EVOLUÇÃO DA ENERGIA EÓLICA NA EUROPA

O vento, a melhor forma de apostar no futuro

Em 22 de fevereiro de 2017, a Dinamarca cobriu 95,8% da demanda elétrica desse dia com energia eólica. Um mês depois, em 21 de março, a Alemanha alcançou uma taxa de cobertura de 53%.

Parque eólico offshore de Wikinger.#RRSSParque eólico offshore de Wikinger.

Março de 2018 foi o mês de maior geração eólica na Espanha: os aerogeradores geraram 7.650 GWh, de acordo com dados da Red Eléctrica de España. O vento tornou possível a geração de 27.779 GW de energia elétrica durante o primeiro semestre do ano, o que representa 22,6% do mix energético peninsular e converte a energia eólica na principal fonte de geração do país. Em comparação com o mesmo período de 2017, a geração de energia eólica aumentou 10,4%.

EVOLUÇÃO DA ENERGIA EÓLICA

Essas notícias, cada vez mais frequentes na mídia, são o fiel reflexo do avanço da energia eólica. Em apenas uma década, a energia eólica avançou cinco posições no mix energético europeu, até se converter em 2016 na segunda fonte de geração, ficando atrás unicamente das instalações de gás.

Desde então, se manteve em segundo lugar, alcançando 18% da cota energética do continente em 2017, de acordo com os dados da Associação Europeia de Energia Eólica (WindEurope). Durante esse ano, a energia eólica gerou 336 TWh, suficientes para cobrir 11,6% da demanda de eletricidade da União Europeia (UE) e situar-se muito perto da primeira posição.

 

EVOLUÇÃO DA ENERGIA EÓLICA

EVOLUÇÃO
DA ENERGIA EÓLICA

(Europa)

2017

2º posto (18% da quota energética)

2016

2º posto depois de ultrapassar o carvão

2015

3º posto depois de ultrapassar a energia eólica

2013

4º posto depois de ultrapassar a energia nuclear

2007

5º posto depois de ultrapassar o gasóleo


PARQUES EÓLICOS NA EUROPA

Em 2017 a capacidade instalada cresceu 15,6 GW, 25% a mais em relação a 2016. Dessa forma, houve um novo recorde, tanto em energia eólica onshore (12.484 MW) quanto em offshore (3.154 MW). Neste último segmento, o aumento foi 101% superior ao conseguido em 2016. A capacidade total instalada já é de 169 GW, 153 GW provenientes de parques eólicos onshore e 16 GW de parques eólicos offshore.

INSTALAÇÕES DE ENERGIA EÓLICA

INSTALAÇÕES
DE ENERGIA EÓLICA

(Europa)

GW

160

140

120

100

80

60

40

20

0

3,0

82

2010

3,8

91

2011

5,0

101

2012

6,6

111

2013

8,1

121

2014

11

131

2015

13

141

2016

16

153

2017

Eólica onshore

Eólica offshore


Além disso, a potência média dos aerogeradores aumentou 20% de 2013 a 2016:

POTÊNCIA MÉDIA DAS TURBINAS

POTÊNCIA MÉDIA
DAS TURBINAS

5

4

3

3,7 MW

2013

4 MW

2014

4,2 MW

2015

4,8 MW

2016

2013

2016


Nesse campo a tecnologia também está registrando novos recordes: em 26 de janeiro de 2017 foi testado na Dinamarca um novo moinho de vento com 8 MW de potência, ampliáveis a 9 MW de acordo com o vento dominante em sua localização. O aerogerador foi capaz de gerar 216.000 KWh em um único dia, suficiente para cobrir a demanda energética de 22.000 residências durante um ano.

PERSPECTIVAS 2018-2022

A energia eólica será fundamental durante os próximos cinco anos e permitirá que os países europeus avancem no processo de descarbonização da economia e deem continuidade à transição energética. Assim se verifica no relatório de Energia eólica na Europa: perspectivas para 2022, elaborado pela WindEurope, que prognostica que os estados-membros da UE cumprirão os objetivos traçados para 2020 relativamente à energia renovável e que, em 2030, já disporão de Planos Nacionais de Energia e Clima.

De acordo com o estudo, a capacidade instalada crescerá uma média de 17,4 GW por ano entre 2018 e 2022, graças ao desenvolvimento de projetos de parques eólicos, tanto offshore quanto onshore. Dessa forma, está previsto que, ao concluir tal período, a geração eólica tenha aumentado em 87 GW, até alcançar o valor total de 258 GW de capacidade instalada em todo o continente.

A Alemanha, a Espanha e o Reino Unido continuarão sendo os países com a maior frota de instalações eólicas da Europa. O crescimento sofrerá uma redução na Alemanha enquanto na Espanha e na Suécia aumentará.

Os aerogeradores também serão cada vez mais potentes. Para 2022, se espera que as turbinas onshore ultrapassem os 4 MW, enquanto as dos parques eólicos offshore poderiam situar-se acima dos 8 MW de potência.

UM FUTURO PROMISSOR

Além do referido relatório da WindEurope, existem outros estudos que reforçam a ideia de que a energia eólica vai desempenhar um papel fundamental na necessária transição energética para lidar com os desafios da mudança climática e gerar energia limpa.

Por exemplo, o Instituto Tecnológico de Massachusetts, considerado como uma das melhores incubadoras de ideias do mundo, em colaboração com outras instituições, elaborou um estudo que aponta quais vão ser os pontos-chave das empresas elétricas do futuro: a descarbonização, a luta contra a mudança climática, as novas tecnologias, a digitalização e o avanço das energias renováveis são apenas alguns aspectos. Também foi confirmado pela Universidade de Stanford: um mundo movido 100% por energias renováveis, principalmente eólica e solar, será possível no ano de 2050.

 Parque eólico offshore de Wikinger

 Parque eólico offshore de East Anglia ONE

 Parque eólico offshore de Saint-Brieuc

 Parque eólico offshore Baltic Eagle