EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL

A evolução da população mundial e seu futuro impacto no planeta

#sustentabilidade ambiental #mudanças climáticas #sociedade

Um recente estudo da revista The Lancet contradiz a previsão da ONU que afirmava que em 2100 o planeta teria 11,2 bilhões de habitantes. A prestigiada revista indica que a tendência crescente alcançará seu pico em 2060 e, a partir desse momento, se reduzirá até chegar a 8,8 bilhões em 2100. Por quê? A melhoria do nível educacional das mulheres e um maior acesso a métodos contraceptivos.

O crescimento exponencial da população mundial durante o último século nos coloca em uma encruzilhada que devemos resolver da forma mais sustentável possível tanto para o meio ambiente quanto para o ser humano. Há vozes que vaticinam os piores presságios, embora também haja quem rompe esse pessimismo e projete um futuro mais esperançoso, tal como a revista The Lancet, que em um recente estudo lança uma cifra para 2100 (8,8 bilhões de habitantes) inferior à prevista pela ONU (11,2 bilhões).

CRESCIMENTO HISTÓRICO DA POPULAÇÃO MUNDIAL

A história demonstra que a evolução da população mundial nem sempre seguiu o vertiginoso ritmo atual. Há dois momentos históricos específicos que marcaram essa evolução:

  • Por um lado, a Revolução Neolítica, período em que o ser humano começa a dominar a natureza levando ao surgimento da agricultura e das práticas pecuárias. Tais avanços facilitaram a sedentarização da população e a liberação da mão de obra para outros trabalhos relacionados, por exemplo, ao artesanato. Dessa forma, ocorre um crescimento populacional que chega a quase 300 milhões de habitantes.
  • Por outro lado, a Revolução Industrial que provoca uma explosão demográfica sem precedentes até esse momento. No século XIX a população multiplicou-se por dois, triplicando-se no século XX até chegar a 6 bilhões no ano 2000. Os avanços médicos, científicos e econômicos propiciaram esse crescimento exponencial.

Em 2011 a população mundial chegou a 7 bilhões de habitantes e, atualmente, caminha para 8 bilhões apesar do impacto da pandemia de COVID-19 desde novembro de 2019.

O crescimento da populacao mundial.#RRSSO crescimento da população mundial.

 VER INFOGRÁFICO: O crescimento da população mundial [PDF]

CAUSAS DO CRESCIMENTO POPULACIONAL

Segundo a ONU três fatores determinam o crescimento da população mundial:

 Taxas de fecundidade

O crescimento populacional depende, em grande medida, das tendências nas taxas de fecundidade. Espera-se que a taxa de fecundidade mundial passe de 2,5 crianças por mulher em 2019 para 2,2 em 2050, conforme dados do estudo World Populations Prospects da ONU.

 Aumento da longevidade

Nas últimas décadas a expectativa de vida global aumentou significativamente e essa tendência vai continuar: a previsão é atingir 77,1 anos em 2050 (atualmente se situa em torno de 73). Apesar desse avanço, convém destacar que continua existindo uma diferença muito grande com os países menos desenvolvidos (7,7 anos a menos de expectativa de vida).

 Migração internacional

É um fator menos influente que os dois anteriores, mas relevante. De fato, os países que receberam um grande número de refugiados ou migrantes econômicos (entre o período de 2010 a 2020 (quatorze países ou regiões tiveram um fluxo líquido de entrada de mais de um milhão de pessoas) podem oferecer uma maior expectativa de vida para os recém-chegados.

CONSEQUÊNCIAS DO CRESCIMENTO POPULACIONAL

O crescimento da população mundial tem aspectos positivos para o desenvolvimento sustentável da sociedade, mas também provoca efeitos negativos no planeta. A seguir, enumeramos os mais importantes:

 Acelera as mudanças climáticas

As mudanças climáticas referem-se às alterações do clima atribuídas, direta ou indiretamente, às atividades humanas. Portanto, quanto mais seres humanos, maior será o impacto. Aqui entram em jogo os gases de efeito estufa que se acumulam na atmosfera e retêm calor aumentando seus efeitos e contribuindo para a elevação da temperatura média do planeta.

 Diminui a segurança alimentar

Segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), a segurança alimentar ocorre quando todas as pessoas têm acesso físico, social e econômico permanente a alimentos seguros, nutritivos e em quantidade suficiente para satisfazer suas necessidades nutricionais. A explosão demográfica afeta os fundamentos da segurança alimentar, ou seja, sua disponibilidade, estabilidade, acesso e consumo.

 Incide na perda de biodiversidade

A perda de biodiversidade se refere à diminuição ou desaparecimento da diversidade biológica, ou seja, a variedade de seres vivos que habitam o planeta. O crescimento populacional tem consequências na biodiversidade ao intensificar a atividade humana e a presença do artificial sobre o natural, fenômeno conhecido como antropoceno.

 Superexploração dos recursos

Os seres humanos estão esgotando os recursos naturais do planeta. É o que adverte o Fundo Mundial para a Natureza (WWF): a atual superexploração dos recursos naturais está gerando um enorme déficit, pois anualmente se consomem 20 % a mais em relação à quantidade regenerada e essa porcentagem continua aumentando.

PROJEÇÕES E TENDÊNCIAS NA EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL

Após estabelecer tanto as causas quanto as consequências do crescimento da população mundial, cabe perguntar-se: como será sua evolução? A seguir, contrapomos as estimativas já indicadas pela prestigiada revista médica The Lancet e pela ONU:

  • The Lancet. Essa publicação afirma que o pico populacional será alcançado em 2060, chegando a 9,7 bilhões de habitantes na Terra. Nessa altura a população irá decrescendo até situar-se em 8,8 bilhões de habitantes em 2100. O fator-chave para que isso ocorra será a melhoria generalizada e precoce da educação da mulher. O maior acesso a métodos contraceptivos também proporcionará um crescimento demográfico mais lento.
  • ONU. De acordo com suas previsões, em 2050 a população da África Subsaariana poderia dobrar e a Índia ultrapassaria a China como país mais populoso, o que levaria o planeta a ter 9,7 bilhões de habitantes. A principal divergência em relação à previsão da The Lancet é afirmar que o crescimento não parará durante a segunda metade do século XXI e que, consequentemente, o planeta alcançará seu ponto populacional máximo no final do século, ultrapassando a cifra de mais de 11 bilhões de habitantes.

Mas independentemente dessas previsões, a humanidade tem um desafio pela frente: minimizar o impacto do crescimento populacional e, por conseguinte, das mudanças climáticas. Para evitar que o planeta seja conduzido a uma situação limite, é crucial trabalhar conjuntamente para reduzir a pegada de carbono, construir infraestruturas e edificações em linha com um desenvolvimento urbano sustentável, promover a mobilidade inteligente e sustentável, favorecer a economia circular e o consumo responsável, fomentar as energias renováveis, etc.