MEDIDAS DE RECUPERAÇÃO VERDE

A recuperação econômica após a crise do coronavírus será verde

#economia #sustentabilidade ambiental #sociedade

A pandemia da COVID-19 castigou a economia mundial e obrigou a tomada de medidas de curto prazo para dar liquidez aos mercados, apoiar coberturas de desemprego ou reforçar os recursos dos sistemas de saúde. Os trabalhos para desenvolver programas de recuperação econômica no médio e longo prazo estão iniciando em todo o mundo e cada vez mais governos, organismos e empresas apostam em uma recuperação verde.

Os programas de estímulo que serão aplicados depois da crise do coronavírus terão um grande impacto e seus efeitos permanecerão no tempo. Por isso, deverão ser cuidadosamente avaliados para garantir sua efetividade econômica e social, ao mesmo tempo que ajudam a aumentar a resiliência no caso de futuros shocks sistêmicos, quer sejam de saúde ou de outros tipos. A pandemia evidenciou a fragilidade de nossa sociedade perante ameaças de caráter global e sobre a importância de dar ouvidos à ciência, a qual está há bastante tempo advertindo sobre os riscos que supõem as mudanças climáticas.

As mudanças climáticas geram e potencializam um grande número de problemas, muitos deles com uma magnitude semelhante ou superior aos ocasionados pelo coronavírus. Portanto, este fenômeno continua sendo um dos principais riscos para a nossa sociedade, tanto por eventos climáticos quanto pela sua capacidade para agravar ou acelerar outros, como perda de biodiversidade, problemas de saúde, migrações climáticas, etc. Neste cenário, está se consolidando um movimento a favor uma recuperação pós-coronavírus que reforce o roteiro estabelecido de transição para um novo modelo socioeconômico que seja climaticamente neutro, resiliente, sustentável e inclusivo.

Os especialistas destacam as vantagens da recuperação verde com relação a uma abordagem mais tradicional. Desta forma, um relatório liderado pela Universidade de Oxford [PDF], baseado no estudo de mais de 700 políticas de incentivos fiscais e em entrevistas com especialistas a nível global, demonstra que as políticas de estímulo verdes criam um maior número de empregos, além de retornos superiores no curto prazo e um efeito multiplicador no longo prazo em comparação com as tradicionais.

INICIATIVAS E MEDIDAS PARA A RECUPERAÇÃO VERDE

As vozes a favor de promover medidas de estímulo verdes alinhadas com os objetivos climáticos surgem desde todos os âmbitos da sociedade. A seguir, repassamos algumas das medidas e iniciativas:

 Organismos multilaterais

 Governos

  • Instituições e governos europeus estão dando mostras crescentes de apoio a uma recuperação verde. A vigência do Pacto Verde Europeu como roteiro para um crescimento econômico, sustentável e resiliente tem sido mantida desde o início da crise, destacando-se o papel do financiamento sustentável e da transição justa. Assim foi manifestado não só pela presidenta da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, senão também pelo vice-presidente executivo, Frans Timmermans. Nessa mesma linha, 17 estados membros, entre os que ressaltam a Alemanha, França e Espanha, pediram a Bruxelas a utilização do Pacto Verde Europeu como ferramenta para recuperar a economia.
  • Em termos globais, são importantes os indícios que se percebem nos programas de incentivos de grandes economias como a China, Japão ou Coreia do Sul, onde as novas tecnologias e a eletrificação estão muito presentes.

 Setor empresarial e financeiro

As 7 prioridades para uma Recuperação Verde da economia mundial.#RRSSAs 7 prioridades para uma Recuperação Verde da economia mundial.

 VER INFOGRÁFICO: As 7 prioridades para uma Recuperação Verde da economia mundial [PDF]

 Setor energético

  • Um comunicado da Energy Transition Commission (ETC) — uma associação de 40 organizações do setor que inclui grandes empresas, instituições financeiras e diversas organizações — descreve sete prioridades de gastos para que os pacotes de incentivos econômicos contribuam para construir uma economia mais saudável, resiliente e com zero emissões líquidas.
  • Mais de 100 agentes do setor, reunidos sob a égide da Coalizão para a Ação da Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA), ressaltam o papel das energias renováveis na recuperação. O IRENA Global Renewables Outlook revela como alinhar os esforços de recuperação com os objetivos do Acordo de Paris geraria importantes ganhos socioeconômicos a nível global.
  • A Agência Internacional da Energia (AIE) também está pedindo que a energia limpa seja colocada no centro das medidas de estímulos e reconhece que é um momento crítico para que os governos adaptem suas políticas a uma ação climática mais ambiciosa.

 Sociedade civil

A carta aberta do ministro de Meio Ambiente da Costa Rica, Clube de Roma e Associação de Emergência Planetária, juntamente com mais de 3.500 cientistas e cidadãos, incentiva os responsáveis da criação de políticas para que tenham "a coragem, a sabedoria e a previsão para fazer com que seus planos de recuperação econômica estejam pensados - tanto no curto como no longo prazo - para o cuidado da saúde e do bem-estar das pessoas".