DESIGN THINKING

'Design Thinking': uma forma diferente de pensar e fazer

Embora a metodologia não seja nova, o Design Thinking está cada vez mais presente no mundo empresarial em função da sua capacidade de promover a inovação no desenvolvimento de novos produtos e serviços. O segredo? É uma forma diferente de pensar e agir que não apenas promove a criação de ideias inovadoras, como também impulsiona e fortalece talentos.

O Design Thinking — pensamento de design — é um método de trabalho que enfrenta e resolve os desafios e problemas que surgem nas empresas com base na criatividade, multidisciplinaridade e trabalho em equipe. A partir dessa abordagem diferente, experimental e holística, pode surgir aquilo que todas as empresas buscam: a inovação. Suas múltiplas aplicações são limitadas por nossa própria imaginação e permitem criar produtos que mudam as regras do jogo.

De acordo com especialistas, sua origem remonta o ano de 1919, quando o arquiteto alemão Walter Gropius criou a escola de artesanato, desenho, arte e arquitetura de Bauhaus. Nela, foram estabelecidas muitas das dinâmicas que hoje são utilizadas no Design Thinking, como o trabalho em equipe, a eliminação das hierarquias no processo de inovação ou a abordagem do projeto de acordo com as necessidades do usuário.

A técnica foi desenvolvida em âmbito teórico na década de 1970, na Universidade de Stanford (Califórnia). Duas décadas depois, em 1991, a consultoria de desenho norte-americana IDEO deu um forte impulso ao montar, pela primeira vez, equipes multidisciplinares — professores, advogados, engenheiros e médicos — para trabalharem em diferentes projetos, lançando assim as bases do Design Thinking moderno.

O QUE É O 'DESIGN THINKING' E PARA O QUE SERVE

Quando falamos de Design Thinking, falamos de uma metodologia que, levada à área empresarial, defende enfrentar as dificuldades — e também as oportunidades — assim como os designers enfrentam os processos de desenho. Como eles fazem? Primeiro, definem as necessidades dos usuários, focando na pessoa e não no produto. Para isso, utilizam a observação e a empatia. Segundo, estabelecem uma abordagem de trabalho multidisciplinar durante todas as fases para gerar soluções inovadoras e disruptivas.

As ideias que surgem de uma metodologia como o Design Thinking geram valor ao cliente e representam uma oportunidade de mercado para a empresa, mas também podem ser aplicadas para melhorar processos de trabalho ou definir novos modelos de negócios. Inclusive, do ponto de vista mais prático, suas dinâmicas servem para gerar bom ambiente na empresa, reforçar o trabalho em equipe ou, é claro, impulsionar a criatividade. "Se você não pode desenhar, é porque você não entendeu." – disse Einstein. Essa metodologia permite resolver esse problema ao desenvolver técnicas muito criativas que misturam aspectos analíticos com os visuais.

FASES DO 'DESIGN THINKING'

O processo é composto por cinco etapas claramente definidas:

 Sentir empatia
A fonte de informação essencial são as pessoas e o que elas experimentam em relação a um produto. Por isso, ao contrário das técnicas tradicionais, que utilizam estatísticas, essa etapa exige que as necessidades, problemas e desejos dos usuários sejam conhecidos com profundidade.

 Definir
Com as informações obtidas na etapa anterior, é realizada uma triagem para selecionar o que pode gerar valor e levar a alcançar novas perspectivas e resultados inovadores. É também nessa etapa que são identificados eventuais problemas.

 Idear
As diferentes abordagens das equipes multidisciplinares são básicas para encontrar a ideia que será colocada em prática. O segredo está em fomentar a participação e não descartar nada a priori, porque, às vezes, as ideias mais esquisitas podem acabar sendo disruptivas.

 Prototipar
Quando chega o momento de transformar as ideias em realidade. Construir protótipos físicos ou digitais por meio de impressoras 3D ou software transformam a ideia em algo palpável, o que permite detectar problemas e encontrar soluções sem gerar grandes custos.

 Testar
Nesta última fase, o usuário envolvido no processo interage com o protótipo. Seu feedback ajuda a identificar falhas e limitações que permitam implementar melhorias ou correções necessárias para chegar ao produto ou serviço final.

Quais aspectos o 'Design Thinking' promove?#RRSSQuais aspectos o 'Design Thinking' promove?

 VER INFOGRÁFICO: Quais aspectos o 'Design Thinking' promove? [PDF]

PRINCIPAIS TÉCNICAS DE 'DESIGN THINKING'

Existe uma infinidade de técnicas para abordar o Design Thinking. Conheça abaixo as técnicas mais usadas:

 Mapa mental
Ferramenta visual que ajuda a desenvolver uma determinada ideia, pensamento ou conceito. De acordo com Tony Bouza, seu criador, "favorece a fluidez, melhora o entendimento e ajuda a fixar e entender ideias complexas". Basta colocar a palavra-chave ou ideia no centro do mapa e conectá-las a outras relacionadas.

 Jornada do Consumidor
Define as diferentes atividades desenvolvidas por um usuário quando utiliza um produto ou serviço. Essas atividades podem ser acompanhadas das necessidades do cliente para cada momento e dos touchpoints — ou pontos de contato — entre ele e a empresa que está por trás do produto ou serviço.

 Glocal
É o acrônimo de global e local. Consiste em pesquisar e estudar as tendências atuais locais e globais associadas ao desafio projetado para aplicá-las (ou não) ao projeto.

O que você está esperando para começar a aplicar o Design Thinking e impulsionar o seu talento?
 

 'Elevator Pitch'

 'Mindfulness', a técnica do aqui e agora

 As vantagens da inteligência coletiva(*) Nota

   

(*) Disponível na versão em espanhol.