ODS 17: PARCEIRAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS OBJETIVOS

Contribuímos para a consecução dos ODS através de nossa participação em parcerias internacionais e nacionais

#sustentabilidade ambiental #sociedade #ação social

Como parte de seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, o grupo Iberdrola contribui de forma direta para alcançar o ODS 17 através de sua adesão e participação em diferentes projetos e iniciativas tanto em âmbito mundial quanto nos países onde desenvolve sua atividade. Seu objetivo é fortalecer os meios para executar as ações necessárias visando conseguir os 17 objetivos e revitalizar a Parceria Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.

NOSSA CONTRIBUIÇÃO PARA O ODS 17: PARCERIAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS OBJETIVOS

 A Iberdrola faz parte do Pacto Global das Nações Unidas (UN Global Compact) desde 2002. Trata-se de uma iniciativa cuja missão é gerar um movimento internacional de empresas sustentáveis para criar o mundo que queremos. Em 2020, o grupo foi reconhecido uma vez mais como companhia participante LEAD devido ao seu compromisso contínuo em prol desse pacto e dos 10 princípios da ONU para uma atividade empresarial responsável.

 Aderimos à campanha #apoyamoslosODS (apoiamos os ODS), a iniciativa internacional mais importante para o cumprimento dos 17 objetivos da Agenda 2030. Promovido pela Rede Espanhola do Pacto Global, o projeto foi lançado em 2020 coincidindo com o quinto aniversário dos ODS para favorecer seu conhecimento e divulgação.

 A companhia passou a ser membro constituinte da Rede Espanhola do Pacto Global, criada em 2004 como Associação Espanhola do Pacto Global (ASEPAM).

 O Programa Social 2021 da Iberdrola, dotado de mais de um milhão de euros, selecionará cerca de 30 projetos alinhados com os ODS, promovendo parcerias com varios agentes.

 Também participa da Plataforma G2020, cujo propósito é elevar o conhecimento dos cidadãos em termos da regeneração democrática e dos valores da vida política e social.

 É parceira estratégica da Rede Espanhola de Desenvolvimento Sustentável da ONU (SDSN) e colabora com sua iniciativa juvenil SDSN Youth.

 Colabora com o Gabinete Espanhol de Mudanças Climáticas e com o Grupo Espanhol de Crescimento Verde.

 Participa de forma ativa das negociações e políticas climáticas através de sua presença nas principais conferências climáticas. Os encontros mais recentes foram a Cúpula do Clima de Madri (COP25), a Cúpula de Ação Climática de Nova York e as atividades da Parceria de Marrakesh para a Ação Climática Global.

 Desenvolve a campanha de voluntariado corporativo Os ODS e eu.

 Participa da Alianza Shire, a primeira parceria público-privada para levar eletricidade a campos de refugiados.

 A Iberdrola é a principal promotora do programa Universo Mulher do Conselho Superior de Esportes da Espanha (CSD). Através dessa parceria, a companhia apoia 16 federações esportivas como via para criar referências femininas na sociedade, incentivar o empoderamento das mulheres e fomentar hábitos saudáveis desde idades precoces.

 85 % dos fornecedores do grupo possuem a certificação ambiental ISO 14001.

Conheça nossa participação na agenda climática global

QUAL É O OBJETIVO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 17: PARCERIAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS OBJETIVOS?

O ODS 17 pretende fortalecer a Parceria Global para o Desenvolvimento Sustentável, partindo da ideia de que os ODS só podem ser conseguidos através de associações mundiais sólidas e cooperação. As uniões e parcerias entre os diferentes agentes — tais como governos, setor privado e sociedade civil — permitem mobilizar e intercambiar conhecimentos, capacidade técnica, tecnologia e recursos.

POR QUE O ODS 17 É TÃO IMPORTANTE: PARCERIAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DOS OBJETIVOS?

Para atingir o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é fundamental que sejam criadas parcerias entre todos os agentes: governos, sociedade civil, cientistas, mundo acadêmico e setor privado. A Agenda 2030 exige que todos os países, tanto desenvolvidos quanto em vias de desenvolvimento, adotem medidas que garantam que ninguém fique para trás.

Ao ser um dever de todos, cada país deverá fazer exames com regularidade para comentar os progressos realizados, com o apoio de todos os Stakeholders (empresas, sociedade civil, etc.). Também é um dever de todos estimular os governos para que se associem às empresas a fim de que apliquem os ODS e se engajem em iniciativas que trabalhem em prol de sua consecução.

De acordo com a ONU, em seu Relatório sobre progresso no cumprimento dos ODS de 2020, o apoio por parte dos diferentes agentes para a consecução dos ODS foi constante, mas frágil, e com importantes desafios. Os recursos financeiros continuam sendo escassos e as tensões comerciais entre os diferentes países foram aumentando. Além disso, a pandemia mundial da COVID-19 traz consigo a diminuição de investimentos estrangeiros diretos e a redução de remessas. Um dos poucos pontos positivos que se observa é em termos tecnológicos: atualmente cada vez mais gente tem acesso direto à Internet para trabalhar, comprar e se conectar com outras pessoas. No entanto, a desigualdade digital ainda é enorme.

 

Os principais doadores asseguram que, apesar de o coronavírus afetar a economia, se esforçarão para proteger os orçamentos de cooperação oficial para o desenvolvimento. Tal ajuda chegou a 147,4 bilhões de dólares em 2019, quase a mesma quantia que em 2018, mas com uma maior proporção para os países mais desfavorecidos: a ajuda bilateral líquida à África e aos países menos avançados aumentou 1,3 % (37 bilhões de dólares) e 2,6 % (33 bilhões de dólares), respectivamente, a partir de 2018. Por outro lado, a ajuda total para doenças infecciosas chegou a 6 bilhões em 2018.

Grande parte dessa ajuda aos países menos desenvolvidos tem a forma de remessas. Entretanto, após atingir seu ponto máximo em 2019 (554 bilhões de dólares), espera-se que essas remessas se reduzam em 20 % devido à pandemia da COVID-19. Também se prevê que o comércio mundial caia entre 13 e 32 % em 2020, enquanto os países menos avançados tentam aumentar suas participações nas exportações.

Reverter essa realidade se converteu em um objetivo primordial em âmbito internacional. Por isso, é vital proteger e dar continuidade às parcerias para não deixar ninguém para trás. Apenas a união de todos os agentes possibilitará a consecução dos objetivos fixados, portanto é tão importante o ODS 17 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, aprovados em setembro de 2015 como parte da Agenda 2030.

METAS DO ODS 17: PARCERIAS E MEIOS DE IMPLEMENTAÇÃO

As metas específicas do ODS 17 fixadas para 2030 são:

  • Finanças: mobilizar recursos proporcionando apoio internacional aos países em desenvolvimento para que possam arrecadar melhor suas receitas fiscais. Além disso, ajudá-los a alcançar a sustentabilidade da dívida de longo prazo. Mobilizar recursos financeiros adicionais para os países que mais os necessitem e promover investimentos nos mesmos.
  • Tecnologia: melhorar a cooperação em ciência, tecnologia e inovação, e o acesso às mesmas. Promover o desenvolvimento de tecnologias ambientalmente racionais e sua transferência e divulgação para os países em desenvolvimento.
  • Em termos de criação de capacidades: aumentar o apoio internacional para a atividades de criação de capacidades eficazes e específicas nos países em desenvolvimento.
  • Questões sistêmicas: buscar a coerência regulatória e institucional (aumento da estabilidade macroeconômica mundial e melhoria da coerência em políticas de desenvolvimento sustentável); melhorar a Parceria Global para o Desenvolvimento Sustentável e estimular a promoção de parcerias eficientes na esfera pública, público-privada e da sociedade civil; e aproveitar as iniciativas existentes para a elaboração de indicadores que meçam os progressos em matéria de desenvolvimento sustentável.