O QUE É UM GÊMEO DIGITAL

Gêmeos digitais, fundamentais na Revolução Industrial 4.0

Turbinas eólicas, motores e guindastes agora podem se entender e conversar em linguagem natural com engenheiros. Não é ficção científica. Eles são gêmeos digitais, uma tecnologia disruptiva que será vital na ascensão e desenvolvimento da Quarta Revolução Industrial.

Em 1968, o filme 2001: Uma odisseia no espaço surpreendeu o mundo com um futuro em que os astronautas falavam com um supercomputador (HAL 9000) capaz de monitorar a nave e gerir sua operação. Meio século depois, a realidade já toca levemente com os dedos a ficção idealizada pelas mentes do cineasta Stanley Kubrick e do escritor Arthur C. Clarke. Esses simbólicos dedos pertencem aos gêmeos digitais, protagonistas da Revolução Industrial 4.0.

Um gêmeo digital, ou digital twin, é uma réplica virtual feita à imagem e semelhança de um produto — a turbina de um avião, as pás de um aerogerador, a fachada de um edifício etc. — ao qual se incorporam dados em tempo real que podem ser reunidos através de sensores ou tecnologias relacionadas ao Big Data. Depois de coletadas, as informações são processadas com Inteligência Artificial, Cloud Computing e Machine Learning para criar uma representação viva que sente, pensa e age.

A ideia do gêmeo digital não é nova. Em 2002, Michael Grieves, engenheiro de computação, mencionou, durante uma palestra com John Vickers, diretor de Tecnologia da NASA, na Universidade de Michigan, sobre a possibilidade de criar representações digitais de sistemas físicos que teriam uma identidade própria. Menos de duas décadas depois, mais especificamente em 2018, a empresa de consultoria Gartner colocou os digital twins como uma das dez tendências tecnológicas do ano.

VANTAGENS DOS GÊMEOS DIGITAIS

Os gêmeos digitais vão transformar diversos processos. Algo que empresas de consultoria como Deloitte ou KPMG já adiantaram em 2017 através de seus relatórios Industry 4.0 and the digital twin e Beyond the hype, respectivamente. Uma das principais vantagens é que os gêmeos digitais permitirão que as empresas possam identificar problemas com antecedência e resolvê-los mais rapidamente. Eles podem alertar sobre qualquer problema futuro, incidente ou anomalia em seu funcionamento por meio de interações diretas com humanos, assim como fazia o HAL 9000. Inclusive, eles podem trabalhar de forma autônoma por serem capazes de analisar uma situação, propor soluções otimizadas e colocá-las em operação.

Quando uma empresa constrói uma réplica digital de seus produtos, dos ambientes em que opera e dos sistemas que os produzem, é possível prever virtualmente tudo o que acontecerá no mundo físico. Para os engenheiros, os gêmeos digitais são muito úteis porque, ao contarem com um histórico detalhado do modelo anterior, podem corrigir erros e criar novas versões mais confiáveis. E os dados não deixam dúvidas. A empresa de consultoria IDC identificou, em 2018, uma melhoria de 30% nos processos críticos das empresas que investiram nessa tecnologia.

COMO UMA EMPRESA SE ADAPTA AOS GÊMEOS DIGITAIS?

A Gartner prevê que, em 2021, metade das grandes empresas industriais utilizará gêmeos digitais, o que trará um aumento de 10% em sua eficiência. A implantação de um gêmeo digital não é um processo que possa ser concluído de um dia para o outro. De fato, vai fazer uma transformação total na empresa. Dessa forma, as empresas que decidam apostar nessa tecnologia terão que enfrentar os seguintes desafios:

 Monitorar e digitalizar massivamente processos da indústria que exigem uma rigorosa arquitetura de integração e automação industrial.

 Multiplicar a capacidade dos sistemas de armazenamento, gestão e análise dos dados atuais para lidar com o volume exigido pelos gêmeos digitais.

 Dar o salto das representações digitais para o gerenciamento de múltiplas cópias digitais simultâneas com maior capacidade para avaliar os cenários alternativos.

O que faz um gêmeo digital?#RRSSO que faz um gêmeo digital?

 VER INFOGRÁFICO: O que faz um gêmeo digital? [PDF]

A DISRUPÇÃO DOS GÊMEOS DIGITAIS

Os gêmeos digitais são uma tecnologia disruptiva que promete revolucionar a indústria e será fundamental para as indústrias 4.0. Mas como essas mudanças vão acontecer? A produção de peças personalizadas — que são adaptadas às demandas e exigências específicas dos clientes — vai levar satisfação aos clientes; processos mais eficientes resultarão em uma redução considerável das emissões poluentes; e a análise dos dados e a posterior simulação permitirão a criação de comportamentos preditivos para otimizar os resultados.

Com previsão de 21 bilhões de objetos conectados em 2020, é estimado que haverá um número semelhante de gêmeos digitais. Mas essa tecnologia só será relevante para as máquinas ou poderá ter aplicações diretas no caso do ser humano? Em relação ao setor da saúde, por exemplo, os gêmeos digitais poderiam ajudar a criar planos de atendimento médico e aumentar as medidas preventivas diante de eventuais doenças.
 

 Ética na Internet: a chave para o futuro digital(*) Nota

 Impressão 4D e a Quarta Revolução Industrial(*) Nota

   

(*) Disponível na versão em espanhol.