CENTRO DE OPERAÇÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS (CORE) DA ESPANHA

Centro de Operação de Energias Renováveis da Espanha: um projeto pioneiro em termos mundiais

#informática #energias renováveis #projetos Iberdrola

O Centro de Operação de Energias Renováveis (CORE) de Toledo na Espanha controla e opera em tempo real o funcionamento das instalações eólicas, fotovoltaicas e pequenas hidrelétricas da Iberdrola na Espanha, Portugal, Grécia, México, Hungria, Romênia e Itália. O seu diretor nos explica a razão pela qual surgiu este projeto pioneiro a nível mundial e como tem evoluído desde então.

O Centro de Operação de Energias Renováveis (CORE) de Toledo começou a funcionar no final de 2003 para administrar os ativos da filial de Renováveis do grupo Iberdrola, criada apenas um ano antes. O objetivo era melhorar a gestão técnica e o rendimento econômico das instalações para, desse modo, aumentar a qualidade da energia renovável fornecida.

O centro começou supervisionando 29 parques eólicos espanhóis, mas logo foram acrescentadas subestações elétricas e usinas hidráulicas, assim como outras instalações eólicas da França, Itália, Portugal, Polônia ou Alemanha. Atualmente opera a partir de Toledo mais de 150 usinas de energia renovável localizadas em sete países. Monitoriza mais de 1.800.000 dados em tempo real e controla mais de 7 GW de potência ativa.

O CORE de Toledo foi a primeira instalação destas características implementada em todo o mundo, tornando-se uma referência tecnológica internacional. Durante seus mais de 15 anos de funcionamento, teve uma evolução constante e foi precursora de novas aplicações e progressos no planejamento, operação e manutenção dos parques eólicos. A empresa exportou o modelo espanhol para os demais países onde desenvolve centros de controle de energias renováveis.

FUNÇÕES DO CORE DA ESPANHA

Entre as principais funções do CORE de Toledo se destacam:

 Resolver os incidentes remotamente 
Um quadro de pessoal especializado formado por operadores, engenheiros e especialistas em informática apoia remotamente qualquer incidente que aconteça nas instalações conectadas ao centro. Assim é possível aumentar a disponibilidade das instalações e melhorar a gestão do pessoal.

 Dispor de toda a informação de exploração de maneira centralizada 
A gestão centralizada e homogênea permite melhorar os processos de manutenção.

 Incluir novas funções de controle da energia
O objetivo é que o sistema se adapte às mudanças regulatórias.

O próximo desafio deste centro de controle é integrar as demais tecnologias renováveis e a potência que o grupo Iberdrola prevê instalar de acordo com seu Plano Estratégico 2018-2022.
 

 Mais informações sobre o funcionamento dos CORE