O TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DA IBERDROLA DURANTE A COVID-19

Nossos profissionais: na linha de frente durante a pandemia do coronavírus

Em uma situação tão difícil como a criada pela pandemia do coronavírus em todo o mundo, os trabalhadores do grupo Iberdrola estão se esforçando mais do que nunca não só para seguir com o fornecimento de energia — mantendo a segurança dos funcionários e clientes —, mas também para oferecer toda sua solidariedade. Apresentamos para você alguns dos profissionais que tornaram isso possível.

Desde o começo da crise da COVID-19, a Iberdrola se concentrou na manutenção de seus serviços, garantindo ao mesmo tempo a saúde e a segurança de seus trabalhadores, clientes e fornecedores. Tudo isto representava um grande desafio, especialmente pelo crescimento da demanda energética por parte de hospitais, residências e serviços essenciais.

As equipes de TI da empresa tiveram que desenvolver em tempo recorde a infraestrutura necessária para facilitar o home office para todos os funcionários. "Foi preciso que todos trabalhassem em união para que tudo acontecesse”, explica Matheus Araujo, responsável por infraestrutura da Neoenergia1 Nota , filial do grupo no Brasil. "Estamos atuando em fluxo normal de home office e tivemos a força que precisávamos para essa mudança, vencendo todos os eventuais contratempos".

GARANTIR O FORNECIMENTO

O consumo das residências aumentou durante este período e o da indústria diminuiu, exceto nas empresas que oferecem serviços críticos essenciais, como é o caso da Iberdrola. Esta situação exigiu o esforço dos técnicos da empresa, que garantiram a geração de energia durante a pandemia, inclusive nas condições mais extremas.

As infraestruturas críticas são aquelas que cumprem um papel insubstituível no âmbito do setor eléctrico e onde, portanto, qualquer interrupção do serviço pode ter um impacto muito alto na população. Porém, conforme explica Natalia Galán, responsável por infraestruturas críticas da Iberdrola, "quando falamos de uma pandemia desta magnitude não podemos nos concentrar somente nestas infraestruturas críticas, mas sim no conjunto de todas as instalações estratégicas essenciais para garantir o fornecimento elétrico".

Um exemplo é o complexo eólico de Valdeporres (Burgos), a instalação eólica mais isolada e situada em uma área de alta montanha da Iberdrola na Espanha. Ela sempre está exposta a condições meteorológicas extremas. Seu responsável, Eduardo García Antón, explica que "não houve mais incidências que as habituais e conseguimos resolvê-las tal como estamos acostumados e habituados".

Na gigabateria do Tâmega, o projeto mais importante da empresa no setor hidrelétrico a nível europeu, "desde o primeiro momento nos guiamos pela ideia de tentar não parar", afirma seu responsável meio ambiental, Sara Hoya. Conforme suas palavras, no complexo foram implantadas todas as medidas de segurança, "como distanciamento, fazer vários turnos para comer, utilizar máscaras, lavar as mãos, desinfecção das áreas comuns, etc."

Nada disto teria sido possível sem um plano de emergências prévio. Trish Nilsen, diretora de preparação para emergências da Avangrid2 Nota Networkssubholding da Iberdrola nos EUA. Para ela, as filiais “já possuíam sólidos planos de continuidade de negócio e resposta para emergências”, o que lhes permite estar preparados no caso de qualquer contingência. “Este tipo de planificação resultou ser muito útil para nós ao enfrentarmos esta emergência”, acrescentou.

Natalia Galán, responsável de infraestruturas críticas da Iberdrola, explica que a legislação atual não contempla ameaças biológicas como a que estamos enfrentando nesse momento. "Mas na Iberdrola — mais concretamente no setor de Segurança, onde analisamos muitos cenários de risco — elas estão incluídas e, portanto, estavam plenamente incorporadas em nossos procedimentos internos e nos planos de continuidade dos diferentes Negócios. Por essa razão, de alguma forma, tínhamos bastante clareza sobre o roteiro que iríamos seguir".

A COMUNICAÇÃO COM OS FUNCIONÁRIOS

Outro aspecto importante para o grupo foi manter sempre seus trabalhadores seguros e informados. Os CEO de todas as subholdings têm mantido comunicações regulares com seus funcionários e o presidente do grupo, Ignacio Galán, teve um encontro virtual com empregados na Espanha. Por outro lado, os departamentos de Recursos Humanos estão enviando e-mails periodicamente para seus funcionários.

Além disso, foram criadas várias plataformas como os comitês de funcionários da Avangrid2 Nota , nos quais os responsáveis da companhia respondem diretamente as perguntas dos trabalhadores. Também há o Neo at home, um fórum criado pela Neoenergia1 sobre o home office que inclui conselhos, desabafos e boas práticas. Foram igualmente implantadas ações periódicas de capacitação e desenvolvimento, encontros virtuais, canais de WhatsApp, etc.

"O diálogo é o que mais buscamos estimular", explica Clayton Freire, gerente de comunicação interna e cultura da Neoenergia1 Nota . "Conseguimos estar próximos dos profissionais em suas casas e dos que estão em campo nas atividades essenciais".

A SOLIDARIEDADE

A Iberdrola não quis deixar para trás os mais vulneráveis. Consciente da enorme necessidade de material sanitário e de prevenção para as equipes de saúde, a empresa se comprometeu a conseguir suprimentos, trabalhando sempre junto com as autoridades.

Somente na Espanha, a Iberdrola gerenciou a recepção e envio de mais de 80 toneladas de materiais sanitários para hospitais, Polícia Nacional, Correios, etc. "Pediram aproveitarem a nossa capacidade global de acesso aos suprimentos de material sanitário através de nossa ampla rede de fornecedores, tanto nacionais como internacionais", explica Ignacio Ramiro, gestor de compras na Iberdrola.

Ramiro acrescenta que, pela excepcionalidade do momento, tiveram que enfrentar uma situação que "não tem nada que ver" com as compras que fazemos habitualmente, "especialmente pela urgência em fechar todas as operações", em um mercado saturado e tendo que fazer os pagamentos de forma antecipada.

Na Espanha, os materiais foram chegando aos aeroportos de Madri, à base aérea de Torrejón de Ardoz e ao centro logístico de Saragoça. Todo este processo se concentrou no centro de formação de San Agustín del Guadalix (Madri), que, em palavras de Karina Jaczko, responsável de planejamento e gestão de espaços da Iberdrola, "se transformou, até certo ponto, em um centro logístico". Jaczko, que esteve no macrohospital do Ifema, destaca acima de tudo a solidariedade e a organização: "Muita, muita colaboração, particulares que chegavam com sacolas de comida, frutas, etc. para doação".

No México, a Iberdrola duplicou o investimento em material sanitário, até 60 milhões de pesos (1,16 milhão de euros) para a compra de material sanitário que doará ao setor público com o objetivo de proteger o pessoal médico e atender de forma segura os pacientes.

Outras ajudas destacáveis foram a doação de comida em comunidades do Rio de Janeiro e São Paulo no Brasil ou para pessoas idosas no Reino Unido, ou de refeições solidários na Espanha. Nos Estados Unidos, a Avangrid2 Nota deu dois milhões em subvenções, aso quais devemos somar a doação de máscaras. No Reino Unido, facilitou-se o uso de meios de transporte para o pessoal sanitário.

O LEGADO DA CRISE

Uma vez que a pandemia parece estar diminuindo em algumas áreas, já é hora de preparar o desconfinamento. Neste sentido, serão mantidas todas as medidas de segurança como home office, higiene e distanciamento social. "A ideia é organizar de forma ordenada a volta às atividades presenciais e aos escritórios, priorizando a segurança e as necessidades dos funcionários no cenário novo que teremos, sem que haja impacto na operação da companhia", informou Manuel Martínez, líder do comitê de recursos da Neoenergia1 Nota .

Em qualquer caso, e apesar de que a nossa forma de viver e se relacionar já não será como antes, os profissionais da Iberdrola querem ser otimistas. "Eu sim vejo luz no final do caminho. Não tenho a mais mínima dúvida", diz Karina Jaczko.
 

1 Nota A Iberdrola, S. A. tem uma participação indireta de 50 % + 1 ação na Neoenergia, S. A.

2 Nota A Iberdrola, S. A. tem uma participação de 81,50 % na Avangrid, Inc.