DOCUMENTÁRIO SOBRE ENERGIA EÓLICA OFFSHORE

'Unidos pelo vento', o lado mais social da energia eólica offshore

#energia eólica #projetos Iberdrola #emprego

A Iberdrola apresenta 'Unidos pelo vento', um documentário que mostra o lado mais social do parque eólico offshore East Anglia ONE. Mais de vinte trabalhadores, tanto da companhia quanto de vários de seus fornecedores, comentam a importância do trabalho em equipe, do companheirismo e do treinamento para implementar uma infraestrutura desta magnitude e complexidade, bem como sobre o efeito indutor que este projeto está tendo nas economias locais. Você quer conhecê-los?

Um time variado, multidisciplinar, internacional e particularmente comprometido e orgulhoso de seu trabalho. É assim como são as pessoas que tornam possível aquele que até a data presente é o maior parque eólico offshore em construção do grupo Iberdrola: East Anglia ONE. Para apresentá-los, a companhia produziu o documentário Unidos pelo vento, cujo lançamento coincidiu com a Conferência do Clima das Nações Unidas (COP25).

"A chave do sucesso deste projeto é a equipe", afirmou Álvaro Martínez, diretor de Operações Offshore da Iberdrola. "O que faz com que um projeto como este seja real é o enorme esforço humano", assegurou Jonathan Cole, diretor-gerente de Energia Eólica Offshore da ScottishPower Renewables. "Pessoas diferentes, de várias nacionalidades, trabalhando juntas com o mesmo objetivo e na mesma direção", comenta Charlie Jordan, diretor do projeto de East Anglia ONE. "Todo o pessoal está comprometido com a companhia e com o projeto, e isso faz a diferença", explicou Natalia Planillo, responsável de Qualidade. São algumas das declarações que aparecem no documentário, as quais refletem o lado mais humano deste projeto. Em particular, elas expõem os benefícios sociais e econômicos da energia eólica offshore para as comunidades locais e, em geral, para a indústria.

Ignacio Galán, presidente do grupo Iberdrola

Existem milhares de pessoas que desempenham um trabalho profissional e dedicado, porque acreditam no que fazem. As empresas são as pessoas

UM PERCURSO PELO PROJETO

O documentário faz um percurso pelos lugares mais significativos desta instalação renovável que está sendo construída em águas do Reino Unido:

  • Os escritórios da ScottishPower em Londres, filial da Iberdrola no Reino Unido.
  • Bawdsey, Ipswich e Bramford, por onde passam os seis cabos subterrâneos, que se unem a outros dois que existem no fundo do mar, para conectar o parque eólico com a rede nacional britânica.
  • Lowestoft, onde se localiza a base de operações e manutenção, responsável pelo funcionamento diário.
  • O Lowestoft College, onde os trabalhadores recebem treinamento para operarem em alto mar.
  • Sestao, Avilés e Fene (Espanha), onde foram fabricadas as fundações para os aerogeradores.
  • O porto de Great Yarmouth, no qual se reúnem os diferentes componentes dos aerogeradores para depois montá-los em alto mar.
  • E o próprio parque East Anglia ONE, no Mar do Norte, a cerca de 50 quilômetros da costa do condado inglês de Suffolk.

Localização
Mar do Norte (Reino Unido)

N° de aerogeradores
102 turbinas WTG E19 Siemens Gamesa

Extensão total do parque
300 km2

Capacidade total instalada
714 MW

Investimento
2,5 bilhões de libras

Entrada em operação
2020

Projeto
East Anglia ONE

Conheça o parque eólico offshore East Anglia ONE. Acesso.

DESCOBERTAS ARQUEOLÓGICAS E HISTÓRICAS

O documentário também mostra duas descobertas arqueológicas de grande valor realizadas durante a construção de East Anglia ONE:

  • As escavações para as obras de soterramento do cable em Woodbridge trouxeram à luz restos da Idade de Bronze, da Idade de Ferro, do período romano, do anglo-saxão e do medieval, entre eles uma estrada da época neolítica formada por uma série de pranchas de madeira que datam de 2.300 a. C. Este sítio arqueológico surpreendeu a todos pela qualidade do patrimônio encontrado, algo sem precedentes no condado de Suffolk.
  • Dentro da área do parque eólico offshore foi encontrado no fundo do mar um submarino da Primeira Guerra Mundial desaparecido em 1915. Segundo parece, o submarino chocou com uma mina na costa leste britânica e afundou com toda a tripulação de 31 pessoas. A sua descoberta proporcionou dados úteis sobre o acontecido durante este período histórico.


Ficha técnica do documentário 'Unidos pelo vento'.#RRSSFicha técnica do documentário 'Unidos pelo vento'.