ESPÉCIES ENDÊMICAS

As espécies endêmicas e seu valor para a biodiversidade

#natureza #sustentabilidade ambiental #mudanças climáticas

Quando falamos de endemismo, nos referimos a uma espécie em que sua distribuição geográfica é limitada. Os animais e plantas endêmicos, cuja vulnerabilidade é enorme ao contarem com populações mais reduzidas, são essenciais para seus ecossistemas e se convertem em um termômetro se quisermos medir o estado de saúde de um território. Por isso, sua proteção diante das ameaças de extinção é fundamental.

As primeiras décadas do século XXI evidenciaram as mudanças climáticas, o que serviu para conscientizar a humanidade sobre a importância de cuidar e conservar o planeta, incluindo sua flora e fauna. A perda de biodiversidade é, de fato, uma das maiores preocupações devido às consequências que acarreta e que vão além da extinção de espécies, pois também ameaçam o próprio ser humano pelo impacto causado no solo e na água, fundamentais para sua alimentação. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, especificamente o ODS 14 e o ODS 15, marcam o caminho a seguir para reverter essa perda e destacam a importância das espécies endêmicas.

O ENDEMISMO E AS ESPÉCIES ENDÊMICAS

Antes de abordar as espécies endêmicas, convém definir endemismo. O endemismo é um termo utilizado na biologia para indicar que a distribuição de um táxon se limita a um âmbito geográfico reduzido, portanto, só é possível encontrá-lo de forma natural nesse lugar. Consequentemente, as espécies endêmicas são aquelas cuja distribuição se restringe a uma área determinada, que pode ser uma cordilheira, um lago ou uma ilha, entre outros. Tanto os aspectos ecológicos do lugar quanto as características biológicas do ser vivo influenciam em tal condição.

As espécies endêmicas são muito importantes para nosso planeta devido à ampla variedade de seres vivos que proporcionam ao meio ambiente. De fato, não é por acaso que os países megadiversos, aqueles que hospedam pelo menos 70 % da diversidade biológica terrestre do planeta, apesar de representarem apenas 10 % da superfície, possuem um grande número de espécies endêmicas.

As espécies endêmicas são mais vulneráveis e, portanto, mais suscetíveis à extinção que pode ocorrer por causas naturais, mas também pela ação do ser humano. Além das consequências próprias das mudanças climáticas, temos a caça ilegal de animais, a modificação dos habitats ou a introdução de espécies invasoras. Dessa forma, o conservacionismo ambiental torna-se a principal razão para proteger essas espécies.

As principais características das espécies endemicas.#RRSSAs principais características das espécies endêmicas.

 VER INFOGRÁFICO: As principais características das espécies endêmicas [PDF]

TIPOS DE ENDEMISMOS

As espécies endêmicas podem ser classificadas de duas formas: por sua distribuição territorial e por sua genética, originando por sua vez uma série de categorias:

 De acordo com sua distribuição territorial

  • Microendêmicas: são aquelas espécies que se estabeleceram em uma área específica.
  • Quase endêmicas: são aquelas espécies que ultrapassam os limites de sua área específica.
  • Semiendêmicas: são aquelas espécies que passam apenas uma parte do ano em uma área específica.

 De acordo com sua genética

  • Paleoendemismo: são aquelas espécies que acabam formando grupos isolados devido a seus caracteres morfológicos, químicos ou genéticos.
  • Esquizo-endemismo: são aquelas espécies que se formam pelo isolamento gradual e que têm características cromossômicas e morfológicas parecidas.
  • Patroendemismo: são aquelas espécies que surgem devido a alterações no número de cromossomos e se caracterizam por colonizar áreas mais extensas que suas antecessoras.
  • Apoendemismo: são aquelas espécies que se originam umas das outras e que, ao contrário das patroendêmicas, ocupam áreas menores que suas antecessoras.

EXEMPLOS DE ESPÉCIES ENDÊMICAS

Existem inúmeras espécies endêmicas no mundo, a seguir oferecemos alguns exemplos de animais endêmicos e de plantas endêmicas:

Animais endêmicos

  • Lince ibérico (Lynx pardinus): mamífero carnívoro endêmico da Península Ibérica, sendo a espécie de felino mais ameaçada do mundo.
  • Urso polar (Ursus maritimus): mamífero carnívoro que vive no meio polar e em áreas geladas do hemisfério norte, sendo o único superpredador do Ártico.
  • Lêmure (Lemuroidea): primata estrepsirrino próprio da ilha de Madagascar no oceano Índico que se caracteriza por seus olhos brilhantes e suas curiosas vocalizações.
  • Urso panda (Ailuropoda melanoleuca): mamífero carnívoro típico do continente asiático, embora tenha sido a China o país que o converteu em seu símbolo para salvá-lo da extinção.

Plantas endêmicas

  • Sequoia-vermelha (Sequoia sempervirens): árvore também conhecida como sequoia da Califórnia, pode ser encontrada nessa região norte-americana e se destaca devido à sua alta esperança de vida.
  • Dragoeiro (Dracaena draco): árvore de casca rugosa, sendo uma das inúmeras plantas endêmicas que podem ser encontradas nas Ilhas Canárias (Espanha).
  • Palmeira barriguda (Colpothrinax wrightii): espécie de palmeira originária de Cuba que chama à atenção pela forma de seu tronco, cujo diâmetro se incha a dois-três metros do solo.
  • Pinheiro branco (Pinus jaliscana): árvore pertencente à família das pináceas que se destaca por sua altura, mais de 20 metros, e é originária da região de Jalisco (México).