Voluntariado internacional

VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

Você pode mudar o mundo!

#ação social #RSC #voluntariado #jovens

25% de europeus e norte-americanos colaboram como voluntários. Na Espanha, 260.000 pessoas participam de projetos internacionais. Eles querem mudar o mundo, mas, muitas vezes, esse novo mundo é o que os transforma.

"O mais difícil? O retorno. Voltar a essa sociedade consumista e, muitas vezes, superficial.” É assim que a madrilenha Ana Morenas descreve o impacto de trabalhar como voluntária no campo de refugiados sírios de Katsikas (Grécia). "Lá, as questões materiais são deixadas de lado. O gratificante são as pessoas. Você compartilha tudo, vive muitas experiências... É uma experiência muito intensa". Todas as manhãs, Ana ajudava no armazém e, à tarde, na creche.

Elena Sanz prestou apoio aos refugiados sírios na Espanha. “Apesar da difícil situação, todos demonstram uma grande força, coragem e positivismo que muitos de nós gostaria de ter”, comenta sobre a experiência que classificou como “mais do que enriquecedora”.

Cormac Lacey passou três semanas em uma favela de São Paulo (Brasil) ensinando informática a vários adolescentes. "Vi a esperança no rosto deles. O mais importante foi colocar a ideia de que eles podem alcançar qualquer objetivo que se proponham na vida". O relacionamento com os demais voluntários foi excepcional: "compartilhávamos um olhar positivo sobre a vida e, por isso, a equipe era muito mais do que a soma de seus componentes".

Para Hannia Caballero, também foi difícil retornar do orfanato Darna, no Marrocos, para seu trabalho em um cartório de notas. "Criam-se laços com as crianças, com suas cuidadoras e vemos que seu trabalho é muito pontual, apesar de elas necessitarem de apoio permanente".

Em um mundo global, a solidariedade também se internacionalizou e há muito a ser feito nos países mais desfavorecidos em relação à infância, igualdade, educação, saúde ou ajuda humanitária.

O voluntariado internacional permite viajar, viver e mergulhar em novas culturas, aprender idiomas e crescer como pessoa ao conhecer, em primeira mão, realidades muito diferentes do dia a dia do país de origem.

Como podemos colaborar?

Há muitas formas. O mais comum é participar de um programa de uma ONG. Existem muitas possibilidades, desde a ONG pagar todas as despesas (viagem, alojamento, comida etc.) até ela se encarregar de pagar apenas o seguro (e as despesas ficarem por conta do voluntário, como foi o caso da Hannia). A Ana foi para a Grécia por sua conta. Entrou em contato com a ONG Aire e com a associação Olvidados, que reservou um lugar em seu albergue por cinco euros por noite. Comprou a passagem de avião e, em Katsikas, se colocou a serviço dos coordenadores do ACNUR. Outra forma de colaborar na fundraising, por meio da qual você pode ajudar na arrecadação de alimentos, remédios e até ajudar na contratação de voluntários.

Elena e Cormac são dois exemplos de uma forma de colaboração cada vez mais importante: o voluntariado corporativo. As duas participaram de programas da Iberdrola, tanto em ações locais e pontuais quanto em projetos internacionais e de longo prazo, como o projeto Involve. A empresa promove o voluntariado Link externo, abra em uma nova aba. e oferece tudo: treinamento, viagem, alojamento etc. Muitos empregados repetem a experiência todos os anos.

 A Iberdrola e seu Programa Internacional de Voluntariado Corporativo

De acordo com o Observatório do Voluntariado Corporativo Link externo, abra em uma nova aba., 87% das empresas ibero-americanas e 67% das espanholas têm programas de voluntariado. Em 7,3% das empresas mais de metade dos empregados participa, embora o mais comum seja uma participação inferior a 10%.

De acordo com o relatório The Big Tenth da Associação Internacional para o Fomento ao Voluntariado Link externo, abra em uma nova aba., 73% das empresas afirmam que empregariam mais rapidamente um candidato com experiência como voluntário do que outro sem ela e 58% apontam que a experiência como voluntário pode ser mais valiosa do que a experiência em um trabalho remunerado. Os empregados também pensam assim: mais de 90% consideram que o voluntariado aumenta as habilidades de liderança e a capacidade para resolver problemas e tomar decisões.

Milhões de voluntários

Determinar o número de voluntários é muito complicado, principalmente devido à amplitude de sua definição. A Plataforma do Voluntariado da Espanha Link externo, abra em uma nova aba. calcula esse número em 3,1 milhões em 2015. Cerca de 262.000 destes exercem, anualmente, seu trabalho em outro país. Os homens são a maioria: 54% do total e dois terços no caso do voluntariado internacional.

PORCENTAGEM DA POPULAÇÃO VOLUNTÁRIA EN UMA ONG
Dados por faixa etária (Outubro 2015)

13,11%

De 14 a 24
anos

8,71%

De 25 a 34
anos

6,06%

De 35 a 44
anos

6,16%

De 45 a 54
anos

6,34%

De 55 a 64
anos

8,41%

De 65 y más
anos

Fonte: A população espanhola e seu envolvimento com as ONGs. PVE, 2015.

A União Europeia [PDF] Link externo, abra em uma nova aba. tem entre 92 e 94 milhões de voluntários (23% da população), seja de forma permanente ou pontual, enquanto, nos Estados Unidos, o departamento do Trabalho calcula que o voluntariado representa 25,4% da população.

A UE fomenta o voluntariado entre os jovens com o programa European Voluntary Service Link externo, abra em uma nova aba.. A iniciativa acaba de completar duas décadas e já prestou assistência a 100.000 voluntários de 17 a 30 anos. Seus projetos duram de duas semanas a um ano e cobrem todas as despesas.