O QUE É O 'BIG DATA' E PARA QUE SERVE?

'Big data': principais usos e aplicações

Hoje em dia, cerca de 6,5 bilhões de dispositivos conectados intercambiam informações na Internet. Em 2025, essa cifra passará para 20 bilhões. O big data analisa essa grande quantidade de dados para convertê-los nas informações que estão transformando nosso mundo.

Big data.

A revolução digital está mudando a economia, a sociedade e as pessoas. No centro dessa revolução temos os dados provenientes de bilhões de dispositivos. De acordo com a consultora Gartner, em 2016 foram contabilizados cerca de 6,5 bilhões e em 2025 serão mais de 20 bilhões. Além disso, e de acordo com um fornecedor líder em Soluções de TIC, a Internet das coisas disparará esse número para 100 bilhões de dispositivos conectados.

Suas utilidades são praticamente infinitas: o navegador sabe se a rota consultada por um usuário sofre retenções de tráfego sugerindo-lhe alternativas; um canal de televisão em streaming por assinatura definiu os personagens e a trama de sua série mais bem-sucedida analisando os conteúdos que seus espectadores consomem e preferem; os relógios inteligentes registram as pulsações de milhões de usuários e identificam padrões que antecipam e evitam doenças cardiovasculares; os sensores de umidade nos campos de cultivo planejam a rega, combinando seus dados com as previsões meteorológicas e assim sucessivamente. Suas aplicações chegaram, inclusive, à área política: Juan Verde, o assessor espanhol nas duas últimas campanhas do partido democrata nos EUA, chegou a afirmar: "Estas eleições não são as da televisão, são as do big data".

10 dados relevantes sobre o 'big data' em 2020.#RRSS10 dados relevantes sobre o 'big data' em 2020.

 VER INFOGRAFICA: 10 dados relevantes sobre o 'big data' em 2020 [PDF]

O estudo dos padrões dos consumidores já é uma das principais aplicações das análises avançadas de dados. As redes sociais — como o Facebook, Twitter ou Instagram — são uma ferramenta das marcas para conhecer seus consumidores e se conectar a eles. As empresas também se lançaram na tarefa da obtenção de dados dos consumidores. Uma empresa especializada em big data e retail intelligence instalou 15.000 sensores em zonas comerciais de 25 países. Graças aos dados coletados por tais sensores, foi possível saber que na Espanha 36,8% dos clientes que entram em uma loja acabam comprando.

A transformação digital nas empresas traz consigo uma inflação de dados que inúmeras organizações não sabem como usar e gerenciar, e isso já se nota no mercado de trabalho. De acordo com a empresa de soluções em recursos humanos Randstat, os especialistas em big data constituem um dos três perfis mais demandados em 2017. Como principais requisitos, as empresas pedem experiência internacional, visão estratégica, capacidade analítica e adaptação à mudança.

Está previsto que nos próximos seis anos o big data criará 900.000 empregos em todo o mundo e que as empresas que fizerem um uso inteligente dos dados aumentarão sua produtividade em 8%. Estamos preparados?

 Disrupção tecnológica(*) Nota

 Mobilidade urbana inteligente(*) Nota

 Domótica(*) Nota
 

 

(*) Disponível na versão em espanhol.