PROJETO FLAGSHIP: ENERGIA EÓLICA 'OFFSHORE' FLUTUANTE

Lideramos o projeto Flagship para avançar até a energia eólica 'offshore' flutuante

#energia eólica #energias renováveis #P+D+I

A Iberdrola está assumindo posições no setor da energia eólica offshore flutuante ao liderar o projeto europeu Flagship, uma iniciativa que pretende demonstrar a viabilidade e a rentabilidade de instalar aerogeradores de mais de 10 MW sobre plataformas flutuantes. A companhia está envolvida em outros projetos semelhantes que permitirão ter conhecimentos sobre todas as fases de desenvolvimento desta tecnologia, a qual é essencial para atingir os objetivos do setor energético em termos globais.

Após oito anos participando em diversos projetos de P+D com tecnologias flutuantes, o grupo Iberdrola decidiu dar um passo adiante e implementar projetos de demonstração como o Flagship. A iniciativa, liderada pela Iberdrola e respaldada por um consórcio internacional, será realizada no Met Centre da Noruega e seu objetivo é reduzir o custo nivelado de energia (LCOE) até 2030 no intervalo de 40-60 euros/MWh, apoiando-se em economias de escala, cadeias de fornecimento competitivas e várias inovações tecnológicas.

O projeto Flagship contempla o desenvolvimento de uma turbina eólica offshore flutuante de 10 megawatts (MW) e uma estrutura flutuante de concreto semissubmergível. Ambas serão concebidas para funcionarem em condições do Mar do Norte e serão o ponto de partida de futuros parques eólicos flutuantes de 500 MW. Além disso, será comprovada a viabilidade de instalá-las em outras localizações do Mediterrâneo, Báltico, Atlântico e Pacífico. Também serão avaliados o custo e a viabilidade logística da tecnologia de concreto em comparação com a de aço.

O consórcio — que inclui empresas e instituições da Espanha (Core-Marine, Cener, IHC, Zabala Innovation Consulting), Noruega (Olav Olsen, Kvaerner, UnitechSubsea, Met Centre), França (EDF), Dinamarca (DTU) e Alemanha (DNV-GL) — conseguiu 25 milhões de euros de financiamento da União Europeia no âmbito do programa H2020 para a demonstração de tecnologia inovadora para parques eólicos flutuantes. O projeto foi apresentado no concurso convocado pela Agência Executiva de Inovação e Redes (INEA) — que gerencia os programas da Comissão Europeia em termos de transporte, energia e telecomunicações — e recebeu a máxima pontuação (15 sobre 15 possíveis), entre outras 14 propostas.

Conforme o calendário previsto para o projeto, o início da fabricação da plataforma flutuante poderia começar no segundo semestre de 2021 e sua instalação em alto mar, no primeiro trimestre de 2022.

OUTROS PROJETOS DE ENERGIA EÓLICA 'OFFSHORE' FLUTUANTE DA IBERDROLA

Do mesmo modo, a Iberdrola está a ponto de chegar a um acordo para desenvolver outro protótipo de energia eólica offshore flutuante na Espanha com una tecnologia diferente, que permitirá o desenvolvimento da indústria espanhola no setor da energia eólica offshore e analisará a viabilidade deste tipo de tecnologia no país. Este projeto de demonstração reforçará a cadeia de suprimentos eólicos offshore no País Vasco, apoiando a transição energética em dita região (BIMEP) e em outras como as Islas Canarias (PLOCAM) e ajudando na diversificação do setor industrial espanhol.

Além disso, a companhia está analisando a possibilidade de instalar turbinas eólicas flutuantes adicionais em sua atual carteira de projetos e participa ativamente no desenvolvimento de projetos eólicos offshore flutuantes em grande escala.

Por meio de todas estas iniciativas, a Iberdrola poderá conhecer os diferentes aspectos necessários para o desenvolvimento da energia eólica flutuante, permitindo-lhe estar preparada para dar início a um projeto comercial destas características em um futuro próximo. Assim, o grupo pretende garantir a continuidade de sua grande carteira de projetos de energia eólica offshore, onde as tecnologias flutuantes desempenharão um papel determinante para alcançar os objetivos do setor a nível global.

LIDERAMOS A ENERGIA EÓLICA 'OFFSHORE' EM FUNDAÇÕES FIXAS

Há cerca de 20 anos, a Iberdrola foi pioneira ao apostar na geração eólica onshore e, da mesma forma, decidiu liderar o desenvolvimento da fonte de energia renovável mais promissora da atualidade: a eólica offshore com fundações fixas. A empresa concretizará seus planos graças a uma carteira de projetos distribuída em torno de três pilares: Mar do Norte, Mar Báltico e Estados Unidos.

A energia eólica offshore é um dos vetores de crescimento do grupo com 1,3 GW instalados, os quais triplicará com a construção de 2,6 GW, sem custos de localização. A notável expansão da carteira desta tecnologia, assentada sobre novas plataformas de crescimento com grande potencial, como é o caso do Japão, Polônia, Suécia e Irlanda, permitirá que o grupo alcance 12.000 MW operacionais em 2030.

Dessa forma, a geração limpa no mar, fundamental para combater as mudanças climáticas, será um alicerce fundamental da estratégia da companhia, que prevê destinar ao negócio renovável 34,68 bilhões de euros, ou seja, 46,24 % dos 75 bilhões de euros de investimentos contemplados para o período 2020-2025, os quais foram ampliados até 150 bilhões com vistas a 2030.

Projetos de eólica 'offshore' com fundações fixas
do grupo Iberdrola
MAR DO NORTE

1. WEST OF DUDDON SANDS

389 MW
Entrada em operação: 2014

2. EAST ANGLIA ONE

714 MW
Entrada em operação: 2020

3. EAST ANGLIA HUB

3.100 MW
Início da construção: 2022

4. SAINT-BRIEUC

496 MW
Entrada em operação: 2023

MAR BÁLTICO

5. WIKINGER

350 MW
Entrada em operação: 2017

6. BALTIC EAGLE E
WIKINGER SÜD

486 MW
Entrada em operação: 2023

ESTADOS UNIDOS

7. VINEYARD WIND

800 MW
Entrada em operação: 2023

8. PARK CITY WIND

804 MW

9. KITTY HAWK

2.500 MW

0
MAR DO NORTE

1. WEST OF DUDDON SANDS

389 MW
Entrada em operação: 2014

2. EAST ANGLIA ONE

714 MW
Entrada em operação: 2020

3. EAST ANGLIA HUB

3.100 MW
Início da construção: 2022

4. SAINT-BRIEUC

496 MW
Entrada em operação: 2023

MAR BÁLTICO

5. WIKINGER

350 MW
Entrada em operação: 2017

6. BALTIC EAGLE E
WIKINGER SÜD

486 MW
Entrada em operação: 2023

ESTADOS UNIDOS

7. VINEYARD WIND

800 MW
Entrada em operação: 2023

8. PARK CITY WIND

804 MW

9. KITTY HAWK

2.500 MW

 

 VER INFOGRÁFICO: Projetos de energia eólica 'offshore' com fundações fixas do grupo Iberdrola [PDF]

Saiba quais são os projetos de energia eólica 'offshore' da Iberdrola

Atualmente, o grupo já tem em funcionamento três parques eólicos offshore:

  • West of Duddon Sands, começou a funcionar em 2014 no Mar da Irlanda. Com seus 389 MW de potência, fornece eletricidade para aproximadamente 280.000 moradias.
  • Wikinger, de 350 MW. Em funcionamento desde dezembro de 2017 em águas alemãs do Mar Báltico, gera energia para 350.000 residências.
  • East Anglia One, colocado em operação em 2020 nas águas britânicas do Mar do Norte. Com 714 MW de capacidade, suas 102 turbinas produzem energia limpa para 630.000 moradias.

A empresa também acaba de anunciar que irá desenvolver um novo macrocomplexo eólico em East Anglia, denominado East Anglia Hub e que incluirá os três projetos que já tinha em sua carteira nessa área: East Anglia One North, East Anglia Two e East Anglia Three. Com 3.100 MW de potência instalada, exigirá um investimento de cerca de 6,5 bilhões de libras e está previsto que sua construção, que durará quatro anos, comece em 2022 e que nos próximos 10 meses sejam divulgados os principais fornecedores.

Na Alemanha, em abril de 2018 a companhia obteve a adjudicação de duas novas instalações no Báltico com uma potência total de 486 MW: Baltic Eagle e Wikinger Süd. Além desses novos parques, também teremos na França o de Saint-Brieuc, de 496 MW.

Nos Estados Unidos, a Iberdrola já está promovendo os três maiores parques eólicos offshore em grande escala do país: por um lado, Vineyard Wind, cujos 800 MW de potência serão capazes de satisfazer as necessidades energéticas de um milhão de moradias. Por outro lado, em dezembro de 2019, obteve a adjudicação da construção de Park City Wind, de 804 MW. Ambos os projetos estão situados nas costas do estado de Massachusetts, ao sul de Martha's Vineyard e Nantucket. E também participa do desenvolvimento do parque eólico Kitty Hawk, nas costas da Virgínia e da Carolina do Norte, que terá uma capacidade instalada de 2.500 MW e fornecerá energia para 700.000 residências.

Ocultar informação

Com os projetos em andamento, a companhia terá instalado 2.000 MW eólicos offshore até o final de 2022, aos quais ainda devemos acrescentar outros 1.000 além desse ano.