START-UP CHALLENGE: INSPEÇÃO DE SISTEMAS CRÍTICOS EM SUBESTAÇÕES

Uma solução baseada em emissões acústicas é a vencedora do Challenge para melhorar e simplificar a montagem em subestações

A empresa polonesa Smart PD venceu o Start-up Challenge Inspeção de sistemas críticos em subestações, que procurava soluções simples e de baixo custo que permitam identificar anomalias durante trabalhos de montagem de células em subestações de média e alta tensão.

 

A Iberdrola conta com mais de 1,2 milhão de quilômetros de linhas elétricas de transmissão e distribuição entre os Estados Unidos, Brasil, Reino Unido e Espanha. Essa rede está composta por mais de 4.400 subestações de alta a média tensão e mais de 1,5 milhão de transformadores de distribuição de média a baixa tensão construídos e operados para fornecer um serviço de alta qualidade e confiabilidade para um total de 31 milhões de pontos de fornecimento elétrico.

Em muitas ocasiões, presentam-se avarias nas células originadas por falhas de montagem que não puderam ser detectadas durante os testes de fábrica, por terem sido montadas em campo, nem durante o processo de inspeção visual dos equipamentos, ao estarem localizados em áreas inacessíveis do interior das células, dentro das subestações. Alguns exemplos dessas falhas são: erros na construção dos terminais para os cabos de potência, a incorreta conexão de chicotes de terra não conectados, omissões na montagem de elementos auxiliares, etc.

Os efeitos adversos que essas falhas causam no isolamento se manifestam na forma de descargas parciais.

Atualmente, esses fenômenos de alta frequência podem ser detectados através de diversos métodos — tais como ultrassons, perturbações conduzidas ou perturbações irradiadas. Assim, nas subestações de muito alta tensão são usadas algumas técnicas de detecção de descargas parciais para equipamentos de custo muito elevado, tais como os cabos subterrâneos de muito alta tensão ou subestações GIS. A partir dessas medidas, profissionais altamente especializados da Iberdrola, fazem a interpretação dos resultados, determinando finalmente a origem dos problemas.

O problema é que esses são métodos caros e complexos e também exigem equipamentos sofisticados. Além disso, durante as operações de montagem e desmontagem dos equipamentos críticos, é necessário realizar alguma das seguintes ações:

  • Instalar sistemas de monitoramento permanente.
  • Desenergizar a instalação durante a montagem e desmontagem dos sensores de descargas parciais.

O custo e complexidade desses trabalhos, assim como a dificuldade de desenergização das instalações, tornam inviável sua aplicação em sistemas de alta e média tensão.

DESCRIÇÃO DO RETO

Por tudo isso, a Iberdrola — através do seu Programa Internacional de Start-ups - PERSEO — lançou um desafio na procura de soluções competitivas e inovadoras que permitam identificar anomalias na execução dos trabalhos de montagem de células em subestações de média e alta tensão.

A solução vencedora foi a Smart PD, um sistema de monitoramento de descarga parcial on-line de baixo custo, contínuo, para interruptores e transformadores de média (MV) e alta tensão (HV) usando sensores piezoelétricos (diafragmas). A Smart PD é baseada em emissão acústica e usa sensores piezoelétricos de baixo custo para identificação de descargas parciais.

Smart PD é uma empresa irmã da polonesa AE Steel, uma start-up de alta tecnologia fundada para desenvolver tecnologia de emissão acústica (AT).

GLOBAL SMART GRIDS INNOVATION HUB

O desafio foi desenvolvido no âmbito do novo centro de inovação de smart grids, o Global Smart Grids Innovation Hub. Este centro pretende ser uma referência mundial em redes inteligentes — por meio de colaboração aberta e cooperação e o coworking entre técnicos da i-DE com fornecedores, start-ups e diferentes organizações ao redor do mundo — e permitira responder aos desafios da transição energética.

O hub atuará como plataforma indutora de inovação, combinando a capacidade tecnológica da companhia com a dos colaboradores: fornecedores, universidades, centros tecnológicos e start-ups. Também servirá para atrair fornecedores estratégicos e o talento internacional, reforçando assim o ecossistema empresarial.

Iberdrola já identificou mais de 120 projetos para seu futuro desenvolvimento no valor de 110 milhões de euros. As linhas de trabalho, de âmbito internacional, permitirão desenvolver e implementar soluções inovadoras para a atividade de Redes da Iberdrola no mundo.

 

O PRÊMIO

O projeto será desenvolvido em colaboração com os especialistas técnicos da área de Redes da Iberdrola.

O prêmio consiste na assinatura de um acordo de colaboração e teste com o Programa Internacional de Start-ups - PERSEO ou qualquer outra empresa relevante do grupo, que assumirão os custos e fornecerão ao vencedor o apoio técnico necessário, dando acesso a infraestruturas e dados reais para testar a solução.

Além disso, ele será incluído diretamente no processo de adesão ao Global Smart Grids Innovation Hub, como mais um colaborador que poderá se beneficiar dos serviços, atividades e recursos disponibilizados no GSGIHub.

Se o ensaio ou teste do conceito for satisfatório, a Iberdrola pode oferecer ao vencedor a oportunidade de incrementar a solução por meio de acordos comerciais. Além disso, o Perseo poderia considerar investir no Participante.

Além disso, a PERSEO pode considerar investir na empresa participante e/ou na solução vencedora do desafio.

CRONOGRAMA

08/03/2021
Lançamento
público
do desafio
05/04/2021
Prazo
para receber
propostas
19/04/2021
Anúncio do
vencedor