Dia Mundial do Vento 2023

Dia Mundial do Vento: uma data para celebrar um recurso único

A Iberdrola, líder mundial em energia eólica, participa como todos os anos da comemoração do Dia Mundial do Vento na quinta-feira 15 de junho. Esta data foi promovida em 2007 pela Associação Europeia de Energia Eólica para conscientizar e destacar a importância do vento, que além de ter sido um elemento fundamental para facilitar o transporte, inspirar diferentes mitologias e mudar o relevo da terra, é também um importante gerador de energia renovável através da energia eólica.

Na Iberdrola, somos pioneiros há décadas no aproveitamento do poder do vento.

O vento é um fenômeno de vital importância que tem sido utilizado ao longo da história de muitas maneiras. Seu poder inspirou contos mitológicos e deu nomes aos deuses. Sua existência regula a temperatura da Terra, dá forma ao relevo e favorece a biodiversidade ao dispersar semente. Além disso, seu impulso se tornou uma fonte de energia, desde o momento em que empurrou veleiros pelos mares até os dias de hoje, onde é um recurso energético que está se tornando cada vez mais importante. Por esta razão, em 2007, a Associação Europeia de Energia Eólica quis celebrar o valor desse precioso elemento, promovendo o dia 15 de junho como o Dia Mundial do Vento. 

O vento é um fenômeno que é gerado quando o ar aquece, se expande e se eleva até que sua temperatura seja igual à do ar ao redor. O curioso é que o ar não é aquecido diretamente pela radiação solar, mas, de certa forma, absorve o calor tanto da superfície do solo quanto da água. O movimento do ar, grosso modo, é do trópico para o equador e, à medida que esfria, retorna através das camadas superiores para os trópicos. 

Na Iberdrola celebramos o Dia Mundial do Vento porque acreditamos em sua importância como motor da energia eólica, uma fonte inesgotável de energia renovável que pode ajudar a reduzir drasticamente o uso de combustíveis fósseis e, portanto, as emissões de gases de efeito estufa. 

Tipos do vento 

Antes de comemorar o Dia Mundial do Vento, é importante saber o que estamos comemorando. Portanto, a primeira coisa é saber que existem três tipos de vento, de acordo com o tamanho de seu caminho. São eles: 

 Ventos planetários ou globais:

Estes são causados pelo movimento rotacional da Terra e formam uma espécie de cinturão em latitudes equatoriais, subtropicais e polares. Também conhecidos como ventos alísios ou ventos de oeste, eles carregam uma enorme quantidade de energia. 

 Ventos regionais:

Ventos determinados pela distribuição da terra, relevo e marés. 

 Ventos locais:

Esta categoria inclui todos aqueles ventos que são causados por fatores locais, que são difíceis de classificar, e que determinam sua intensidade e periodicidade. 

A energia eólica e seus tipos 

A energia eólica é a energia obtida a partir do vento, mais especificamente através do aproveitamento da energia cinética das correntes de ar. Isto requer o uso de turbinas eólicas, impondo estruturas orientadas na direção do vento que captam sua força e primeiro a convertem em energia mecânica rotacional e depois, graças a um gerador, em energia elétrica. Esta energia é alimentada através de cabos para uma subestação transformadora, que por sua vez a transfere para as redes de distribuição para que ela chegue ao consumidor final. 

Uma das razões pelas quais foi necessário celebrar o Dia Mundial do Vento foi porque a energia eólica está passando por um importante momento de expansão, com vários anos de níveis recordes de novas capacidades em operação. No entanto, existem dois tipos de energia eólica: 

  • Eólica onshore: Como o nome sugere, os parques eólicos estão localizados em terra firme.
  • Eólica offshore: Estas aproveitam o vento que é produzido em alto mar e são divididas entre aquelas cujas estruturas são fixas e aquelas que são flutuantes.

 VER INFOGRÁFICO: Evolução do tamanho dos aerogeneradores [PDF]

Iberdrola e a importância da energia eólica 

A energia eólica cobre aproximadamente 5 % do consumo mundial de eletricidade e a Agência Internacional de Energia prevê que alcançará 9 % da demanda mundial de eletricidade e mais de 20 % da demanda europeia. 

No caso da Iberdrola, ela tem mantido seu papel pioneiro por duas décadas, primeiro com o vento onshore e agora com o vento offshore. No caso do primeiro, a empresa planeja investir 5,9 bilhões entre 2023 e 2025, o que lhe permitirá chegar a 26 GW instalados em 2025. No final de 2022, a companhia tinha 20,78 GW em operação e, da capacidade que se comprometeu a colocar em funcionamento no período de 2020-2025, 6,5 GW já estão instalados, em construção ou garantidos. A carteira de projetos de energia eólica onshore é de 15,5 GW. Os mais relevantes são: o complexo eólico Oitis onshore (Brasil), Chafariz (Brasil), Villarino (Castela e Leão) e Port Augusta (Austrália). 

E se olharmos para o mar, a eólica offshore se estabeleceu como um dos vetores de crescimento mais importantes da empresa. No final de 2023, teremos 1.793 MW offshore instalados e 3.000 MW em construção, que entrarão em operação antes de 2027 graças a investimentos significativos em todo o mundo. Os parques eólicos offshore atualmente em operação são: East Anglia ONE (Mar do Norte), Wikinger (Mar Báltico) e West of Duddon Sands (Mar da Irlanda), enquanto que atualmente estão em construção: Saint Brieuc (Bretanha francesa), Baltic Eagle (Mar Báltico), Vineyard Wind (Massachusetts) e Park City Wind (Connecticut).