APRENDER FAZENDO

'Learning by doing', uma metodologia para impulsionar o treinamento nas empresas

#treinamento #alto rendimento #competências profissionais

Cada vez há mais empresas que adotam o learning by doing, uma metodologia mais voltada para a ação ao treinar os funcionários. Baseia-se na prática do trabalho a ser desempenhado, cujo objetivo é estimular a atividade, a motivação e a participação dos funcionários, compartilhando ideias em grupos de trabalho e desenvolvendo uma autoavaliação justa.

O mundo da aprendizagem mudou: o treinamento online ganha terreno ao presencial, os meios digitais aos tradicionais e a prática à teoria. Em um contexto de mudança permanente, a aprendizagem learning by doing — ou aprender fazendo — surge como uma tendência crescente no âmbito do treinamento. Nas empresas que buscam melhorar o treinamento profissional, esse método está cada vez mais valorizado devido à sua capacidade para desenvolver competências básicas, tais como a tomada de decisão, o trabalho em equipe e a liderança.

O QUE É A METODOLOGIA 'LEARNING BY DOING'. OBJETIVOS

"É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer". Essa citação, atribuída ao filósofo Aristóteles, é exatamente o learning by doing. Na primeira metade do século XX, dois pedagogos norte-americanos — John Dewey e William Heard Kilpatrick — apresentaram a teoria de que "a aprendizagem melhora quando é consequência de experiências significativas, pois isso permite que o estudante seja coparticipante do planejamento, produção e compreensão da experiência".

A teoria foi sustentada através da aplicação prática na década de 70 por David Kolb, professor de Harvard e do Massachusetts Institute of Technology (MIT) que, dada sua experiência como estudante universitário — segundo ele entediante e com uma retenção de conhecimento bastante baixa —, decidiu implementar com seus alunos métodos diferentes para obter resultados distintos. Dessa forma, Kolb desenvolveu a ELT (Experiential Learning Theory - Teoria da Aprendizagem Experiencial) introduzindo em suas aulas atividades como jogos, roleplays e simulações. Resultado? A atenção e retenção dos estudantes aumentaram de forma considerável.

A piramide da aprendizagem.#RRSSA pirâmide da aprendizagem.

 VER INFOGRÁFICO: A pirâmide da aprendizagem [PDF]

A partir daí a metodologia learning by doing começou a se popularizar. Graças também a outras contribuições como a do norte-americano Roger Schank, considerado o enfant terrible da pedagogia atual, que defende que a única forma de aprender é fazer coisas que nos estimulem a superar-nos: "Analisei como funciona a aprendizagem e sua base é fazer perguntas, fazer e falhar, pedir ajuda e tentar novamente. É o que denominamos learning by doing". É assim que o mundo da empresa está incorporando essa forma de aprendizagem: através da prática em contextos reais, o que implica encontrar fórmulas criativas para desenvolver ideias e projetos em equipe enquanto exploramos, descobrimos, experimentamos, aplicamos e refletimos sobre o que foi realizado.

Roger Schank, especialista em ciência da aprendizagem

Analisei como funciona a aprendizagem e sua base é perguntar, fazer e falhar, pedir ajuda e tentar novamente

COMO FUNCIONA A METODOLOGIA 'LEARNING BY DOING'

Kolb definiu as quatro fases da metodologia learning by doing que podem ser aplicadas tanto no âmbito educativo quanto no do treinamento profissional:

1. Experiência Concreta. A imersão das pessoas nas atividades e tarefas que estão realizando possibilita a observação.

2. Observação Reflexiva. As pessoas refletem sobre o que estão observando e elaboram hipóteses com essa informação e seu possível significado.

3. Conceituação Abstrata. Em função dessas hipóteses, as pessoas geram conceitos abstratos que devem ser interpretados e assimilados.

4. Experimentação Ativa. As pessoas experimentam e colocam em prática os conceitos em outros contextos, o que lhes permite melhorar.

No caso das empresas, a simulação de certas situações vividas em uma organização permite desenvolver habilidades e atitudes muito valorizadas no contexto atual devido ao seu caráter estratégico, tais como criatividade, pensamento crítico, autoavaliação, capacidade de análise, trabalho em equipe, resolução de problemas e tomada de decisão. Além disso, se compartilham ideias que muitas vezes acabam se convertendo em soluções inovadoras e melhora a produtividade. No entanto, o learning by doing não pode ser improvisado, pois deve estar perfeitamente planejado e estruturado.

AS VANTAGENS DA APRENDIZAGEM 'LEARNING BY DOING'. OPORTUNIDADES

Segundo um artigo publicado pela rede social profissional LinkedIn, o learning by doing abrange cinco benefícios principais que também podem ser encarados como oportunidades:

 A aprendizagem experiencial é envolvente e permanece

As experiências de aprendizagem pessoais envolvem as pessoas e geram motivação ao conectar o aprendido com aquilo que se sente. Ou seja, fazem com que a aprendizagem seja significativa.

 A aprendizagem experiencial é pessoal

Convidar um estudante ou profissional para viver experiências de aprendizagem e refletir sobre elas fortalece sua capacidade de ação e melhora seu engajamento no processo.

 A aprendizagem experiencial conecta com a comunidade

Viver uma experiência de aprendizagem conecta as pessoas entre si, o que permite acessar outras realidades e formas de pensar, além de estabelecer redes de contatos (networking).

 A aprendizagem experiencial é integradora

A aprendizagem experiencial oferece a possibilidade de se aprofundar e a variedade de experiências aumenta a transferibilidade do aprendido, tornando-o mais relevante e integrador.

 A aprendizagem experiencial desenvolve habilidades para o sucesso

As experiências de aprendizagem permitem desenvolver habilidades de colaboração e gestão de projetos, assim como iniciativa e perseverança.