nova App Recarga Pública Iberdrola que permite a reserva e o uso dos pontos de recarga da rede de Iberdrola, e também o lançamento da aplicação 'Smart Mobility Hogar' destinada ao controle das recargas dos equipamentos domésticos.

Fica evidente que a transição para um futuro sustentável irá exigir o melhor de todos os envolvidos no processo, e o grupo Iberdrola seguirá o caminho iniciado já há 20 anos, uma estratégia totalmente alinhada com a ação pelo clima (ODS 13).

Ocultar conteúdo

Todas as informações sobre

TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

O que são a transição ecológica e energética e quais são seus objetivos?

A transição ecológica implica adotar um novo modelo econômico e social onde possamos produzir, consumir e viver de forma sustentável. Para tal, é fundamental acelerar a transição energética, que consiste em uma mudança estrutural de longo prazo dos sistemas energéticos e que se baseia nas energias renováveis e na eficiência, deixando para trás o consumo de combustíveis fósseis, cujo uso energético gera cerca de dois terços das emissões mundiais de gases de efeito estufa. Portanto, a transição energética é essencial para cumprir os objetivos de emissões estabelecidos em âmbito internacionais no Acordo de Paris, assim como na União Europeia, para alcançar emissões líquidas nulas em 2050, com o fin de manter o aumento da temperatura média mundial abaixo de 1,5 °C. Na Espanha, o caminho da transição energética foi definido pelo Plano Nacional Integrado de Energia e Clima (PNIEC) 2021-2030, que determina os objetivos de redução de emissões de gases de efeito estufa, de penetração das energias renováveis e de eficiência energética nesse período (provavelmente será revisado após a redefinição dos objetivos pela União Europeia). Nesse sentido, o PNIEC prevê alcançar os seguintes objetivos até 2030:

Nesse sentido, o PNIEC prevê alcançar os seguintes objetivos até 2030:

- 23 % de redução nas emissões de gases de efeito estufa (GEE) em relação a 1990.

- 42 % de energias renováveis sobre o consumo total de energia final.

- 39,5 % de melhoria da eficiência energética.

- 74 % de energias renováveis na geração elétrica.

Qual o plano da Iberdrola para a transição energética?

O grupo Iberdrola se comprometeu a liderar a transição energética; tarefa iniciada há 20 anos e na qual já investiu 100 bilhões de euros até agora, o que o converte em líder mundial em energias renováveis. Graças à sua aposta, atualmente é uma das companhias com as emissões mais baixas e uma referência internacional devido à sua contribuição para a luta contra as mudanças climáticas e a sustentabilidade do planeta, apoiando abordagens ambiciosas de política e ação climática. A Iberdrola fixou como objetivo reduzir as emissões absolutas de Gases de Efeito Estufa em 2030 em relação aos níveis de 2017 e ser neutra em carbono até 2050 em âmbito global. De fato, nossas emissões de CO2 se mantêm dois terços abaixo em relação aos de nossos concorrentes europeus.

Os investimentos realizados pela Iberdrola foram pensados para que o setor elétrico esteja assentado nas energias renováveis, na eletrificação da economia, na inovação e nos avanços tecnológicos e em uma maior participação do consumidor. Para tal, em 2020 os investimentos ultrapassarão a cifra de 10 bilhões de euros — 40 % a mais do que a média dos três últimos anos —, e se traduzirão em até 4.000 novos MW de capacidade instalada — 8 % a mais — e em um aumento de aproximadamente 4 % na base de ativos regulados.

Além disso, a companhia trabalha para promover a inovação e aproveitar ao máximo o potencial do hidrogênio verde, trabalhando junto à Fertiberia, no desenvolvimento da maior usina de hidrogênio verde para uso industrial da Europa a partir de eletricidade 100 % renovável. O projeto ajudará a avançar na maturidade tecnológica do hidrogênio verde, a fim de convertê-lo em uma solução para uma descarbonização eficiente no médio prazo, tanto da indústria que o utiliza como matéria-prima quanto para outros usos difíceis de eletrificar.

Quais são as principais ações para a descarbonização?

As principais ações e/ou desafios para realizar o processo de descarbonização são três:

1. Descarbonização máxima do setor elétrico. Graças à crescente integração das energias renováveis, espera-se chegar a 75 % de geração elétrica renovável em 2030 na Espanha.

2. Descarbonização de outros setores através de uma maior eletrificação; sobretudo no setor dos transportes (via veículos elétricos - VE) e da edificação (via bomba de calor). Nesse âmbito, é necessário continuar promovendo a P&D em soluções limpas para conseguir uma maior descarbonização dos setores onde a eletrificação completa atualmente não é possível, como o transporte aéreo e marítimo.

3. Promover a eficiência energética para conseguir um maior aproveitamento por unidade de energia.

As redes elétricas e as soluções de armazenamento desempenharão um papel fundamental nessa transformação, facilitando a introdução das energias renováveis e a eletrificação da economia.

Qual o papel desempenhado pelo setor elétrico na transição energética?

A eletricidade desempenha um papel fundamental na luta contra as mudanças climáticas e no processo de transição energética para um modelo de instalações de energia limpa e que não se baseie no uso de combustíveis fósseis, cuja combustão gera grandes quantidades de gases de efeito estufa (GEE). A eletricidade é a opção mais eficiente e tecnologicamente disponível para descarbonizar os usos energéticos através de uma geração elétrica limpa, baseada em energias renováveis, e da eletrificação de outros usos energéticos. Assim sendo, a eletricidade é o vetor energético que permite uma maior participação das energias limpas, ao mesmo tempo que melhora radicalmente a eficiência global e a resiliência do sistema energético. As energias renováveis no setor elétrico são opções competitivas com outras fontes de geração convencionais. O desenvolvimento tecnológico também está chegando a usos finais de energia elétrica, como o transporte e a construção, possibilitando soluções competitivas baseadas na eletricidade. A integração adequada de uma maior geração renovável também precisa de redes de transmissão e distribuição eficientes e digitalizadas (smartgrids), bem como de soluções de armazenamento, incluindo soluções de hidrogênio verde. A grande versatilidade do hidrogênio permite seu uso naqueles nichos de consumo que são muito difíceis de eletrificar, como o calor de alta temperatura na indústria, transporte pesado de longa distância, aviação ou transporte marítimo.

De que forma o transporte sustentável influencia na transição energética?

O transporte, e principalmente o transporte sustentável, é um setor-chave no processo de descarbonização do modelo energético e, consequentemente, para a transição energética. Atualmente, o transporte é o principal responsável pelas emissões de efeito estufa na Espanha e representa um quarto das emissões de CO2 em âmbito mundial. Também é a principal causa da poluição do ar nas cidades. A eletrificação do transporte, através dos veículos elétricos, é essencial nesse processo, pois soluciona ambos os problemas: mudanças climáticas e poluição do ar.

A Iberdrola está comprometida com a eletrificação do transporte, tendo desenvolvido um ambicioso Plano de Mobilidade Sustentável, assim como é a única empresa espanhola que se propôs a eletrificar até 2030 toda a sua frota de veículos na Espanha e no Reino Unido através da coalizão EV100, The Climate Group.