USINA FOTOVOLTAICA DE NÚÑEZ DE BALBOA

Núñez de Balboa, nosso primeiro macroprojeto fotovoltaico na Espanha

O grupo Iberdrola, por meio de sua filial na Espanha, está construindo em Badajoz a usina fotovoltaica de Núñez de Balboa, que, com 500 MWp de capacidade instalada, fornecerá energia limpa para 250.000 pessoas.

Localização
Usagre (Badajoz)

Capacidade total instalada
500 MWp

Potência máxima
de conexão à rede
391 MW

Produção anual
832 GWh

Investimento total
290 milhões de euros

Entrada em operação
Primeiro trimestre de 2020

Usina fotovoltaica
de Núñez de Balboa

A Iberdrola dá um passo decisivo em direção à energia fotovoltaica com a construção da usina fotovoltaica de Núñez de Balboa em Usagre (Badajoz), a maior planta fotovoltaica em construção na Europa. A usina, que terá capacidade instalada de 500 MWp (391 MW de potência máxima de conexão à rede) após sua entrada em operação — prevista para o primeiro trimestre de 2020 —, fornecerá energia limpa para 250.000 pessoas, quantidade superior à população das cidades de Cáceres e Badajoz, evitando assim a emissão na atmosfera de 215.000 toneladas de CO2 por ano.

Ignacio Galán, presidente do Grupo Iberdrola

A usina evitará a emissão para a atmosfera de 215.000 toneladas de CO2 por ano, reforçando nosso compromisso de mitigar o aquecimento global

Com quase toda a estrutura já afixada no terreno, a usina de Núñez de Balboa ocupa uma superfície de cerca de 1.000 hectares e produzirá aproximadamente 832 GWh/ano. Mais da metade dos seus 1.430.000 painéis fotovoltaicos — que serão instalados sobre 288.000 fundações e terão um peso total de 12.100 toneladas — já estão montados e sua construção atingiu o recorde de mais de 1.200 empregos: 70% deles para trabalhadores da Estremadura. A previsão é que a montagem eletromecânica termine em dezembro.

A complexidade logística do projeto — o transporte dos componentes principais até o local da obra será feito com cerca de 3.200 contêineres — está exigindo um grande trabalho de coordenação das fases de fabricação, transporte e montagem na obra. O projeto de instalação por módulos simplifica os trabalhos de instalação e dá mais segurança.

O projeto também inclui o desenvolvimento de toda a infraestrutura necessária para levar a energia produzida para a rede de distribuição de eletricidade. Ela contará com 115 inversores — para converter a corrente contínua produzida pelos painéis em corrente alternada adequada para ser utilizada — e mais de 2.000 quilômetros de cabos de média e baixa tensão. A energia produzida será levada para a subestação de Bienvenida, de 400 kV, situada no município com o mesmo nome.

PIONEIRA EM EMPRÉSTIMOS VERDES

A Iberdrola assinou um acordo com o Banco Europeu de investimento (BEI) e o Instituto Oficial de Crédito (ICO), pelo qual estas instituições contribuirão com 290 milhões euros (145 o BEI e 140 o ICO) para financiar a usina. A construção de Núñez de Balboa gerará mais de 1.000 empregos e contará com a participação de empresas locais.

RELANÇAMENTO DAS ENERGIAS LIMPAS NA ESPANHA

O projeto está contemplado no plano da Iberdrola de colocar em operação 2.000 novos megawatts de potência fotovoltaica e eólica na Estremadura até 2022 — dos quais mais de 1.700 já estão em construção ou tramitação —, o que colocará a região no centro da estratégia renovável do grupo na Europa. O anúncio foi feito pelo presidente do grupo, Ignacio Galán, durante a cerimônia de lançamento da pedra fundamental de Núñez de Balboa.

Dos novos projetos na região, alguns já se encontram em estágio avançado de desenvolvimento, incluindo as usinas fotovoltaicas de Ceclavín, Arenales e Campo Arañuelo I e II, em Cáceres.

Essa aposta da empresa faz parte de seu plano de relançamento de energias limpas na Espanha, que prevê investimentos de 8 bilhões de euros entre 2018 e 2022 e pretende colocar em operação 10.000 novos megawatts até 2030. Estas atuações permitirão a criação de 20.000 empregos. A Iberdrola é líder em energias renováveis na Espanha com uma capacidade instalada de 15.828 MW.

CONTRATOS DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA

Para garantir o retorno dos investimentos desse macroprojeto, a Iberdrola está negociando acordos privados com diferentes empresas para fornecer — a longo prazo — energia 100% renovável da usina de Estremadura. Até o momento, a empresa assinou contratos de compra e venda de energia — ou PPA (Power Purchase Agreement, em sua sigla em inglês) — com três grandes corporações espanholas:

  • O banco Kutxabank, que consumirá exclusivamente essa energia em todas as suas instalações e filiais.
  • A operadora de telecomunicações Euskaltel.
  • O grupo de distribuição Uvesco (BM Supermercados).