Iberdrola seleciona quatro projetos internacionais para impulsionar a coexistência da agricultura e da pecuária com o desenvolvimento de usinas fotovoltaicas

Notícia Volver

16/11/2021

A companhia prevê alcançar ‘a perda líquida nula’ de biodiversidade em 2030, apostando no impacto líquido positivo para os novos desenvolvimentos de infraestruturas.

Iberdrola seleciona quatro projetos internacionais para impulsionar a coexistência da agricultura e da pecuária com o desenvolvimento de usinas fotovoltaicas

  • O ‘desafio’ lançado através de seu Programa internacional de Start-ups - PERSEO, recebeu 110 propostas provenientes de 32 países
  • A companhia proporcionará apoio técnico e econômico para o desenvolvimento das soluções, assim como analisará ampliar a escala dos projetos mediante acordos comerciais e avaliará a possibilidade de investir nas empresas vencedoras

 

A Iberdrola avança em seu compromisso de preservar a biodiversidade enquanto implementa seu ambicioso plano de investimento em projetos de energias renováveis. Através de seu Programa internacional de start-ups - PERSEO, selecionou quatro projetos internacionais para identificar soluções inovadoras que potencializem a coexistência de usinas de geração solar fotovoltaica com atividades relacionadas à agricultura, pecuária ou horticultura, visando melhorar a eficiência e competitividade das instalações, o aproveitamento do terreno e a defesa da biodiversidade.

As soluções estão voltadas para a criação de sinergias em terrenos destinados a atividades do setor primário que também são suscetíveis de receber instalações solares fotovoltaicas para impulsionar a complementaridade de ambos os setores e o efeito indutor nas economias locais. Os projetos apresentados, além de favorecerem a transição energética e o combate contra as mudanças climáticas, estão localizados nas regiões que enfrentam o desafio demográfico.

A Iberdrola proporcionará às empresas vencedoras o apoio técnico e econômico para testar sua solução, proporcionando acesso aos recursos necessários para validá-la (equipamento, equipes, infraestruturas, locais de alta tecnologia e áreas de trabalho conjunto) em um ambiente real. Se o projeto-piloto for bem-sucedido, também poderá oferecer ao participante a oportunidade de ampliar a escala da solução, com acordos comerciais ou investimentos diretos através do PERSEO na empresa.


Energia fotovoltaica compatível com as culturas irrigadas, viticultura, árvores frutíferas e bem-estar animal

Mediante esse desafio, a companhia recebeu 110 propostas provenientes de 32 países, dentre as quais selecionou quatro empresas para elaborar projetos em vários âmbitos:

  • Culturas irrigadas: a empresa espanhola EcoEnergías del Guadiana apresentou um projeto-piloto para combinar o cultivo de tomates sob estruturas fixas ou retráteis que suportam painéis solares, permitindo mitigar o estresse das plantas por golpes de calor e granizo, economizar água e melhorar os resultados da colheita.
  • Viticultura: nesse âmbito, foi selecionado o projeto Winesolar, que surgiu da colaboração entre três empresas espanholas: Techedge (soluções tecnológicas avançadas, liderando a iniciativa), PVH (fabricante de rastreadores e estruturas para placas solares) e González Byass (coleção de vinhos e spirits formada por 14 vinícolas na Espanha, Chile e México e 3 destilarias). O desafio para mitigar e adaptar os efeitos das mudanças climáticas à agricultura em geral e à viticultura em particular é titânico; a solução Winesolar será uma poderosa ferramenta para enfrentar o problema de forma integral, inteligente e sustentável. No projeto Winesolar, a Iberdrola, Techedge, PVH e González Byass irão desenvolver um sistema fotovoltaico com um rastreador inteligente e adaptado para gerar sombra e proteger os vinhedos. Um algoritmo de Inteligência Artificial controlará esses rastreadores para adaptá-los às necessidades fisiológicas dos vinhedos, bem como para otimizar a geração fotovoltaica. Os dados coletados pelos sensores implementados nos vinhedos para medir a umidade, temperatura, etc., também alimentarão o algoritmo. Em suma, com o Winesolar se pretende conseguir vinhas resilientes às mudanças climáticas, neutras e inclusive fixadoras de emissões de CO2, sempre respeitando o meio natural e não ocupando nem danificando a superfície agrícola, tudo em um claro exemplo de simbiose e eficiência de tecnologia, natureza e produto.
  • Árvores frutíferas: Solução dinâmica agrovoltaica: A start-up francesa Ombrea desenvolveu um sistema de controle e regulação climática, propulsado por inteligência artificial, para proteger os cultivos contra as mudanças climáticas. A solução, operada de forma remota, baseia-se em placas solares que se estendem ou retraem para modular a luz e a sombra de acordo com os dados climáticos coletados no terreno através de sensores. O objetivo é proteger as plantas das ondas de calor, secas, granizos ou geadas.
  • Bem-estar do gado bovino: A empresa francesa itk está desenvolvendo uma solução baseada na ciência para dar suporte aos setores agrícola e agroalimentar na adaptação às mudanças climáticas e descarbonização, garantindo ao mesmo tempo a produtividade e resiliência das explorações. Seu sistema de monitoramento do comportamento e plataforma de análise, FarmLife, dá suporte aos pecuaristas buscando poupar tempo e aumentar a produtividade fornecendo dados para a tomada de decisão alicerçada em quatro pilares: reprodução, nutrição, conforto e saúde.
Energia competitiva e sustentável e equilíbrio do meio ambiente

A Iberdrola integrou plenamente a conservação da diversidade biológica dos ecossistemas em sua estratégia, demonstrando que é possível combinar eficazmente o fornecimento de energia competitiva, limpa e sustentável com o equilíbrio do meio ambiente.

A companhia prevê alcançar ‘a perda líquida nula’ de biodiversidade em 2030, apostando no impacto líquido positivo nos novos desenvolvimentos de infraestruturas.

A Iberdrola realizou mais de 1.450 ações de proteção da biodiversidade nos últimos três anos, combinando a instalação de projetos de energias renováveis com a conservação da diversidade biológica dos ecossistemas, cuidando da flora, da fauna e do patrimônio natural. O projeto mais recente foi a instalação de colmeias em instalações fotovoltaicas para preservar a biodiversidade e fomentar a economia circular.

A criação de ovinos está presente em muitas das usinas fotovoltaicas da Iberdrola, uma vez que a terra tinha sido utilizada para a criação de gado antes da construção dessas usinas. Algumas vezes, nesses locais, havia uma excessiva exploração pecuária que não permitia o correto desenvolvimento de espécies vegetais. Para evitar essa excessiva exploração, a Iberdrola fez planos de gestão pecuária sustentável, com áreas rotativas (pousio) que permitem uma atividade mais equilibrada. Além disso, permitem o controle da altura da vegetação prevenindo incêndios e outros incômodos e, sobretudo, atuam como um vetor de regeneração, pois fornecem nutrientes e novas sementes para o solo, aumentando a biodiversidade de uma forma mais natural

Na Espanha, a Iberdrola e a ASAJA assinaram uma parceria estratégica para impulsionar a agricultura e a pecuária sustentáveis e livres de emissões. Para tal, conceberam um plano de trabalho com dois vetores fundamentais: por um lado, promoverão ações voltadas para a melhoria da eficiência energética e, por outro, implementarão iniciativas para continuar preservando a biodiversidade e os cuidados do meio rural.


PERSEO: mais de 10 anos inovando

O Programa internacional de start-ups Iberdrola PERSEO pretende facilitar o acesso do grupo às tecnologias do futuro e fomentar a criação e desenvolvimento de um ecossistema global e dinâmico de empresas tecnológicas e empreendedores no setor elétrico. Para tal, destinará 85 milhões de euros para investir em start-ups e mais 40 para lançar – através de sua unidade Perseo Venture Builder – empresas industriais inovadoras que trabalhem em novos âmbitos da eletrificação e em setores difíceis de descarbonizar.

Desde sua criação em 2008, o PERSEO investiu 70 milhões de euros em start-ups que desenvolvem tecnologias e modelos de negócio inovadores, focando naqueles que permitem melhorar a sustentabilidade do setor energético através de uma maior eletrificação e descarbonização da economia.

O programa orientou suas atuações para a análise de oportunidades de negócio e colaboração tecnológica com start-ups e empresas emergentes no mundo, chegando a analisar 300 empresas por ano e criando um ecossistema de quase 3.000 companhias empreendedoras. Atualmente, esse instrumento de investimento mantém uma carteira composta por oito empresas.

 

Acesso a informação legal