EMPRESAS START-UPS

'Start-ups': empreendimento através das ideias mais inovadoras

#empresa #economia

As start-ups são empresas emergentes com uma estrutura pequena mas muito ágil e brilhante, fruto de ideias inovadoras com as quais os empresários querem mudar o mundo. Eles têm um modelo de negócios escalonável que adota a tecnologia e a inovação como base para seu crescimento. A diferença em relação a uma PME reside, para além da capacidade de inovação, na flexibilidade de adaptação às mudanças e na orientação para o cliente.

Start-ups.

Em 1996 dois alunos da universidade de Stanford se uniram para criar o melhor motor de busca da Internet. O buscador foi desenvolvido nas instalações da própria universidade e na garagem de uma vizinha. Assim nasceu o Google, um projeto que não demorou muito para encontrar seu primeiro investidor: o cofundador da Sun Microsystems, Andreas von Bechtolsheim, que lhes entregou um cheque no valor de 100.000 dólares.

Jovens empreendedores, tal como Larry Page e Sergey Brin, são a origem de muitas das pequenas empresas com grandes possibilidades de crescimento. Embora se desenvolvam praticamente em todos os setores, a imensa maioria surge em torno da tecnologia. Google, Twitter ou Facebook nasceram graças a uma start-up — o empresas emergentes —.

O decálogo para entender as start-ups.#RRSSO decálogo para entender as start-ups.

 VER INFOGRÁFICO: O decálogo para entender as 'start-ups' [PDF]

FINANCIAMENTO DE 'START-UPS'

O fator-chave para o crescimento está em converter uma ideia em um modelo de negócio rentável, e isso passa por conseguir o financiamento necessário. A boa notícia é que há muitos filantropos, empresas, instituições, fundações, etc., dispostos a ajudar através da assessoria e do financiamento. Destacam-se os seguintes:

  • Business angel: investidores particulares que se envolvem pessoalmente proporcionando, não só apoio econômico, mas também sua experiência na estratégia e desenvolvimento de negócios.
  • Venture Capital: fundos de investimento que apostam empresas emergentes com um modelo de negócio disruptivo em setores com grande potencial de crescimento. Um exemplo é o do Programa internacional de 'Start-ups', o programa de capital de risco corporativo da Iberdrola dotado com 70 milhões de euros para o investimento em tecnologias e negócios disruptivos que garantam a sustentabilidade do modelo energético.
  • Viveiros de empresas: instalações que investidores particulares, grandes empresas ou instituições públicas colocam à disposição de pessoas empreendedoras em condições muito vantajosas para ajudá-las a crescer. Também oferecem assessoria e apoio legal, comercial ou logístico. A União Europeia tem sua própria rede de viveiros.
  • Aceleradoras: oferecem programas de duração determinada, uma vez que a relação conclui com a apresentação do projeto ao público em busca de financiamento para seu crescimento. A principal diferença entre um viveiro e uma aceleradora é que enquanto os primeiros tratam de proteger as empresas recentemente criadas para reduzir o risco de fracasso, as segundas tentam acelerar o processo de interação das empresas com o mercado, para que se adaptem rapidamente e se convertam em empresas ágeis.

Mas a verdade é que crescer não é fácil: de acordo com o ranking Os serviços que os viveiros de empresas prestam na Espanha 2016/2017 [PDF], elaborado pela Universidade Rei Juan Carlos (Madri) junto à Fundação das Cajas de Ahorro (Funcas), mais de 20% das start-ups não ultrapassam o primeiro ano de vida, 15% desaparecem no segundo e 10% morrem em seu terceiro ano de atividade.

COMO FUNCIONAM AS 'START-UPS'

Uma start-up deve entender o que o cliente precisa e ter inteligência suficiente para traduzir esta mensagem em um produto que ofereça a melhor resposta. Partindo dessa premissa, o funcionamento das 'start-ups' tem sua própria idiossincrasia. A seguir, revisamos alguns dos principais aspectos-chave:

  • Oferecem soluções práticas, escaláveis e criativas para problemas cotidianos.
  • Apoiam-se na tecnologia para inovar e oferecer os melhores produtos e serviços. Utilizam a Internet e as redes sociais para ter visibilidade.
  • Delimitam claramente seus objetivos de curto, médio e longo prazo.
  • Definem um orçamento para desenvolver a ideia de negócio e, se precisarem de financiamento, costumam apostar em ferramentas como o crowdfunding.
  • Formam uma equipe jovem, multicultural e multidisciplinar para enriquecer os pontos de vista.

AS MELHORES CIDADES 'START-UPS'

Não há muitos lugares no mundo onde exista uma verdadeira cultura de inovação e de criação de empresas que impulsione o talento empreendedor para converter suas ideias em realidade.

De acordo com a Startup Genome, a maior comunidade colaborativa de apoio aos ecossistemas de start-ups, as cinco melhores cidades do mundo para o desenvolvimento e crescimento dessas joias da inovação são o Vale do Silício (Califórnia, Estados Unidos), Nova York, Londres, Pequim e Boston. Na Europa, Berlim, Paris, Estocolmo e Amsterdã aparecem a seguir a Londres no topo do ranking. O Vale do Silício ocupa o primeiro lugar com valores que não deixam lugar a dúvidas: concentra de 12.000 a 15.000 empresas emergentes que dão emprego a mais de dois milhões de pessoas.

Na Espanha, por outro lado, se destaca sem sombra de dúvidas Barcelona, onde se desenvolveram de 900 a 1.100 novas empresas tecnológicas. Em abril de 2016 nasceu a Barcelona Tech City, uma organização sem fins lucrativos que alberga quase uma centena de organizações: start-ups, incubadoras, aceleradoras, laboratórios de inovação, etc.

A manutenção de um ecossistema de start-ups forte e maduro é fundamental para favorecer a inovação e o espírito empreendedor, sendo uma fonte de emprego e riqueza.

 Iberdrola, a 'utility' espanhola mais inovadora

 Apoiamos o empreendimento jovem(*) Nota

 Empresas Unicórnio

   

(*) Disponível na versão em espanhol.