Usina hidrelétrica San Esteban

San Estevo, o maior complexo hidrelétrico da Galiza

Energia hidrelétrica Instalações operacionais

Com a conclusão das obras da usina hidrelétrica San Esteban II em 2013, San Esteban (San Estevo) se tornou o maior complexo hidrelétrico da Galiza, com uma capacidade total instalada de 451 MW. Localizada na bacia do rio Sil, a instalação é pioneira na região por gerar energia hidrelétrica equivalente ao consumo médio anual de mais de 600.000 pessoas, o que representa quase o dobro da população da província de Ourense.

Presa San Esteban
Instalaçao operacional

Usina hidrelétrica de Baixo Iguaçu

Ubicación
Localização Nogueira de Ramuín (Espanha)
Capacidad instalada
Capacidade total instalada 451 MW
Producción
Produção energética +1.000 GWh por ano
Entrada en operación
Inicio de operação 1956 y 2013

Desde os anos 50, o complexo hidrelétrico San Esteban (Santo Estevo, em galego) tem sido um dos principais compromissos do grupo Iberdrola com a energia hidrelétrica na Espanha. Com a recente ampliação da barragem, culminando no projeto San Esteban II, a instalação localizada na bacia do rio Sil, que pertence ao município de Nogueira de Ramuín (Ourense), se tornou a maior geradora de energia renovável da Galiza. Sua capacidade total instalada é atualmente de 451 MW. 

Sua infraestrutura conta duas usinas geradoras: San Esteban I, que está em operação há mais de meio século com uma capacidade de 263 MW, e San Esteban II, em operação desde 2013 após uma obra de engenharia em tempo recorde que acrescentou outros 188 MW à sua potência geradora. Com estas duas instalações em operação, o complexo é capaz de produzir mais de 1.000 GWh por ano, o suficiente para atender às necessidades de energia de mais de 600.000 pessoas, o que representa quase o dobro da população da província de Ourense. 

A localização privilegiada do reservatório lhe confere um grande potencial em termos de recursos naturais. Devido à alta média de precipitação na região, uma das mais úmidas do país, o complexo San Esteban acaba aproveitando a água da chuva para gerar energia limpa e renovável para mais de 320.000 famílias. 

O início da usina hidrelétrica San Esteban 

O compromisso da Iberdrola com a energia hidrelétrica na Galiza começou com o projeto San Esteban em 1945, quando começaram a ser construídos no cânion do rio Sil os primeiros acessos ao terreno onde a usina está atualmente localizada. Cerca de 2.000 pessoas estiveram envolvidas na construção do complexo hidrelétrico, que foi concluído anos depois, em 1956, representando um dos marcos mais importantes da história do grupo na Espanha, já que naquela época era a maior instalação hidrelétrica em termos de capacidade instalada em toda a Europa.
 
Para realizar o importante projeto do salto de San Esteban, foram necessárias cerca de 150.000 toneladas de cimento e outras 10.000 toneladas de aço, o que resultou na construção de uma barragem em uma área de difícil relevo. Desde seus primeiros anos de serviço, o aproveitamento elétrico do rio Sil contribuiu significativamente para uma produção de energia que abasteceu a vida industrial do país. 
 
As extraordinárias obras de engenharia utilizadas na construção da barragem de San Esteban, além das técnicas inovadoras aplicadas durante os anos de sua construção, fazem dessa uma das principais instalações hidráulicas operacionais do grupo na Espanha, juntamente com outras como as usinas Aldeadávila, Cortes - La Muela e Ricobayo. Sua barragem tipo "arco-gravidade" de concreto tem 115 metros de altura, um comprimento de crista de 295 metros e seis vertedouros, o que significa que possui uma capacidade de reservatório de 213 hectômetros cúbicos em uma superfície de 737 hectares.

A ampliação do complexo com San Esteban II

Ao longo dos anos, foi realizada uma expansão da usina original para aumentar sua capacidade de geração, o que melhoraria as infraestruturas existentes (barragem, reservatório e linhas de escoamento). Foi quando, em 2008, começaram os trabalhos no projeto San Esteban II. Instalada nos cânions do rio Sil, a construção da nova usina foi realizada em uma caverna (minimizando o impacto ambiental) localizada a 100 metros de profundidade, totalmente subterrânea e não visível do exterior, o que permite manter o privilegiado ecossistema da Ribeira Sacra.

Durante os anos de construção da mais recente usina no complexo San Esteban, a companhia elétrica realizou um investimento total de 127 milhões de euros, além de criar cerca de 300 empregos, o que foi um enorme impulso para a indústria na Galiza. Na cerimônia de inauguração de San Esteban II, realizada em maio de 2013, o presidente da Iberdrola, Ignacio Sánchez Galán, destacou os esforços para construir o maior complexo hidrelétrico da região, com seus 451 MW de capacidade.

A usina hidrelétrica de San Esteban sob o olhar de um zangão.

Em janeiro de 2017, o grupo concluiu a expansão de San Esteban com o início das operações de uma nova usina hidrelétrica, San Pedro II, que atua como uma contra-barragem a San Esteban para modular o fluxo do rio Sil. 

A usina hidrelétrica San Esteban representa apenas um dos vários projetos renováveis da Iberdrola na Galiza. A empresa elétrica administra atualmente mais de 2.200 MW de produção limpa na região, um número que a torna uma das comunidades autônomas que gera os megawatts mais verdes instalados pela Iberdrola na Espanha. 

Também se destaca o firme compromisso do grupo com a energia proveniente de centrais hidrelétricas na Galiza, responsável por mais da metade (1.582 MW) da capacidade total renovável gerada na Galiza. A liderança de longa data assumida pela Iberdrola como uma das maiores produtoras hidrelétricos da região tem servido para impulsionar o tecido empresarial local, o que gera milhares de empregos que ativam a economia local. 

Iberdrola, líder mundial em energias renováveis

Na Iberdrola, estamos comprometidos com as energias renováveis há mais de duas décadas como um pilar fundamental sobre o qual construir nosso modelo de negócios seguro, limpo e competitivo. Graças a essa visão, hoje somos líderes mundiais em energias renováveis, alcançando 42.387 MW de energia limpa em operação após o primeiro trimestre de 2024.

Esse compromisso está refletido em nosso Plano Estratégico, no qual destinaremos 15,5 bilhões de euros brutos para energias renováveis. Desse total, mais da metade terá como foco a energia eólica offshore nos EUA, no Reino Unido, na França e na Alemanha, sendo que 28% será designado à energia eólica onshore e 18%, à energia solar.