ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

O que são as águas subterrâneas e por que seu nível de poluição é preocupante?

#sustentabilidade ambiental #saúde #natureza

As águas subterrâneas são aquelas que estão abaixo da superfície da terra e são fundamentais porque abastecem um terço da população mundial. Da mesma forma que outros elementos de nosso planeta, também estão ameaçadas pela poluição. De fato, um recente estudo elaborado pela Universidade Albert-Ludwigs de Freiburg (Alemanha) alerta de que os níveis de contaminação poderiam ser superiores aos inicialmente previstos.

As águas subterrâneas são vitais, pois fornecem quase a metade de toda a água potável do mundo, constituindo uma reserva essencial para períodos de secas e contribuindo para manter vários ecossistemas. No entanto, um recente estudo liderado por Andreas Hartmann, professor catedrático de Recursos Hídricos da Universidade Albert-Ludwigs, afirma que o nível de poluição dessas águas poderia ser pior do que se imaginava.

O QUE SÃO AS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

Como seu próprio nome indica, as águas subterrâneas são aquelas que estão abaixo da superfície, sendo um dos elementos-chave do ciclo hidrológico. Quando ocorrem precipitações na forma de chuva ou neve, parte da água se infiltra através do solo até encontrar uma rocha impermeável, preenchendo seus poros e vazios intergranulares, de modo que a água fica armazenada em aquíferos.

De acordo com a UNESCO, organismo da ONU — que promove o ODS 6: Água potável e saneamento —, este recurso natural proporciona inúmeros benefícios, entre os quais cabe destacar:

  • Fornece quase a metade de toda a água potável do mundo e supre cerca de 43 % de toda a água consumida nos sistemas de irrigação.
  • Aproximadamente 2,5 bilhões de pessoas dependem exclusivamente dos aquíferos para satisfazer suas necessidades diárias de água, por isso é tão importante o consumo responsável.
  • Representa uma reserva essencial para as populações de regiões áridas, oferecendo-lhes uma fonte de água potável inclusive durante longos períodos de seca.
  • Ajuda a manter muitos tipos de ecossistemas, dos quais dependem diferentes populações e espécies.

TIPOS DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

Conforme suas características, os aquíferos são classificados de diferentes formas:

De acordo com seu comportamento hidráulico:

  • Livre ou freático: não tem uma camada impermeável, sendo totalmente aflorante em toda a sua extensão, por isso o limite superior da área saturada de água (nível freático) está em equilíbrio com a pressão atmosférica.
  • Confinado ou artesiano: estão confinados entre duas camadas impermeáveis e, consequentemente, submetidos a uma maior pressão que a atmosférica.
  • Semiconfinados: sua base e/ou topo é constituída por um terreno semipermeável, tendo assim características intermediárias entre os livres e os confinados.

De acordo com sua textura:

  • Sistemas porosos: a água está entre os materiais não consolidados como o cascalho ou as areias, os quais absorvem a água como uma esponja.
  • Sistemas fissurados ou fraturados: a água está entre formações rochosas com fissuras (ou diáclases) e fraturas que permitem a circulação interna.

COMO SE FORMAM AS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

A água das precipitações, após ser infiltrada através do solo desce pelo que se conhece como zona de aeração ou vadosa até se acumular na denominada zona de saturação ou camada saturada. Seu limite superior é o nível freático, enquanto o inferior pode chegar, às vezes, a dez quilômetros de profundidade. No seguinte infográfico podemos observar detalhadamente:

A formacao e distribuicao das águas subterraneas.#RRSSA formação e distribuição das águas subterrâneas.

 VER INFOGRÁFICO: A formação e distribuição das águas subterrâneas [PDF]

A POLUIÇÃO DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

De acordo com o estudo da Universidade Albert-Ludwigs citado inicialmente, a poluição das águas subterrâneas poderia ser pior do que se imaginava. Por exemplo, até 50 % dos poluentes estudados — como o herbicida glifosato — chegaram aos aquíferos sem passar por nenhum processo de filtração, contradizendo o que se pensava. Como resultado, o nível de glifosato na água subterrânea poderia ser até 19 vezes superior à concentração máxima permitida na Europa.

De um modo geral, a poluição dos aquíferos ocorre a partir de três focos diferentes:

 Propagação a partir da superfície

Pela poluição do solo através da acumulação na superfície de resíduos sólidos (por exemplo, um aterro ou lixão localizado acima de um aquífero) cujos materiais solúveis são dissolvidos pela chuva (lixiviação) e arrastados para o aquífero.

 Propagação a partir da zona não saturada

Um dos casos mais habituais é o causado pela depuração das águas residuais domésticas, quando estas são filtradas através da zona de aeração ou vadosa até chegar à de saturação.

 Propagação a partir da zona saturada

Quando se utilizam profundos poços de injeção para evacuar águas residuais que não estão adequadamente projetados, localizados ou administrados, podendo originar a presença de agentes poluentes no aquífero.

Da mesma forma, as principais fontes poluentes das águas subterrâneas são:

 Poluição urbana e doméstica

Se divide em resíduos sólidos (propagação a partir da superfície) e resíduos líquidos (propagação subterrânea a partir da zona não saturada). Tal como vimos anteriormente, a lixiviação das matérias solúveis de um aterro ou lixão ou a filtração a partir das redes de saneamento são focos habituais de poluição.

 Poluição agrícola e pecuária

É a principal causa de poluição da água devido à lixiviação dos produtos usados por agricultores e pecuaristas — fertilizantes, agrotóxicos e produtos fitossanitários —, e aos despejos de estrume ou irrigação intensiva que aumentam a salinização e a poluição por nitratos dos aquíferos.

 Poluição industrial e de mineração

A industrial provém principalmente da descarga de resíduos sólidos em aterros e líquidos em leitos superficiais, assim como da perda de substâncias durante seu transporte e armazenamento. No caso da mineração, as fontes tóxicas são os depósitos de resíduos e as evacuações dos equipamentos de lavagem de minérios.

Como combater a poluição das águas subterrâneas

Além da gestão sustentável, a poluição das águas subterrâneas também pode ser combatida a partir de dois âmbitos: os tratamentos preventivos, cuja finalidade é evitar a poluição, antecipando-se ao problema; e os tratamentos curativos, que são aplicados uma vez que a água já esteja contaminada. As principais vias de atuação são:

  • Tratamentos preventivos: estabelecer perímetros de proteção, localizar adequadamente aterros e descargas, depurar os contaminantes líquidos, racionalizar a irrigação e a adubação nitrogenada, controlar o bombeamento em sondagens próximas à costa para evitar a filtração de água marinha, etc.
  • Tratamentos curativos: a formação de barreiras subterrâneas impermeáveis e barreiras de depressão entre o aquífero e o foco contaminante ou a interceptação e extração por bombeamento do contaminante (a eficiência desse tratamento vem sendo colocada em dúvida), entre outros.