'SMART CITIES': A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL DAS CIDADES

'Smart cities': a revolução tecnológica chega às cidades

As cidades sustentáveis, conectadas e otimizadas graças à utilização da tecnologia, não são apenas um fenômeno mundial irrefreável, também representam a única solução para conter e reduzir as alarmantes repercussões ambientais e socioeconômicas que a urbanização provocará em nosso planeta. Mostramos as cidades mais inteligentes do mundo.

Diariamente mais de 180.000 pessoas vão morar na cidade. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê que em 2050 a população mundial chegará a 9 bilhões de habitantes, dos quais 70% morarão em centros urbanos. Considerando que as metrópoles já consomem mais de 75% da geração de energia mundial e geram 80% das emissões de gases de efeito estufa (GEE), muitas cidades apostaram em se reciclar estrategicamente — e se transformar digitalmente — para darem resposta a alguns dos grandes desafios globais: aumento da população, poluição, escassez de recursos, gestão da água ou eficiência energética.

E fizeram isso convertendo-se em smart cities ou cidades 4.0: apoiaram-se nas tecnologias da informação e comunicação (TIC) e no big data para gerenciarem de forma eficaz e sustentável desde o funcionamento dos transportes até o uso dos recursos energéticos ou hídricos, os espaços públicos ou a comunicação com seus habitantes. O objetivo: diminuir o consumo energético, reduzir as emissões de CO2 e aumentar o bem-estar dos cidadãos.

Quais os segredos que convertem uma cidade em cidade inteligente?#RRSSQuais os segredos que convertem uma cidade em cidade inteligente?

 VER INFOGRÁFICO: Quais os segredos que convertem uma cidade em cidade inteligente? [PDF]
 

Descubra as características de uma 'smart city'

CARACTERÍSTICAS DE UMA 'SMART CITY'

  • Utilização das tecnologias da informação e comunicação (TIC).
  • Automatização e controle de edifícios.
  • Planejamento urbano eficiente.
  • Mobilidade urbana e transporte público sustentável.
  • Gestão inteligente dos resíduos sólidos.
  • Melhoria da sustentabilidade ambiental.
  • Preocupação com o ambiente social.
  • Tecnologias aplicadas à educação.
  • Tecnologias aplicadas à saúde.
  • Sistema de comércio eletrônico.
  • Transparência entre governos e cidadãos.
  • Dados compartilhados: open data.

Ocultar informação

O compromisso ambiental das cidades é, à parte do número 11 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) aprovados pela ONU, um dos principais pilares de uma smart city. Sensores em postes de iluminação para medir a qualidade do ar ou otimizar o gasto em eletricidade, instalação de painéis fotovoltaicos em semáforos ou sinais de trânsito, monitoramento digital dos contêineres para melhorar a coleta de resíduos, medidores inteligentes de água e luz ou a promoção dos veículos elétricos e das bicicletas são apenas alguns exemplos das medidas reais que já estão sendo adotadas para reduzir o consumo dos recursos naturais.

AS CIDADES MAIS INTELIGENTES DO MUNDO

De acordo com o Smart City Index, elaborado em 2017 pela consultora Juniper Research e pelo gigante tecnológico Intel, estas são as cinco cidades mais inteligentes e eficientes do planeta em termos de mobilidade, saúde, segurança e produtividade:

  • CINGAPURA. Liderando o ranking se encontra esta ilha que soube implantar algumas medidas tão avançadas como: soluções inteligentes de controle de tráfego — conta com um sistema que permite que os motoristas economizem até 60 horas por ano —, táxis autônomos (sem motorista), videovigilância inteligente para detectar atividade criminosa ou o Smart Health TeleRehab, um programa graças ao qual todos os habitantes da terceira idade têm dispositivos especiais para fazer consultas médicas a qualquer momento.
  • LONDRES. A capital britânica, única cidade europeia presente neste top 5, dotou todas as ruas do bairro de Westminster de sensores de peso que, através de um app, alertam os usuários sobre a disponibilidade de vagas de estacionamento.
  • NOVA YORK. O epicentro da economia mundial instalou sensores em semáforos e ônibus para descongestionar a circulação da Grande Maçã.
  • SAN FRANCISCO. A mobilidade é o maior problema da cidade da Golden Gate. Para reduzir o tráfego e a poluição, apostaram fortemente no transporte elétrico autônomo e em uma frota de veículos públicos.
  • CHICAGO. Mais de 500 sensores converteram esta metrópole em uma região inteligente: seus semáforos, iluminação pública e contêineres de lixo estão todos conectados à Internet.

Todas essas cidades são um exemplo de reinvenção, mas paralelamente foram surgindo novas metrópoles 100% inteligentes. Tal é o caso de Másdar (Dubai), uma ecocidade totalmente sustentável e sem carros; Dongtan, situada nas proximidades de Xangai, só utilizará energia renovável e reciclará quase a totalidade dos resíduos gerados; ou Apern que, a apenas 14 quilômetros de Viena, incluirá sistemas de mobilidade e edifícios sustentáveis, utilização eficiente de recursos energéticos renováveis e agricultura urbana.

Diferentes estudos calculam que em 2020 a atividade relacionada à smart cities representará um volume de negócios de cerca de 1,5 bilhão de dólares em todo o mundo. Esse valor representa um sinal inequívoco de que o investimento e a aposta neste tipo de ambiente urbano continuará crescendo de forma exponencial durante os próximos anos.
 

 Conheça as cidades mais sustentáveis do mundo

 Movilidad urbana inteligente(*) Nota

 Eficiencia energética de los edificios(*) Nota

   

(*) Disponível na versão em espanhol.