O QUE É A ENERGIA EÓLICA ONSHORE

Você sabe como os parques eólicos onshore funcionam?

A energia eólica é gerada ao transformar o movimento das correntes de ar em energia elétrica. Para aproveitar o vento que sopra em terra, são construídos enormes complexos eólicos capazes de extrair o máximo potencial desse recurso limpo e renovável. Vamos contar-lhe tudo sobre eles.

O QUE SÃO OS PARQUES EÓLICOS ONSHORE?

Os parques eólicos onshore são as infraestruturas encarregadas de gerar energia elétrica a partir do vento que sopra em localizações em terra. Para isso, são projetados e construídos uma série de elementos capazes de transformar primeiro a energia cinética do vento em energia elétrica, para logo convertê-la em eletricidade apta para consumo, e finalmente integrá-la na rede de distribuição.

FUNCIONAMENTO E COMPONENTES DE UM PARQUE EÓLICO ONSHORE

Como funciona
um parque eólico onshore?
1
A força do vento faz girar as pás.
2
As pás estão unidas à turbina através da bucha.
3
O eixo lento gira na mesma velocidade que as pás
(7 - 12 voltas por minuto).
4
A multiplicadora eleva a velocidade mais de 100 vezes e a transfere para o eixo rápido.
5
O eixo rápido (+1.500 rotações por minuto) transmite essa velocidade ao aerogerador*.
6
O gerador transforma la energia cinética em energia elétrica.
7
O conversor transforma a corrente contínua em corrente alternada.
8
O transformador eleva a tensão (20 kV - 66 kV) para poder transportar a corrente pelo parque.
9
A energia é transmitida via cabos de média tensão até a subestação.
10
Na subestação, a energia se converte em corrente de alta voltagem (+132 kV).
11
A linha de transmissão transfere a eletricidade até as instalações conectadas à rede de distribuição.
12
A rede de distribuição transporta eletricidade até as casas.
(*) Algumas tecnologias utilizam geradores de baixa velocidade acoplados diretamente ao eixo lento.

 VER INFOGRÁFICO: Como funciona um parque eólico onshore? [PDF]

Conheça a operação em detalhes

COMO FUNCIONA UM PARQUE EÓLICO ONSHORE?

A energia elétrica é gerada no aerogerador. Trata-se de uma estrutura que se sustenta sobre uma fundação de concreto armado para garantir sua estabilidade e funcionalidade. Conta com um controlador que se encarrega de iniciar e parar a turbina de acordo com as condições climáticas, assim como tem um mecanismo que determina a direção do vento e permite que se oriente corretamente. A torre — cuja altura depende da orografia do terreno — é dotada de um sistema de balizagem, com luzes e cores específicas que fazem com que seja altamente visível ao tráfego aéreo a fim de conseguir a máxima segurança.

A força do vento faz girar as pás do aerogerador, que foram projetadas para captarem ao máximo essa energia cinética: podem mover-se inclusive com ventos muito suaves, desde 11 quilômetros por hora. As pás estão unidas à turbina através da bucha, que por sua vez está conectada ao eixo lento, que gira na mesma velocidade das pás (entre 7 e 12 rotações por minuto). Uma multiplicadora eleva essa velocidade mais de 100 vezes e a transfere para o eixo rápido, que se move a mais de 1.500 rotações por minuto. Tal força é transmitida ao gerador (algumas tecnologias utilizam geradores de baixa velocidade acoplados diretamente ao eixo lento), onde a energia cinética se transforma em energia elétrica. E daí passa ao conversor, que a transforma em corrente alternada.

A energia elétrica gerada é de baixa tensão, sendo conduzida para um transformador que a eleva para média tensão (entre 20 e 66 kV) permitindo que seja transmitida ao parque. A partir daí é conduzida para a subestação, que converte a energia em corrente de alta voltagem (mais de 132 kV). Essa eletricidade, já apta para o consumo, é transferida através da linha de evacuação (geralmente aérea) para as instalações ligadas à rede de distribuição, que a leva finalmente às residências.

Ocultar conteúdo

ONDE PODEM SER INSTALADOS OS PARQUES EÓLICOS ONSHORE?

Os parques eólicos normalmente são instalados em áreas rurais despovoadas, isoladas dos núcleos populacionais, para evitar que o ruído incomode os habitantes.

No momento de escolher a localização de um parque eólico onshore, é necessário considerar várias questões:

 O impacto ambiental.

 O potencial energético da zona.

 A variação espacial, temporária e vertical do vento ao longo dos anos.

 As condições geológicas e geotécnicas da localização.

 A viabilidade ambiental, legal e territorial, assim como a acessibilidade ao lugar.

Existem ferramentas e modelos meteorológicos que permitem determinar tais aspectos quais os locais mais adequados para instalar os aerogeradores e estimar, antes da construção de um parque eólico, qual será a capacidade de geração durante toda a sua vida útil.

QUAIS AS VANTAGENS DOS PARQUES EÓLICOS ONSHORE?

  • Geram energia limpa, segura, renovável e inesgotável.
  • Brecam o consumo de combustíveis fósseis, o que contribui para evitar as mudanças climáticas e avançar para a transição energética.
  • Quase não geram resíduos e não produzem gases tóxicos nem radiações.
  • São instalações móveis, ou seja, a área em que se encontram pode voltar a ser recuperada depois de desmanteladas.
  • Os custos de manutenção dos aerogeradores são baixos.
  • As instalações eólicas não interrompem as atividades agrícolas e pecuárias que podem ser desenvolvidas em torno dos parques.
  • Criam postos de trabalho. De acordo com o relatório Energia eólica na Europa: cenários para 2030 da WindEurope, publicado em setembro de 2017, a indústria da energia eólica proporcionará 569.000 empregos até 2030.

COMO OS AEROGERADORES ONSHORE EVOLUÍRAM?

Nas últimas duas décadas, os avanços tecnológicos permitiram aumentar o desempenho dos aerogeradores. Existe atualmente uma grande variedade de modelos, o que permite sua adaptação às condições específicas de cada localização e o máximo aproveitamento do vento. Os novos desenhos proporcionam potências cada vez maiores e apresentam diâmetros de rotor mais amplos. Além disso, foram introduzidas melhorias na estrutura e no controle dos aerogeradores.

A Associação Europeia de Energia Eólica WindEurope vaticina em seu último relatório (Energía eólica en Europa: perspectivas para 2022) que nos próximos três anos as turbinas terrestres ultrapassarão a marca de 4 MW de potência. Isso representará uma redução do custo final da energia eólica, devido tanto ao ajuste do investimento quanto à melhoria da eficiência dos aerogeradores.

Evolução da potência unitária e do rotor de nossos aerogeradores onshore

0,66 MW

47m

2000

2MW

80m

2005

2,3MW

93m

2009

2,5MW

114m

2016

3,6MW

136m

2019

4MW

150m

2020