O Rei Felipe VI visita em Bilbau o centro tecnológico da Iberdrola que definirá as redes elétricas do futuro

Notícia Volver

22/11/2021

Acompanhado pelo lehendakari (governador basco), Iñigo Urkullu, pela vice-presidente Nadia Calviño, pelo deputado-geral da Biscaia, Unai Rementeria, e pelo prefeito de Bilbau, Juan Mª Aburto

O Rei Felipe VI visita em Bilbau o centro tecnológico da Iberdrola que definirá as redes elétricas do futuro

  • Sua Majestade o Rei da Espanha visitou, junto ao presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, os projetos mais inovadores do Global Smart Grids Innovation Hub.

 

O Rei Felipe VI se reuniu nesta manhã em Bilbau com as empresas colaboradoras do Global Smart Grids Innovation, um Hub tecnológico promovido pela Iberdrola e a Diputación Foral de Bizkaia (órgão do governo provincial da Biscaia) que está dotado das últimas novidades em termos de digitalização, inteligência artificial e análise avançada de dados.

Trata-se de um centro onde já trabalham 50 empresas, centros tecnológicos e universidades em 120 projetos por um valor de 110 milhões de euros. O centro de inovação é um dos projetos estratégicos da Companhia que, a partir de Bilbau e para todos os mercados internacionais, trabalhará no desenvolvimento das redes elétricas do futuro, a pedra angular da transição energética.

Esse espaço de colaboração público-privado —com mais de 1.000 m2 e localizado na sede de redes da Iberdrola, em Larraskitu— nasce com o objetivo de acelerar a inovação e a PD&I no verdadeiro sistema nervoso da descarbonização: as redes inteligentes. Trata-se de um hub que une tecnologia de vanguarda, pesquisa, treinamento e empreendimento. Possui as últimas novidades em digitalização, inteligência artificial e análise avançada de dados, entre outros campos.

O Rei Felipe se interessou pelos diferentes projetos e especificamente pelo desenvolvimento das redes inteligentes, sua sustentabilidade, eficiência e como poderão ser benéficas na qualidade dos serviços. O presidente da Iberdrola destacou a importância do empreendimento e do investimento para enviar à sociedade uma mensagem de compromisso e de confiança.

A Torre Iberdrola de Bilbau também foi o cenário de uma sessão plenária da ERT, organização que engloba os principais empresários industriais europeus. Na mesma, intervieram, entre outros, o Rei Felipe; o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans; o presidente da ERT, Carl-Henric Svanberg; e o próprio presidente da Companhia, Ignacio Galán.

O Rei Felipe declarou que a competitividade e os objetivos climáticos não são mutuamente excludentes. Nestes momentos de desafios inigualáveis, é mais importante do que nunca a ação conjunta de governos, empresas e cidadãos.

Svanger reconheceu a boa oportunidade desse encontro para intercambiar ideias sobre algumas das principais tendências econômicas e sociais em um momento de aceleração da transição ecológica e digital.

Por sua parte, o presidente Ignacio Galán, em sua intervenção perante a ERT, afirmou que situar a descarbonização no centro da estratégia europeia e destinar recursos a setores de futuro melhorará a competitividade global da economia e criará empregos duradouros e de qualidade.  A Espanha, o País Basco e a Biscaia são grandes exemplos dos benefícios dessa transformação.


Principais características do Smart Grid Innovation Hub

O Global Smart Grids Innovation Hub será um polo de atração de talento e fomento das novas tecnologias que possibilitará a transição energética, maximizando o uso das energias renováveis, integrando plenamente os sistemas de armazenamento de energia e otimizando o acesso a novos usos da eletricidade, tal como a mobilidade e a climatização.

Antes de sua implementação oficial, a Iberdrola e o Conselho Municipal de Biscaia conseguiram reunir, por enquanto, as capacidades de 50 empresas industriais, universidades e centros tecnológicos, que proporcionam capacidade tecnológica, caráter industrial e experiência no âmbito da pesquisa.

O hub de inovação de redes inteligentes também é um projeto colaborativo internacional que agrupa o potencial de mais de 200 profissionais no desenvolvimento de projetos de inovação que serão implantados em países da Europa, América e Oriente Médio. Até o momento foram identificados 120 projetos avaliados em 110 milhões de euros.


Soluções digitais, desenvolvimento empresarial e perfil do trabalhador conectado/seguro

As linhas de trabalho oferecerão soluções em novos materiais e tecnologias para a redução do impacto ambiental das instalações elétricas, equipamentos para facilitar a integração das energias renováveis e potencializar a implantação dos veículos elétricos, eletrônica de potência e sistemas de armazenamento de energia ou digitalização da rede de distribuição apoiada nos sistemas de telecomunicações de última geração, como o 5G. Do mesmo modo, promoverá soluções relacionadas à economia e eficiência energética a partir da gestão da demanda ou da redução de perdas na rede.

Entre os principais setores de inovação do hub está a digitalização da rede de baixa tensão, a base para construir as smart cities do futuro. Portanto, nesse sentido, os projetos estarão voltados para desenvolver a nova geração de medidores inteligentes e conseguir que os equipamentos e a rede proporcionem dados e inteligência.

Também se trabalhará nas novas subestações inteligentes e sustentáveis para substituir os atuais ‘feixes’ de cabos de controle por ‘data buses" compartilhados, utilizando soluções baseadas no conceito da ‘internet das coisas’.

O Global Smart Grids Innovation Hub também promoverá a transferência de conhecimentos com bolsas e pós-graduações; servirá de catalisador para o desenvolvimento empresarial através de programas de incubação e aceleração de startups; e ativará atuações de inteligência competitiva, tal como a concepção de conferências globais.

Outro dos pilares de atuação girará em torno do trabalhador conectado e da robotização das operações para usar equipamentos sensorizados a fim de receber informações em tempo real acerca dos riscos. Além disso, utilizará robôs terrestres e aéreos (drones) para realizar operações de forma remota, evitando deslocamentos e trabalhando de forma mais segura e eficiente.

O Global Smart Grids Innovation Hub está conectado à estratégia Biscay Startup Bay, pois também se converterá em um lugar de scaleup das startups do setor energético que se instalem na Torre Bizkaia.


Investimentos para responder aos desafios da economia verde

A Iberdrola, que lidera há duas décadas a transição energética, atua como agente indutor fundamental para a transformação do tecido industrial, a recuperação verde da economia e a criação de empregos. Para tal, a Companhia lançou um plano de investimento histórico de 150 bilhões de euros para a próxima década – 75 bilhões até 2025 – com o objetivo de triplicar sua capacidade em energias renováveis e dobrar os ativos de redes, aproveitando as oportunidades da revolução energética que as principais economias do mundo enfrentam.

Quase a metade desse volume de investimento se destinará à atividade de redes elétricas com o objetivo de dar continuidade à sua implantação, consolidar uma sólida rede de distribuição e dotá-la de flexibilidade, baseando-se em um ambicioso processo de digitalização como elemento essencial para responder às futuras necessidades do sistema elétrico.

A Iberdrola já controla um dos sistemas de distribuição mais importantes do mundo, com mais de 1,2 milhão de quilômetros de linhas elétricas de transmissão e distribuição e mais de 4.400 subestações, que distribuem eletricidade para mais de 34 milhões de pessoas no mundo.

Os ativos regulados chegarão a 47 bilhões até 2025 e se situarão principalmente em países com classificação de risco A. Até 2030, a Companhia prevê multiplicar por dois o valor regulado de seus ativos de redes (até 60 bilhões de euros).

Acesso a informação legal