BLOCKCHAIN4CITIES

A tecnologia 'blockchain' a serviço da gestão urbana

A tecnologia blockchain não é unicamente a base da criptomoeda bitcoin. Esse sistema que se encarrega de fazer comprovações e transações seguras na Internet promete revolucionar a gestão das cidades inteligentes através do Blockchain4Cities, uma iniciativa para coordenar, integrar e controlar os diferentes serviços urbanos de forma transparente, eficiente e privada.

As cidades do presente se assemelham cada vez mais às do futuro. Ainda não existem carros voadores nem androides passeando pelas nossas ruas como profetizou Ridley Scott em Blade Runner (1982), mas de acordo com as previsões do bank of America Merrill Lynch, uma tecnologia criptográfica como o blockchain pode nos ajudar a construir metrópoles inteligentes e capazes de gerar, entre todas elas, 1,29 trilhão de euros em âmbito global em 2020.

BLOCKCHAIN4CITIES: O PROJETO PARA INTEGRAR O 'BLOCKCHAIN' NAS CIDADES

Gotemburgo, Chicago ou Cingapura são claros exemplos de cidades inovadoras: muito digitalizadas e com um modelo de gestão urbana mais avançado e sustentável em termos de mobilidade, eficiência energética, tratamento de resíduos ou participação cidadã. As smart cities inspiraram iniciativas como Blockchain4Cities, um grupo de trabalho da Organização das Nações Unidas (ONU) para determinar as aplicações práticas do blockchain no funcionamento das cidades inteligentes.

Os resultados preliminares da pesquisa, que contou com a participação de 26 especialistas de vários países, destacam especialmente o potencial do blockchain — ou cadeia de blocos — para a governança municipal devido à sua capacidade de transmitir informação de um modo seguro e sem intermediários. Mesmo assim, os especialistas indicam que estamos diante de uma tecnologia que não resolverá todos os problemas de gestão urbana e que seu uso tem sentido somente em condições específicas.

VANTAGENS DO 'BLOCKCHAIN' PARA GOVERNAR AS CIDADES

De acordo com os pesquisadores do Blockchain4Cities, os benefícios mais relevantes da cadeia de blocos para o funcionamento das cidades incluem:

 Maior transparência e conectividade
Com o blockchainas cidades podem interconectar-se a serviços verticais, tais como mobilidade, energia ou segurança através de um sistema único, aberto, acessível, transversal e capaz de intercambiar dados com seus habitantes em tempo real.

 Comunicação direta
O blockchain permite que as administrações públicas e os cidadãos possam interagir de forma digital e sem precisar de intermediários. Isso agilizaria, por exemplo, os trâmites burocráticos em cartórios, prefeituras, etc.

 Integridade da informação
Com essa tecnologia é possível criptografar um arquivo total ou parcialmente para compartilhar apenas aquilo que nos interessa de forma privada, segura e sem risco de ser manipulado por um terceiro.

 Gestão eficiente
O blockchain permite que cidadãos e governantes saibam a origem e o destino de cada recurso. Além disso, os governantes podem saber como os serviços urbanos são utilizados sem comprometer a privacidade das pessoas.

USOS DO 'BLOCKCHAIN' NAS CIDADES

Entre as cidades com iniciativas municipais baseadas na cadeia de blocos destaca-se Dubai que, com um investimento de 300 bilhões de dólares, ambiciona ser em 2020 a primeira cidade do mundo em integrar o blockchain em todos os seus serviços. Entre os exemplos do uso dessa tecnologia para a gestão urbana destacam-se:

 Segurança
A cadeia de blocos melhora a proteção dos dados pessoais compilados.

 Energia
Os contratos inteligentes que se baseiam no blockchain permitem que os domicílios abastecidos com placas solares intercambiem automaticamente a eletricidade que sobra com outros membros da rede elétrica.

 Mobilidade
As administrações podem saber quais cidadãos utilizam o carro diariamente e incentivá-los com descontos e vantagens para que usem o transporte público.

 Resíduos
A cadeia de blocos pode proporcionar informação sobre os contêineres de lixo em tempo real aos cidadãos e ao serviço de coleta de resíduos para que sempre saibam se estão cheios ou vazios.

 Participação
As plataformas blockchain garantem a segurança, confiabilidade, transparência e o anonimato nas consultas realizadas junto à população, tais como: eleições, pesquisas de opinião, referendos, etc.

Além disso, a tecnologia blockchain pode beneficiar outros serviços como a gestão de recursos hídricos, o controle da qualidade do ar ou os cuidados com parques e jardins.

Países e cidades com governos blockchain.#RRSSPaíses e cidades com governos 'blockchain'.

 VER INFOGRÁFICO: Países e cidades com governos 'blockchain' [PDF]

PLATAFORMAS DE 'SMART CITIES'

As cidades inteligentes precisam de ecossistemas tecnológicos adequados e altamente compatíveis para serem funcionais e se desenvolverem com sucesso. Caso contrário, crescerão isoladas, com sistemas incapazes de se comunicar entre si ao falarem linguagens diferentes. Atualmente existem várias plataformas que atuam no âmbito das smart cities:

  • United for Smart Sustainable Cities (U4SSC): trata-se de uma iniciativa da ONU que pretende se converter na plataforma que impulsiona as tecnologias da informação e comunicação (TIC) na caminhada rumo às cidades inteligentes e sustentáveis. Também é a matriz do grupo de trabalho Blockchain4Cities.
  • Fiware: a União Europeia (UE) apoia esta plataforma de software livre que fornece ferramentas e um ecossistema adequado para os desenvolvedores de aplicativos e serviços online. Apesar do Fiware não ter sido criado para dar suporte específico às smart cities, ele é capaz de garantir a interoperabilidade entre as cidades.
  • DownTown: é um dos sistemas mais adaptados às cidades inteligentes. Essa plataforma tem de 13.000 a 20.000 domínios de smart cities no mundo — entre as quais estão Londres e Dallas — , com a primeira experiência de acesso a restaurantes locais.