transformação social

O mundo avança com uma velocidade impressionante. Num contexto de profundas transformações, é necessário participar dessa mudança, tanto para incentivá-la como para ajudar as pessoas em sua adaptação e que ninguém fique para trás.

TeInteresa
  • O desejo de recuperar o contato com a natureza e de se afastar dos massificados núcleos urbanos aumentou desde o confinamento e das restrições decorrentes da pandemia de COVID-19. Dessa forma, o fenômeno do neorruralismo se revitalizou em todo o mundo, ou seja, o êxodo da cidade para as pequenas povoações em busca de estilos de vida mais saudáveis e sustentáveis.

  • O design circular anda de mãos dadas com a economia circular, que aposta na reutilização dos produtos e renegar o paradigma de usar e descartar. Em concreto, esta forma de design defende repensar o processo de criação de um produto desde o início e, para tal, os designers devem adotar a sustentabilidade e o respeito ao meio ambiente como ponto de partida.

    A Responsabilidade Social Corporativa (RSC) é uma prioridade para as empresas realmente comprometidas com as comunidades onde estão presentes. Em plena crise climática, agravada pela pandemia da COVID-19, sua contribuição será fundamental para conseguir uma recuperação verde que promova um crescimento econômico sustentável, acelerando a transição rumo a sociedades descarbonizadas. Nesse sentido, os critérios ESG, que incluem indicadores relacionados ao meio ambiente, à sociedade e à governança corporativa são essenciais no momento de fazer investimentos mais responsáveis com o planeta.

  • O grupo Iberdrola atua como indutor de desenvolvimento econômico e social criando emprego estável e de qualidade. Portanto, nesse sentido, comprometeu-se a investir 75 bilhões de euros até 2025, que aumentarão até 150 bilhões em 2030, para dinamizar o tecido industrial e criar emprego nos países onde está presente.

    Descubra mais artigos interessantes relacionados

    Em um mundo ameaçado pelas mudanças climáticas, impulsionar uma economia mais respeitosa com o meio ambiente não é uma opção: é uma obrigação. Para chegar a esse desenvolvimento sustentável, a bioeconomia, que a FAO define como "a aplicação de conhecimentos biológicos, em um ambiente sustentável, para produtos competitivos e com agregação de operações econômicas", torna-se fundamental.