PROJETOS DE ILUMINAÇÃO

Melhoramos a visibilidade do patrimônio

No âmbito deste tipo de iniciativa, nosso principal objetivo consiste em desenvolver intervenções em monumentos artísticos e edificações singulares para melhorar sua iluminação interna/externa, contribuir para a valorização do patrimônio e favorecer a eficiência energética ou diminuir a poluição ambiental.

Deste modo, entre outros projetos, a Iberdrola iluminará a fachada principal do Centro Superior de Estudos da Defesa Nacional da Espanha (CESEDEN). Por meio de sua Fundação na Espanha, a Companhia assinou um convênio de colaboração com o Ministério de Defesa espanhol para conceber e executar um novo sistema de iluminação ornamental para a fachada principal da sede do Centro Superior de Estudos da Defesa Nacional da Espanha (CESEDEN) em Madri.

O projeto consiste na instalação de um novo sistema de iluminação exterior na fachada principal deste edifício do final do século XIX de estilo eclético, de tal forma que suas características arquitetônicas serão ressaltadas.

A Iberdrola renovou também e modernizou a iluminação ornamental exterior da Basílica de Nuestra Señora del Prado, em Talavera de la Reina (Toledo), designada como Bem de Interesse Cultural da Espanha em 1993 na categoria de Monumento. A companhia instalou 45 focos LED capazes de iluminar uma superfície de mais de 2.000 m2, que realçam e intensificam a silhueta noturna do templo. Graças às novas luminárias, conseguiu-se uma eficiência energética de 60 %, evitando-se a emissão à atmosfera de 1,6 toneladas de CO2/ano.

Em junho de 2020, a Iberdrola começou os trabalhos de renovação da iluminação interior da catedral de Palência visando destacar a beleza dos elementos arquitetônicos da edificação.

A catedral de San Antolín, construída sobre uma planta de cruz latina de três naves e dois cruzeiros, será iluminada com a tecnologia LED mais avançada, respeitando os valores patrimoniais e espirituais da edificação.

A iluminação desta catedral de estilo gótico, com elementos próprios da época românica e visigoda, é uma clara mostra do compromisso da companhia com Castela e Leão que visa favorecer o valor social da cultura e a conservação do patrimônio da região.

Em abril desse mesmo ano, a empresa também assinou um acordo para a renovação da iluminação do retábulo principal da Catedral Velha de Salamanca. O objetivo é fornecer ao conjunto uma iluminação moderna e eficiente que evite o deslumbramento e respeite sua conservação o máximo possível. Além disso, a intervenção visa obter uma reprodução cromática que não altere as pinturas.

Este acordo é o culminar de uma série de projetos realizados na capital de Salamanca, no âmbito do Programa de Iluminações da Iberdrola, por meio de sua Fundação na Espanha. Também em abril, a companhia inaugurou a iluminação decorativa do interior da Catedral Nova de Salamanca para destacar elementos importantes deste edifício — que é considerado Bem de Interesse Cultural — e melhorar sua eficiência energética em 87 %.

A companhia usou a mais avançada tecnologia LED para destacar abóbadas nos pavilhões centrais e laterais, transepto e zimbório, assim como ressaltar elementos específicos da capela maior e do altar com uma potência total instalada de 6,9 kW. Foram instalados 144 pontos de luzes e 1400 metros de cabo que, graças a uma instalação cuidadosa, não são visíveis aos visitantes das galerias dos trifórios que circundam a catedral.

Da mesma forma a Iberdrola inaugurou no mês de maio a iluminação interior da Capela do Colégio Maior do Arzobispo Fonseca, declarada Bem de Interesse Cultural. Essa ação conseguiu limitar a poluição luminosa, obtendo uma iluminação uniforme que realça o retábulo, a cúpula e o transepto.

A Iberdrola também renovou a iluminação decorativa do exterior da catedral católica de Ávila. Esse projeto aumenta a eficiência energética da catedral considerada um patrimônio cultural e evita a emissão na atmosfera de 4,8 toneladas de CO2 por ano. Além disso, a companhia instalou a mais avançada tecnologia LED em todo o entorno, telhados e torres da catedral para melhorar sua visibilidade à noite.

A Iberdrola México, por meio de sua Fundação, doou um novo sistema de iluminação de baixo consumo energético ao Museu Nacional de Arte (MUNAL) que permite que se aprecie melhor a cor, detalhes e textura das obras em exposição, além de ajudar na preservação das peças ao permitir controlar o nível de iluminação.

O sistema, que exigiu um investimento de mais de um milhão de pesos por parte da empresa, é composto por trilhos e lâmpadas LED, que foram instaladas nos quase 1.000 m2 das salas que abrigam as exposições temporárias. Essa iniciativa representará uma economia de 85 % em consumo energético no ano e reduzirá as emissões de CO2.

Por outro lado, a Iberdrola inaugurou, em maio de 2018, a nova iluminação externa da entrada frontaria principal da fachada sul do Mosteiro da Ordem de Santiago em Uclés (Cuenca), depois de fazer a renovação da iluminação decorativa que realça, por um lado, o volume da fachada e, por outro, os detalhes arquitetônicos deste monumento construído em 1735.

O presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, junto ao bispo de Cuenca, José María Yanguas; o presidente da Junta de Comunidades de Castela-La Mancha, Emiliano García-Page; e o secretário de Estado, Diretor do Centro Nacional de Inteligência, Félix Sanz Roldán, participaram do evento que marcou a ligação do sistema de iluminação instalado com lâmpadas de tecnologia LED, que reduzem a potência total em 55 %, o que significa reduzir também o consumo de energia e as emissões de CO2 na atmosfera.

A companhia também renovou a iluminação decorativa do Panteão Real da Igreja Colegiada de San Isidoro de León. O projeto, que envolveu investimentos de 87.000 euros, foi realizado graças ao acordo de colaboração assinado entre Iberdrola e a Basílica de San Isidoro de León em junho de 2017, cujo objetivo era destacar a excelência dos bens culturais dessa capela do século XI.

Para desenvolver este projeto, a empresa usou projetores de LED com reprodução cromática superior a 98 %, o que faz com que a cor seja percebida de forma muito semelhante a como seria visto à luz natural. Essa tecnologia LED traz também mais benefícios para as pinturas, já que ela não emite luz infravermelho ou ultravioleta. Além disso, três sensores de luz natural foram instalados para ajustar o nível de luz no interior do Panteão Real.

A Iberdrola e a Real Fábrica de Tapetes (Madrid) também renovaram o sistema de iluminação da instituição na oficina de restauração, usando soluções tecnológicas de última geração. Para isso, foram instaladas um total de 40 lâmpadas e dispositivos de iluminação adicionais, que permitem maior reprodução cromática, além de implementar um sistema de controle para regular o nível de luz de acordo com as necessidades do ambiente.

A nova iluminação, mais moderna e eficiente, vai permitir reduzir o consumo de energia em mais de 47 %, reduzindo assim as emissões anuais de CO2 em aproximadamente 3,5 toneladas.

A Iberdrola também renovou o sistema de iluminação do primeiro andar da Real Academia de Belas Artes de São Fernando, onde os trabalhos de grandes mestres são exibidos, melhorando os níveis de iluminação para melhorar a experiência dos visitantes e preservando melhor essas obras de arte.

Outro projeto de iluminação de destaque é o realizado no Museu do Prado entre 2014 e 2018: Lighting the Prado. Um ambicioso projeto de 14 fases onde, graças ao apoio da Iberdrola — por meio de sua fundação na Espanha —, renovou-se todo seu sistema de iluminação substituindo lâmpadas de halogêneo por tecnologia LED em todas as salas.

Outros projetos importantes foram a nova iluminação interior do Museu do Exército de Toledo, a igreja de San Nicolás de Bari (Burgos), o mosteiro de Nuestra Señora de Prado (Valladolid) ou a iluminação artística exterior da Basílica de San Vicente (Ávila).

 Descubra mais projetos de iluminação desenvolvidos pela empresa