ORGANIZAÇÕES TEAL

Organizações TEAL: como reinventam a gestão e quais são suas vantagens?

#empresa #produtividade profissional #alto rendimento

As organizações TEAL baseiam-se no modelo homônimo criado em 2014 por um ex-diretor da empresa de consultoria McKinsey & Company, Frederic Laloux, após estar anos em busca de um modelo organizacional mais eficiente. Seu principal objetivo é potencializar o talento dos trabalhadores, que se complementam entre si, através de um compartilhamento de seus conhecimentos e uma integração em todos os níveis.

Teal, azul esverdeado em inglês, é a cor com a qual Frederic Laloux, ex-diretor da empresa de consultoria McKinsey & Company, identificou um tipo de organização empresarial que tinha pouco a ver com as estruturas hierárquicas e organizacionais da empresa tradicional e muito com as tendências sociais e profissionais do momento. Dessa forma ele desenvolveu um novo conceito de empresa que baseia sua organização em três elementos-chave: autogestão, integralidade e propósito evolutivo. Para tal, é fundamental encontrar o ponto de confluência entre a máxima eficiência operacional e a satisfação dos colaboradores.

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES TEAL

Há menos de uma década, Laloux, insatisfeito e desmotivado com seu trabalho — algo compartilhado por milhares de trabalhadores no mundo —, deixou seu emprego e começou a pesquisar modelos de organização onde fosse possível aliar produtividade e bem-estar pessoal. E acabou por encontrá-lo. Mediante tudo o que ele analisou, em 2014 publicou seu livro Reinventando as Organizações, onde usou pela primeira vez o conceito TEAL para se referir a um novo tipo de organização mais saudável e em constante adaptação ao presente.

Então, como poderíamos definir as organizações TEAL? São aquelas onde o capital humano é o protagonista e que, além disso, simplificam a hierarquização e concedem menos importância ao controle, promovendo o senso de responsabilidade dos seus trabalhadores, oferecendo-lhes contínuas oportunidades de capacitação e desenvolvimento profissional e pessoal.

OS PILARES DAS ORGANIZAÇÕES TEAL E SUAS VANTAGENS

As organizações TEAL baseiam-se em três pilares:

 Autogestão

Não precisam de escalas hierárquicas como as tradicionais. Nas mesmas impera a descentralização, o que não implica desordem, e a responsabilidade da tomada de decisão se divide, dado que há confiança na inteligência individual e coletiva dos colaboradores. Então, não há chefes? Não no sentido usual, pois o que existe é uma série de mecanismos de coordenação.

 Integralidade

Incentivam os trabalhadores a se desenvolverem não só como profissionais, mas também como seres humanos e, para tal, levam em consideração o aspecto emocional, visando que cada membro da empresa se sinta o melhor possível. Dessa forma, é possível aumentar o compromisso e o senso de pertencimento, a proatividade e a criatividade dos colaboradores, maximizando seu potencial.

 Evolução

Estão em constante adaptação e têm um propósito evolutivo. Todos os seus membros são convidados a conhecer e entender o que a organização deseja ser e quais são seus objetivo através de um processo de observação, exploração e descoberta onde todos participam.

Quais são as vantagens das organizações TEAL? São principalmente três. A primeira delas é o fator humano. O fato de as pessoas serem as protagonistas na empresa faz com que os colaboradores se sintam comprometidos, motivados e confortáveis. A segunda é a aprendizagem. Esse tipo de organização é uma fonte de conhecimentos constante, pois além de não terem medo de errar, estimulam a iniciativa pessoal. A terceira é a concepção integral do sucesso. Isso significa que o progresso individual é considerado como um avanço global da empresa.

A evolução do 'management' para o modelo TEAL.#RRSSA evolução do 'management' para o modelo TEAL.

 VER INFOGRÁFICO: A evolução do 'management' para o modelo TEAL [PDF]

COMO REINVENTAR SUA ORGANIZAÇÃO

Não é fácil modificar a estrutura tradicional de uma empresa. Por isso, para conseguir ser uma organização TEAL a transformação deve ser abordada a partir de diversos níveis:

  • Propor um novo modelo e uma nova estrutura de trabalho.
  • Renovar a mentalidade, os hábitos e a forma de trabalhar dos colaboradores.
  • Promover a integração intergeracional e que o talento se complemente.
  • Valorizar as pessoas e organizar-se com base em um propósito.
  • Apoiar-se nas novas tecnologias para obter valor agregado.
  • Construir ambientes mais flexíveis para descobrir e desenvolver o potencial dos colaboradores.
  • Assumir o controle, a independência e a responsabilidade em todos os níveis.
  • Fomentar a agilidade na tomada de decisão e a transparência na gestão da informação.

EXEMPLOS DE ORGANIZAÇÕES TEAL

A aplicação do modelo TEAL funciona, tal como se observa nas seguintes empresas:

  • Buurtzorg. Empresa holandesa de enfermaria a domicílio fundada em 2007 que em apenas dez anos cresceu de forma exponencial, obtendo também os melhores resultados de satisfação do cliente. A empresa funciona com um modelo de 1.000 equipes autônomas e autogerenciadas que se encarregam de todo o processo relacionado aos cuidados de saúde.
  • Zappos. Tony Hsieh, fundador — falecido recentemente — dessa empresa norte-americana de roupas e calçados, optou por uma organização horizontal. O fator-chave foi a autogestão baseada em papéis que são distribuídos nos círculos dedicados a funções específicas. Sua decisão causou polêmica quando obrigou os colaboradores a se comprometerem com esse modelo, pois alguns decidiram ir embora.
  • Morning Star. Uma das maiores empresas de processamento de tomates do mundo funciona sem uma ordem hierárquica, pois são os trabalhadores que se encarregam de informar diretamente seus colegas. A empresa está tão comprometida com esse modelo que em 2008 criou o Self-Management Institute com o objetivo de pesquisar e mostrar suas práticas a outras organizações.