SUPERMERCADOS SEM PLÁSTICO, A OPÇÃO MAIS SUSTENTÁVEL

Supermercados sem plástico para salvar o planeta

Os especialistas calculam que mais de oito toneladas de plástico não biodegradável acabam nos mares e oceanos todos os anos. Na luta contra esse inimigo é vital que as grandes superfícies comerciais adotem medidas, no entanto pequenos supermercados livres de plástico como o unPacked em Madri ou o YES FUTURE em Barcelona são pioneiros em uma batalha travada com armas como a compra a granel, a reutilização de embalagens ou o uso de sacolas de tecido.

A Espanha é o segundo país, ficando atrás unicamente da Turquia, que mais plásticos lança ao mar Mediterrâneo. A estatística revela que um espanhol utiliza em média 144 sacolas de plástico por ano, ou seja, cerca de 6,8 bilhões no total. A problemática é clara: a vida útil dessas sacolas é muito curta — seu uso mal chega a 15 minutos —, mas demoram centenas de anos para se biodegradar devido à sua composição.

E os dados não são nada alentadores: de acordo com o WWF, a Espanha consome quase 5 milhões de toneladas de plástico por ano, das quais só se recicla 28%. A luta contra a poluição por plásticos é a grande guerra ambiental de nossa era, por isso governos e instituições estão adotando medidas nesse sentido. A União Europeia proibiu a utilização de plástico de uso único, tais como pratos, talheres ou canudos, a partir de 2021, e cada vez são mais as iniciativas em âmbito governamental nesse sentido.

Consumo de plástico na Espanha.#RRSSConsumo de plástico na Espanha.

Lute contra o plástico. Capture Lord Plastik! Participe.

No entanto, a batalha contra o plástico também se trava na rua. Iniciativas populares, tais como Cero Residuos ou Desnuda la Fruta, exigem às grandes superfícies para que reduzam de forma significativa o uso de sacolas e embalagens plásticas ou bandejas de poliestireno. Os cidadãos estão cada vez mais cientes, assim como os empreendedores: de um tempo para cá os supermercados livres de plástico estão se proliferando.

A base sobre a qual se assenta essa tendência é aparentemente simples: reciclar é bom, mas não gerar resíduos é ainda melhor. Portanto, banir o plástico é fundamental, tanto na apresentação dos produtos quanto nas embalagens que são oferecidas, desde as sacolas de tecido até as opções de celulose reciclada e reciclável. A compra a granel, tão habitual antes do surgimento dos hipermercados, voltou para ficar.

UM CARRINHO DE COMPRAS SUSTENTÁVEL

YES FUTURE, em Barcelona, foi inaugurado em setembro de 2017 com o desafio de cuidar do caráter ecológico e sustentável de sua oferta, mas também de seu continente, de forma que seus clientes possam levar seus próprios recipientes e vasilhames, reutilizá-los e assim evitar gerar resíduos desnecessários. Ao contrário de outros estabelecimentos desse tipo, onde predominam os produtos a granel secos, tais como legumes, arroz ou especiarias, no YES FUTURE é possível “fazer uma compra bastante completa, incluindo bebidas, condimentos líquidos, produtos de higiene pessoal e limpeza doméstica ou utensílios sustentáveis como esponjas multiuso ou escovas de dente”, destaca sua fundadora, Olga Rodríguez.

Um carrinho de compras sustentável mais além da alimentação.#RRSSUm carrinho de compras sustentável mais além da alimentação.

 VER INFOGRÁFICO: Um carrinho de compras sustentável mais além da alimentação [PDF]

A conscientização na luta contra o plástico é cada vez maior, e a mudança ocorrida em pouco tempo é notável. Assim o corroboram tanto Olga Rodríguez quanto seu sócio Alejandro Martínez. “É uma força que vai crescendo. Fornecedores com os quais não trabalhávamos há dois anos mudaram sua forma de embalar para outras que respeitam o meio ambiente”, afirmam. Isso permitiu que estabelecimentos como o YES FUTURE tenha uma oferta cada vez mais ampla, de acordo com a demanda de seus clientes que não deixam de crescer.

Olga Rodríguez e Alejandro Martínez, a alma e o coração do YES FUTURE.Olga Rodríguez e Alejandro Martínez, a alma e o coração do YES FUTURE.

"O cliente jovem, sem dúvida alguma, está mais conscientizado, no entanto cada vez mais pessoas de todas as idades recorrem a nós em busca de conselhos para reduzir o uso de plástico e fazer uma compra sustentável", explica María Arias, fundadora do unPacked, o primeiro supermercado zero resíduos de Madri. Vinho, azeite, mel, café torrado e inclusive um moinho de farinha são parte da oferta do unPacked. Desde sua abertura em setembro de 2018, afirma María Arias, é patente "uma mudança na forma de pensar da sociedade quanto à reutilização de embalagens e o compromisso para evitar gerar resíduos. O papel dos meios de comunicação é vital no momento de fazer chegar à sociedade iniciativas como a Semana sem Plástico".

Estabelecimentos como o YES FUTURE ou unPacked são pioneiros, mas não são os únicos nem estão sozinhos. Em Madri, A Salto de Mata no tradicional bairro de Lavapiés oferece produtos frescos e sazonais nus, sem plástico, da mesma forma que a Granel Madrid na Calle Embajadores. Casa Ruiz tem quatro estabelecimentos na capital, e Pepita y Grano fez com que sua filosofia sustentável livre de plástico também chegasse a Valência, San Sebastián, Ponferrada e Florença (Itália). Cántaro Blanco, em Malasaña, é a única leiteria que também foge do plástico e oferece leite fresco em garrafas de vidro que o cliente pode levar para casa ou comprar lá mesmo e reutilizar, além de iogurtes, pães e geleias.

Em Barcelona, a tradição dos celeiros deu lugar a uma reconversão em lojas ecológicas que defendem a volta da venda a granel, a reutilização de embalagens e o uso de materiais alternativos. Grans de la Terra ou Casa Perris, fundada em 1940, são apenas alguns exemplos. Para María Arias, também existe um componente romântico: "há pessoas que vêm comprar a granel porque acham bonito, por assim dizer, e depois descobrem os benefícios para o meio ambiente. A mudança de mentalidade dos fornecedores é algo mais complicado, mas no momento em que se envolvem, reutilizando as garrafas no caso do vinho ou azeite, por exemplo, surgem iniciativas muito positivas".

María Arias, criadora do unPacked, o primeiro supermercado sem plástico de Madri.María Arias, criadora do unPacked, o primeiro supermercado sem plástico de Madri.

A LUTA CONTRA O PLÁSTICO EM GRANDES SUPERFÍCIES, UMA DEMANDA SOCIAL

“A sociedade vai crescendo e está cada vez mais consciente, sim”, afirma Olga Rodríguez. “Se antes nossos clientes vinham com certa timidez para preencher seus recipientes, agora esse tipo de iniciativa como Cero Residuos ou Desnuda la Fruta também causam impacto em grandes redes de supermercados que têm que reagir diante das exigências de seus consumidores”, explica.

Mais de 320.000 pessoas assinaram uma petição do Greenpeace Espanha para que as grandes superfícies — como os hipermercados — reduzam o uso de plástico nas embalagens. A organização também publicou um Ranking de Supermercados contra o Plástico, cujos resultados, embora deixem claro que essa luta só está começando, mostram que as grandes redes de hipermercados estão cada vez mais cientes da necessidade de implementar medidas e contribuir com seu grão de areia na luta contra o plástico.

Entre os supermercados avaliados, só aprovaram o Eroski, Aldi e Mercadona, com medidas que mesmo que possam parecer pontuais implicarão uma notável redução no uso de plástico a médio e longo prazo. O Eroski comprometeu a aumentar a venda a granel pelo menos em 5% em algumas lojas durante 2019, chegando a ter até 64% de frutas e vegetais a granel. O Aldi já agiu contra alguns plásticos de uso único: pratos, talheres e canudinhos não são vendidos em seus supermercados. O Mercadona, por sua vez, é uma rede pioneira em algumas áreas. Eliminou o microplástico de todos os seus produtos cosméticos e artigos de limpeza de sua seção ECO, tais como as pazinhas, que são fabricadas exclusivamente com plástico reciclado da agricultura.