CÚPULA PARA A AÇÃO CLIMÁTICA DA ONU 2019

Um objetivo comum: acelerar o cumprimento do Acordo de Paris

A Cúpula Para a Ação Climática da ONU 2019 aconteceu no passado dia 23 de setembro na Sede da Organização das Nações Unidas — Nova York — e priorizou nove áreas de ação prioritárias. Muitos países e mais de 100 cidades, incluindo algumas das maiores do mundo, anunciaram novos e importantes compromissos concretos para combater a crise climática.

As emissões de carbono em termos mundiais estão atingindo níveis sem precedentes e os impactos e consequências das mudanças climáticas já podem ser sentidos em escala planetária devido, fundamentalmente, ao aquecimento global. Porém, os últimos relatórios e análises científicos abrem uma pequena porta à esperança. Eles indicam que, se agirmos agora, poderíamos reduzir as emissões nos próximos 12 anos e deter o aumento da temperatura média anual abaixo de 2 °C ou inclusive de 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais.

O enquadramento legal que indica pormenorizadamente as medidas necessárias para frear as mudanças climáticas é o Acordo de Paris, mas para poder acelerar seu cumprimento é preciso uma ação global tão ambiciosa como o objetivo a ser alcançado: reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em 45% nos próximos dez anos e zero em 2050.

A Cúpula Para a Ação Climática da ONU 2019, que deu o sinal de partida da Semana do Clima de Nova York, desenvolveu soluções e planos concretos e realistas nas seguintes áreas:

  • Transição global para chegar até as energias renováveis
  • Infraestruturas e cidades sustentáveis e resilientes
  • Agricultura e gestão sustentável dos oceanos e florestas
  • Resiliência e adaptação aos impactos climáticos
  • Convergência de financiamento público e privado com uma economia de emissões líquidas zero

RESULTADOS NAS ÁREAS DE AÇÃO PRIORITÁRIAS

 Atenuação
Nesse bloco de trabalho impulsionado pela convenção-quadro UNFCCC, UN Global Compact e pelo Chile foram apresentadas duas grandes parcerias:

  • Climate Ambition Alliance: Enhanced National Climate Plans. 70 países assumiram o compromisso de desenvolver ambiciosos planos de ação climática até 2020.
  • Climate Ambition Alliance: Net Zero 2050. 279 organizações, entre elas governos e empresas, se comprometeram a atingir a meta de emissões líquidas nulas até 2050.

 Impulsores sociais e políticos
Foram apresentadas três iniciativas para alinhar a ação climática com a qualidade do ar, a igualdade de gênero e a transição justa. As duas primeiras estão vinculadas principalmente aos governos.

 Transição energética
Foram lançadas seis iniciativas que focam, sobretudo, na atividade dos governos. Entre as de maior destaque estão:

  • O Clube dos 3% de eficiência energética visa promover âmbitos de políticas que permitam melhorias de eficiência energética de 3% ao ano.
  • A Plataforma de Investimentos Climáticos é um instrumento do governo da Dinamarca para favorecer a mobilização de recursos financeiros em prol de soluções climáticas em países em vias de desenvolvimento.
  • A Coalizão para descarbonizar o transporte marítimo tem o objetivo de reduzir as emissões globais de gases de efeito estufa do setor marítimo em 50% até 2050.

 Transição industrial
Foram aprovadas duas iniciativas: graças à primeira, as empresas se comprometeram a estabelecer objetivos baseados na ciência e que estejam alinhados com o cenário de 1,5 graus e com a meta de emissões líquidas nulas até 2050. A segunda, voltada para setores industriais intensivos em energia, visa atingir a meta de emissões líquidas nulas até 2050 por parte dos setores envolvidos.

 Infraestrutura, atuação local e em cidades
Foram lançadas quatro iniciativas cujos integrantes ainda serão definidos. Cabe destacar a iniciativa Action towards Climate - Friendly Transport, cujo objetivo é acelerar o desenvolvimento e o uso de veículos de emissões nulas até 2030 e estabelecer plataformas regionais para fomentar modos de transporte elétrico.

 Resiliência e adaptação
Foram anunciadas seis iniciativas orientadas fundamentalmente a ajudar os países em vias de desenvolvimento para que implantem medidas de adaptação e melhorem os sistemas de análise e gestão de riscos nesse âmbito.

 Financiamento climático e estipulação do preço do carbono
Também foi lançada uma iniciativa pensada exclusivamente para o setor financeiro, onde os investidores participantes se comprometeram a alinhar seus portfólios de investimento com a meta de emissões líquidas nulas até 2050.

A Cúpula Para a Ação Climática da ONU 2019 serviu para selar compromissos e ações por parte de líderes políticos, empresariais, financeiros e da sociedade civil. Combater as mudanças climáticas é uma tarefa de toda a sociedade.