O QUE SÃO ROUPAS BIODEGRADÁVEIS

Roupa ecológica ou biodegradável: uma forma de reduzir os efeitos poluentes da moda

#sustentabilidade ambiental #sociedade #lazer

A indústria da moda, responsável por 8% das emissões mundiais de CO2 à atmosfera, é a segunda mais poluente depois do petróleo. Como reduzir seu impacto ambiental? A roupa biodegradável é uma das respostas e uma das principais apostas do setor para promover a sustentabilidade. Quer vir de shopping?

A maioria dos consumidores não sabe que os jeans ou os tênis de esporte que usamos trazem consigo um processo de fabricação onde se utilizam vários produtos químicos muito daninhos para o meio ambiente. Se somarmos a esse fato o fenômeno da fast fashion (moda rápida), que provoca que a roupa dure pouco tempo nos armários dos consumidores, então o problema se agrava porque, na maioria dos casos, esta termina nos aterros, demorando meses, e inclusive anos, para desaparecer.

O IMPACTO AMBIENTAL DA MODA RÁPIDA

A roupa está se tornando outro produto do tipo consumir e descartar. Por quê? Atualmente, as cadeias de lojas mudam o repertório quase todas as semanas, gerando um ciclo de produção constante que provoca importantes danos na natureza devido a, entre outros fatores: uso constante de pesticidas e tinturas poluentes, consumo excessivo de água e energia, e emissão à atmosfera de fumaças contaminantes durante o transporte. A moda rápida é fabricada majoritariamente na Ásia e daí é distribuída para o resto do mundo.

Quais são as consequências? Em termos ambientais, a indústria têxtil é responsável por 8% das emissões mundiais de CO2, causa pelo menos 20% da poluição em aquíferos e provoca indiretamente a acumulação de grandes quantidades de roupa nos depósitos de lixo, um tipo de resíduo difícil de ser gerenciado. Um dado que exemplifica isso: na União Europeia (UE), se recicla só 25% das mais de 16 milhões de toneladas de resíduos têxteis gerados anualmente.

Provavelmente por essa razão, a Organização das Nações Unidas (ONU) considerou em 2018 a poluição derivada da indústria da moda rápida como uma “emergência ecológica”. "É evidente que a indústria da moda deve mudar seus mecanismos e responsabilizar-se pelo meio ambiente", afirmou Olga Algayerova, Secretária Executiva da Comissão Econômica da Organização das Nações Unidas para a Europa, coincidindo com um evento dedicado ao setor. Quais são as soluções? A roupa biodegradável é uma alternativa.

A pegada de carbono de uma calça jeans.#RRSSA pegada de carbono de uma calça jeans.

 VER INFOGRÁFICO: A pegada de carbono de uma calça jeans [PDF]

O QUE SÃO ROUPAS BIODEGRADÁVEIS?

Como em tantos outros âmbitos, o prefixo bio também invadiu o terreno da moda. Quando falamos de roupa biodegradável, a que estamos nos referindo exatamente? Um material biodegradável é aquele capaz de se descompor na natureza em elementos químicos naturais como resultado da ação de agentes biológicos como plantas, bactérias ou animais, juntamente com outros agentes físicos como o sol ou a água, que transformam estas substâncias em compostos que servem de nutrientes para o meio ambiente.

Aplicado à roupa, o vestuário bio (sapatos, camisetas ou calças, mas também lençóis ou toalhas de mesa) é aquele que foi fabricado pensando em ter o menor impacto possível no meio ambiente durante todo seu ciclo de vida. Isto significa utilizar materiais ecológicos que se degradam com facilidade. Uma boa noticia: cada vez há mais iniciativas neste sentido. Por exemplo, podemos encontrar desde tênis feitos com materiais como algodão biológico, cânhamo, linho, coco ou pele vegetal até outros tipos fabricados com materiais reciclados como garrafas de plástico oriundas do fundo do mar ou nylon recuperado de redes de pesca.

INICIATIVAS E CERTIFICAÇÕES DE ROUPA BIODEGRADÁVEL

Em 2012, o Greenpeace fez uma lista com os onze componentes tóxicos mais perigosos e poluentes na fabricação de roupa: alquilfenóis, ftalatos, retardantes de chama bromados e clorados, corantes azoicos, compostos organoestânicos, perfluorados, clorobenzenos, dissolventes clorados, clorofenóis e parafinas cloradas de cadeia curta (PCCC). Como consequência, a ONG lançou a Campanha Detox e conseguiu que 80 empresas de moda se comprometessem a eliminar ditas substâncias de sua cadeia de produção até o ano 2020.

O programa ZDHC (Zero Discharge of Hazardous Chemicals; em português, zero descargas de produtos químicos perigosos) é um tratado criado por marcas de moda e associações relacionadas com este setor, cujo principal objetivo é eliminar os produtos químicos perigosos durante toda a cadeia de valor das roupas de moda têxtil, couro e calçados.

As certificações ecológicas são outras medidas que se destinam a promover a moda sustentável, oferecendo um selo de qualidade bio que garante que a empresa está comprometida com a preservação e o cuidado do meio ambiente. A seguir, revisamos algumas delas:

 Global Organic Textile Standard (GOTS) 
Certifica que a roupa tem, no mínimo, 70% de fibras ecológicas. Além disso, analisa as tinturas e outros produtos químicos, não aceitando origem transgênica. É o selo mais utilizado.

 Naturtextil IVN Certified
Esta organização certificadora europeia é muito estrita e garante que as roupas são 100% naturais.

 Outros standards
Oeko-Tex, OE (Organic Exchange), CCS (Content Claim Standard), OCS (Organic Content Standard), IMO (Institute of Marketecology).

Apesar da roupa biodegradável ser muito mais ecológica, o impacto zero não existe. Por essa razão, também devemos apelar à consciência do consumidor, pois pode usar dicas simples para minimizar as consequências negativas da indústria da moda: aumentar a vida das roupas, doá-las a organizações que lhes dão uma segunda vida ou colocá-las em depósitos especialmente pensados para isso.